"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha
de ser honesto".

(Rui Barbosa)


quarta-feira, 28 de abril de 2010

Trabalhadores rurais fazem manifestação por energia




Centenas de trabalhadores rurais, vindos da região conhecida como “Contestado”, ocuparam as dependências da empresa Rede/Celpa, concessionária de energia.


A manifestação ocorreu hoje, 28 na sede da empresa, na Cidade Nova. Vários veículos usados no transporte dos trabalhadores rurais ocuparam a rua D, interrompendo o tráfego.
Os manifestantes reivindicam energia para a região. Segundo as informações colhidas, oito projetos agrícolas, ainda não foram contemplados com o programa do governo federal, Luz para Todos.


Os moradores dos PAs Alto Bonito, Railândia, Matinê, Terra Roxa, Gameleira, Barro Preto, Pa do Meio e União reclamam que nessas localidades o Luz para Todos nunca chegou. Não há posteamento e muito menos a fiação. Já em outros assentamentos, como Santa Maria, Boa Sorte, Beira Rio, Pa Carimã, todos da região do Contestado há energia elétrica, mas, a constância deixa muito a desejar. A média da interrupção do fornecimento é de quatro dias por semana.


Outra reclamação dos moradores da zona rural é que a tarifa que deveria ser subsidiada pelo Poder Público é semelhante a cobrada na zona urbana, “eu estou pagando R$ 186,00 e além da bomba do poço, só tenho uma televisão, uma geladeira e uma tanquinho de lavar roupa”, afirmou um morador.


Evaldo Melo Catanhede, presidente da Associação dos Produtores Rurais do Assentamento Santa Maria e um dos líderes da manifestação retratou a situação da região, “ em termos de energia falta quase tudo e o que foi feito é de má qualidade. A nossa preocupação é que o programa Luz para Todos se encerra agora em 2010 e só deve ser retomado após as eleições do novo presidente da República. “Para nós é um prejuízo enorme ficar todo esse tempo sem energia”. Para ele, energia representa qualidade de vida e o beneficiamento de produtos agrícolas, como polpas de frutas e fabricação de farinha de mandioca, entre outros. Na entrevista, o líder rural enfatiza que a população nunca teve uma energia de qualidade, “desde quando foi iniciado sempre foi feito de forma lenta, “estamos com nove assentamentos fora da programação e o que existe é de má qualidade, com registro de até 15 dias sem energia”.


Ocupação – A ocupação na sede da empresa prosseguiu até as 14 horas. Um documento assinado por Aguinaldo Souza Oliveira, gerente de Eletrificação Rural da Rede/Celpa, garantiu que estava liberada uma verba de R$ 22 milhões para realizar os serviços de eletrificação rural nos oito assentamentos que ainda não foram contemplados e nos demais que apresentam deficiência. A previsão é que no início de junho os serviços sejam iniciados.


O movimento planeja ainda uma viagem para Belém para conversar pessoalmente com o diretor da Celpa. O objetivo é incluir outros assentamentos na programação do Luz para Todos.

Zedudu de volta

Depois de dois dias com problemas de conexão de net, o Blog do Zedudu está de volta, com muitas novidades e sempre com notícias de primeira mão.

O leitor pode fazer um link do blog do Marcel ou acessar no endereço. www.zedudu.com.br

Nada de expulsão

Em conversa com o presidente do PT, Nilson Dias, ou Nilson da CKS, o blog ficou sabendo que não há nenhuma campanha para expulsar desafetos ou insatisfeitos do partido da estrela vermelha.

Segundo Nilson, a Comissão de Ética queria apenas pedir para que a turma do contra preservasse o nome do partido de declarações dadas à imprensa, "não há clima e nem é aconselhável expulsar ninguém em ano eleitoral", disse.

Mas heim, o presidente do Conselho de Ética é o Chocolate. O homem não é fraco não.

Vitória de Percília e um recado claro

Para dá mais gás a discussão da insatisfação geral de todos os setores da sociedade e4m relação a atual administração, a Cãmara deu uma prova de que não pretende permancer submissa aos quereres do Executivo. Na eleição do vereador que assumiria a primeira-secretária no lugar do vereador Israel Barros, o "Miquinha" (PT) dois candidatos se apresentaram. raimundo Vasconcelos (PT) e Percília Martins (PRTB).

Com o voto de minerva do presidente da Câmara, Adelson Fernandes (PDT), Percília foi eleita a nova secretária da Cãmara. O placar de 6 a 5 a favor de Percília soou com um recado muito claro para o governo.

Miquinha renuncia a primeira secretaria da Câmara

Como havia sido noticiado no blog alguns dias atrás, o vereador Israel Barros, o "Miquinha" (PT) renunciou ontem a primeira secretaria da Câmara. Como se sabe, Miquinha vinha sofrendo problemas de saúde e os muitos afazeres da primeira secretaria contribuiam para o agravamento dos problemas.

Apesar de ter sido aventada, a hipótese de renunciar ao mandato de vereador, pelo menos por enquanto, está descartada.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Caríssimo João Carlos

O leitor João Carlos, mandou um pertinente comentário no qual faz uma análise sobre as candidaturas de Serra e Dilma e lança sombras sobre a conduta de alguns veículos de comunicação, que segundo ele teria "vestdo a camisa de Serra", em detrimento da candidatura petista de Dilma.

O coentário:

Marcel, caro, SERRA já nasceu errado, sempre esteve errado. Tudo que aconteceu de errado no governo FHC foi Planejado pelo SERRA.

Companheiro, Marcel, o momento é de uma só voz no PIG, que tentará esconder o SERRA de quem ele é, de onde ele veio e pra onde ele quer ir, mas o jogo não é de apenas um jogador, tem outro time.

No PIG a candidatura DILMA não tem chance nenhuma, mas nas ruas é só vc ver e começar a contar. Tem coisa que vc não verá na tela da Rede Bobo!

Noblat, Josias, M.Leitão, Boechat, Casoy, não faze a cabeça do povo muito menos a sua.

Dilma já é presidente, salva o post e me cobre dia 3 de outubro.

Abs.

João Carlos


Blogger: Prezado, como vivemos numa democracia devemos estar prontos para aceitar qualquer que seja o resultado das urnas, independente da nossa predileção, ou posição político-ideológica.

Acredito que os mesmos meios de comunicação que você sataniza agora são os mesmos que puxaram a sardinha pra brasa do Lula em eleições passadas, principalmebnte a Rede Globo. Vamos aguardar os desdobramentos. Gostaria de dizer que fui eleitor do Lula, mas não estou disposto a engolir goela abaixo nenhum nome de procedência duvidosa, apenas para satisfazâ-lo. Acho até que ele foi um bom presidente (não com ele é vendido, com se o Brasil tivesse sido descoberto após os seus oito anos do seu governo).

É preciso reconhecer o mérito dos outros, sem paixão de cunho ideológico.
Longe de ser uma fraqueza, o reconhecimento é uma virtude, tenha certeza.

Abraços.

Ganha eleição quem erra menos

Marqueteiros e cientistas políticos concordam que uma eleição costuma ser ganha por quem erra menos durante a campanha.

Ciro Gomes perdeu para seus próprios erros quando se candidatou a presidente em 1998 e 2002. Chamou eleitor de burro. Fez brincadeira de mau gosto com o papel de sua mulher na campanha.

Ainda estamos na fase da pré-campanha dos candidatos à sucessão de Lula.
Campanha de verdade só começará depois da Copa do Mundo, ali por meados de julho.
Erros cometi
(dos na fase de pré-campanha tendem a ser esquecidos. E quase nunca provocam danos irreparáveis.

Até aqui, Serra não errou. O reconhecimento é unânime entre seus adversários.
Venceu a disputa interna com Aécio Neves sem deixar que ela os separaesse.
Empregou Geraldo Alckmin no governo e promoveu-o a candidato ao seu lugar.
Pressionado a se lançar logo candidato, não o fez. Escapou assim de se tornar alvo de ataques antes do tempo.

Dilma tem errado. E é por isso que os responsáveis por sua futura camanha se reuniram ontem à noite em Brasília dispostos a refletir sobre os erros e a cuidar para que não se repitam.
Falta um discurso para Dilma. Confrontar as realizações do atual governo com o passado não é discurso. É um recurso secundário, marginal.

Oferecer-se como legítima continuadora da obra de Lula não é discurso. Pode soar apenas como um argumento eficiente de propaganda. O que Lula fez de bom já foi feito. E ficará. Foi ele que fez. O que Dilma pretende fazer? Por ora, falta comando na campanha de Dilma. Ou melhor: o comando parece fragmentado.

É natural que se monte um grupo para comandar a campanha e que se divida as tarefas. É assim que funciona em toda parte. Isso ocorreu, por exemplo, nas duas campanhas de Fernando Henrique Cardoso para presidente. E nas duas de Lula.

Mas havia um Sérgio Motta nas campanhas de Fernando Henrique. E um José Dirceu nas de Lula. Na de Dilma não existe. Ou talvez Sérgio Motta e José Dirceu sejam ela mesma.
Dilma é inexperiente para assumir um papel desses.

Lula não pode assumir - pelo menos durante o expediente como presidente da República.
Campanha fracassa quando muitos mandam nela - ou quando ninguém de fato manda.
Quem entende de marketing numa campanha é o marqueteiro.
Se ele, sozinho, soubesse de tudo, entendesse de tudo e decidisse uma eleição, poderia um dia virar candidato. Nenhum virou até hoje.

Mas depois do candidato e do chefe da campanha, o marqueteiro é a figura mais importante.
Se ele não tiver poder para intrerferir em todas as áreas de comunicação da campanha, o desastre é previsível.
Duda Mendonça teve esse poder na campanha de Lula de 2002 - assim como antes tal poder foi exercido por Geraldo Walter na campanha de Fernando Henrique em 1994 e Nizan Guanaes na seguinte.

João Santana Filho teve o mesmo poder na campanha de Lula de 2002. Pelo visto, não terá agora na de Dilma. Foi Lula que escalou João Santana. Dilma preferia Duda, descartado devido às lembranças do mensalão.

Santana vai produzir os programas de televisão e de rádio, as peças mais relevantes de uma campanha. Mas a comunicação via internet não dependerá dele. A assessoria de imprensa da campanha, também não.

Ou todas essas áreas - e outras, como a de eventos, por exemplo - seguem uma mesma orientação ou tudo desanda. Esse é um dos muitos riscos que ameaçam a campanha de Dilma. Grave risco.

(Blog do Noblat)

PIzza à vista

Outras figuras do PT local também estariam na linha de tiro do Conselho de Ética. Wanterlor Bandeira e o Zezinho. Os denunciantes seriam Luiz Vieira e Nilson Dias, presidente da legenda. Apenas para lembrar, Nilson Dias, ou Nilson da CKS é aquele mesmo que saiu no jornal com cópias de c o ntrato no valor de R$ 9 milhões da sua empresa com a prefeitura. Luis Viera é o caso de ser denunciante e requerido ao mesmo tempo.

Segundo os mais informados das coisas do PT, tudo vai acabar numa imensa pizza, na qual sobrará apenas advertência para alguns e para outros, nem isso.

Não custa lembrar, Josean Brito, conhecido por todos co mo "Chocolate" é o presidnete do Conselho de Ética do PT.

Carta aberta do PPS e PV à população

Com um pouco de atraso (queriamos a autorização dos partidos em questão para divulgação) estamos postando a carta aberta do PPS e PV à população.

Estamos vivenciando a segunda e maior crise na atual gestão municipal. Ao chegar aos cinco anos e meio de administração, enfrentamos problemas de gestão em seus aspectos políticos, administrativos e éticos. É preciso diligência e coragem para enfrentá-la, reconstruindo a principal aliança inaugurada em 2004: a aliança com a maioria da população.

Acreditamos que é possível corrigir os rumos, mas a margem de manobra vem se exaurindo rapidamente. Portanto, as medidas de ordem política e administrativa são para ontem! É bom lembrar: metade do ano de 2010 está perdido. Daí para frente, enfrentaremos dois invernos, sempre limitadores, e a sucessão, que comumente consome meses nos arranjos políticos. Fazendo-se a conta, sobram-nos pouco mais de um ano para as ações plenas.

Esta crise só poderá ser debelada seguindo o seguinte roteiro: é preciso construir uma agenda mínima de governo com os aliados, estabelecendo critérios políticos e administrativos, fugindo do fisiologismo e das meras ações de bastidores.

É preciso envolver variados setores da sociedade nesta construção. Tem-se dito que o problema é do prefeito! Achamos que não. Primeiro: a crise é um problema para mais de 160 mil pessoas. Segundo: o prefeito foi eleito por um conjunto de forcas, que são corresponsáveis pelos rumos da gestão. Terceiro: não há, em política, solução solitária.

O legislativo deverá ser o principal interlocutor na formulação da Agenda. A construção de maioria será fruto desse debate e não ao contrário. Toda base de sustentação construída apenas na lógica da ocupação de cargos e distribuição de favores será sempre fluída e inconstante.

O tempo está contra a solução dos problemas: a demora não gestará uma solução menos traumática, como pensam alguns. Ao contrário, ela ossificará o cerne da crise, calcificando os interesses escusos, não republicanos, no seio e fora do governo. Em outra palavra, e com uma pergunta: a quem interessa a crise?

Achamos que é hora de todos, sem exceção, colocarem seus cargos à disposição do prefeito. PPS e PV já estão fazendo isso.

Exortamos ao Partido dos Trabalhadores que comande (por se tratar do partido hegemônico) o debate público na construção da agenda mínima. Que estabeleça o diálogo com a sociedade. Que abandone a lógica simplista de localizar a crise principalmente em duas secretarias que não são geridas por filiados ao PT (a Saúde e a Obras).

Continuamos acreditando na liderança política do prefeito Darci Lermen. Por isso cobramos dele (e de seu partido) o start ao que chamamos de Agenda Positiva na Correção de Rumos.
Cláudio Feitosa
Presidente Municipal do Partido Popular Socialista - PPS
Raimundo Cabeludo
Presidente Municipal do Partido Verde - PV

Vieira e Leo na Comissão de Ética do PT

Ontem, o PT passou boa parte do dia reunido. A Comissão de Ética analisou os procesos de expulsão do secretário Luiz Viera, por causa do episódio das telhas e de Leonidas Mendes, o "Leo", por causa das declarações e artigos assinados nos jornais e blogs, nos quais ele analisa a degradação atual do PT.

Há quem diga que a expulsão de Leo é uma coisa líquida e certa, já a de Luiz Viera... Deixa pra lá. Leo recebeu a notificação do partido e oficializou que não conpareceria porque na notificação não constava a falta cometida por ele e nem lhe assegurava o direito de defesa, direito que é constitucional.

Em tempo. O presidente da Comissão de Ética do PT é o inoxidável Josean Brito, o "Chocolate". Ah! um dos membros é a carmelita. O que esperar?

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Deu no blog do Zedudu

Deu no Blog do Zedudu que o PPS e o PV, divulgaram uma carta aberta à população, colocando os cargos à disposição do prefeito, Darci Lermen, o deixando livre para que efetuasse as mudanças cabíveis, objetivando a construção de uma nova fase na administração pública.

A atitude é digna dos melhores elogios, mas, nessa altura do campeonato não acredito que o governo tomará jeito se esse ou aquele partido sair. É aquela velha história que toda população conhece de cor e salteado: pau que nasce torto até a cinza é torta. Esse governo não tem jeito porque sua essência, o núcleo, a espinha dorsal é ruim e enquanto ela estiver no comando, a gente só vai ouvir falar de bandalheira, de negócios escusos e jogadinhas ensaiadas.

Quarta-feira de choradeira

A coisa anda rtão preta para os veículos de co municação de Parauapebas que tem dono de jornal que tem apelado para todos os santos e s empre nas quarta-feiras dá um jeito de pintar na chácarta do prefeito, p erto da vila Palamares II para vê se recebe uma beiradinha da grana devida.

Na última quarta o indigitado esteve na Chácara, mas só encontra a primeira-dama Odilza no pedaço (Darci teria viajado). Para não se estressar muito com choradeira de pobre, Odilza teria dito mais ou menos assim: "bom meu amigo se veio de divertir tem anzol e vara pra pescar, uma cervejinha e uma sinuquinha, agora se veio trazer problema pode voltar daí mesmo, porque de problema nós estamos até a tampa".

A fonte que relatou a história é séria e a gente vende o peixe do preço que comprou.

Vias de fato?

O comentário que rolou na Câmara na manhã de hoje foi o entrevero entre o atual prefeito Darci Lermen e o ex-secretário de Finanças, Milton Zimmer. Segundo algumas fontes, o tempo teria fechado literalmente no último encontro dos dois.

Milton não teria gostado de um xingamento de Darci, que teria colocado em dúvida sua honestidade e teria ido às vias de fato.

Bom, o blog apenas está reproduzindo o que é voz corrente nesta segunda-feira nas rodas da politica local. Esperamos que um dos dois entre em contato com o blog para eventual elucidação, entretanto, se tudo isso for verdade, não surpreende ninguém. Há tempos que os dois, que se conhecem desde a adolescência, nos tempos de seminário, onde estudavam para serem padres no Rio Grande, estevam bicudos.

Uma pessoa ligada ao PT e amiga dos dois já a diantara ao blog que a forma desrespeitosa como fora tratado e sua saída da prefeitura teria azedado a amizade de ambos para sempre.

domingo, 25 de abril de 2010

FENAJ e Sindicatos de Jornalistas do país convocam manifestações contra Gilmar Mendes

A Federação Nacional dos Jornalistas e os Sindicatos de todo o Brasil programam ações para esta sexta-feira, 23 de abril, quando Gilmar Mendes transfere a presidência para o ministro Cezar Peluso. Dos onze ministros do STF, quatro já foram presidentes (Celso de Mello, Marco Aurélio, Ellen Gracie e Gilmar Mendes).

Desde 2008, enquanto Gilmar esteve à frente do STF, uma série de decisões tomadas deixou claro que critérios técnicos foram preteridos em função de outros, no mínimo escusos. Sob sua gestão, o Supremo também aboliu a Lei de Imprensa, transformando o Brasil no único país do mundo sem regulação para o setor. E além de dar declarações que extrapolavam suas atribuições, libertar o banqueiro Daniel Dantas e criminalizar os movimentos sociais, o presidente do STF foi o principal responsável pela derrubada da exigência do diploma para o exercício do jornalismo, em julgamento realizado em 17 de junho de 2009.

O ministro, indicado para o cargo pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, foi o relator do Recurso Extraordinário 511961 do Sindicato das Empresas de Rádio e TV de São Paulo contra a exigência do diploma. Mais uma vez escolheu o lado mais forte. Votou em defesa dos grandes empresários de comunicação. No dia do julgamento, Mendes demonstrou má-fé e, no mínimo, desconhecimento sobre a profissão, ao contrário do que se espera do representante máximo do Judiciário. “A profissão de jornalista não oferece perigo de dano à coletividade tais como medicina, engenharia, advocacia nesse sentido por não implicar tais riscos não poderia exigir um diploma para exercer a profissão. Não há razão para se acreditar que a exigência do diploma seja a forma mais adequada para evitar o exercício abusivo da profissão", disse, demonstrando ignorância sobre o fazer jornalístico.

Gilmar Mendes chegou a comparar a profissão de jornalista com a de cozinheiro. "Um excelente chefe de cozinha poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima estarmos a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área. O Poder Público não pode restringir, dessa forma, a liberdade profissional no âmbito da culinária".A luta pelo restabelecimento do diploma prossegue no Legislativo.

E cabe a nós, jornalistas, estudantes e professores de Jornalismo de todo o Brasil, continuar acompanhando, pressionando e lutando contra as decisões elitistas e equivocadas tomadas pelo STF.Defender a regulamentação profissional dos jornalistas é lutar pela democracia e contra a sanha desregulamentadora e desreguladora que atinge não somente a nossa categoria, mas muitos outros segmentos dos trabalhadores e da sociedade.

PC recebe visita de profissionais da comunicação


Ontem, sabado 24, o escritor Pedro Cláudio dos Reis, o conhecido "PC" recebeu a visita de vários profissionais da comuniciação de Parauapebas, dentre os quais, Waldyr Silva, Zedudu, Demerval Moreno, Cláudio Feitosa e este blogger.

PC é pai do médico oftalmologista Hipólito Reis e recentmenrte sofreu um AVC. Nem é preciso dizer que com sua crônica bem humorada, PC anda fazendo muita falta e o grupo (foto) foi deixar o abraço e os votos de pronta recuperação

Entrevista de Ciro à Folha


Folha - O PSB já definiu que terça-feira será o dia D de sua pré-candidatura e está claro que eles vão optar por acabar com ela. O senhor já se conforma em não ser candidato à Presidência da República nas eleições deste ano?
Ciro Gomes - Eu vou lutar até segunda-feira à noite. Porque considero fundamental para o Brasil, para a democracia brasileira, que o Brasil decida, e não os esquemas de gabinetes em Brasília, confinando as opções até deixar o povo sem alternativa praticamente nenhuma. Eu não quero tomar a Presidência da República de ninguém. Eu quero participar de um debate, trazer uma experiência de 30 anos de vida pública decente, de vivências na área econômica. Mas se o partido entender que não, eu respeitarei. Porque uma democracia se faz não com donos da verdade, se faz com respeito às maiorias. Se a maioria do meu partido entender que não devo ser candidato, eu respeitarei completamente.
Folha - A essa altura dos acontecimentos, o que o faz não declarar efetivamente que não é mais candidato a presidente?
Ciro - Boa-fé, confiança, porque a direção do partido me disse que essa discussão será tomada numa reunião com todos os diretórios estaduais, representados em Brasília. E eu confio, estou entre companheiros. É um partido de gente boa, de gente decente, de gente bem intencionada. Pode ser de gente um pouco inexperiente em certa dimensão. Talvez o momento histórico colocou a encruzilhada complexa demais para o nível de experiência de alguns companheiros, mas são gente boa.
Folha - Até que momento o senhor efetivamente acreditou na sua candidatura em termos pragmáticos politicamente, no sentido de o partido efetivamente abraçar sua candidatura, a ponto de buscar alianças com outros partidos?
Ciro - Até o presente momento. Porque com a minha experiência, eu não sou nenhum inocente. Eu sei que a natureza da minha candidatura é rebelde ao dispositivo que a grande estrutura do Brasil marcou. A partir da confrontação paroquial, provinciana da política de São Paulo, muito reciprocamente conveniente para eles, PT e PSDB de São Paulo. Eles querem fazer disso a realidade do Brasil. Eu me insurjo contra isso desde sempre. Acho que tem feito muito mal ao país, eu tenho explicado com detalhes, com nomes, o mal que isso tem feito ao Brasil. Então, não terei vida fácil jamais, pela natureza mesmo da candidatura.Evidente que não tirei aliança nenhuma, se o meu partido não estava seguro de bancar os riscos inerentes a uma candidatura que se rebela contra tudo que está posto na mídia, no poder econômico, nas oligarquias partidárias. Se não for essa a expressão da vontade da maioria, cabe a mim pedir que o partido incorpore no passo adiante, que é o entendimento com alguém que o partido resolva apoiar, as ideias que eu estou defendendo. Porque o que importa não sou eu, o que importa é o país.
Folha - O que o senhor acha que levou a essa situação de agora, de na terça-feira o partido declarar que o senhor não é mais candidato?

Ciro - Eu conversei com eles. Olhando a história do Brasil, com essa candidatura o partido só ganha. Porque está provado que quem disputou cresceu. O partido que não disputou definhou. Inclusive, na minha opinião, com razão. Só deveriam sobreviver partidos que tivessem o que dizer para o país. Porque tem feito muito mal ao Brasil essa pulverização de burocracias partidárias que existem para barganhar minutos de televisão, que têm imenso poder no Congresso Nacional, mas nenhuma responsabilidade com a vida da República, com a vida do povo. Vivem chantageando o poder, e o PSB não é isso.
Folha - No caso de haver a confirmação de o PSB abdicar da candidatura própria, qual será o seu comportamento político a partir daí para as eleições presidenciais? Há possibilidade de apoio a Dilma Rousseff, ou o senhor vai se manter neutro?
Ciro - Eu nunca fui neutro na minha vida, nunca deixei de tomar posição. Eu vou seguir a orientação do meu partido, a posição que o partido tomar é aquela que eu seguirei. O nível de entusiasmo, entretanto, vai depender do nível de incorporação das minhas preocupações com o futuro do país, com as diretrizes éticas, programáticas, ideológicas do passo seguinte que o partido der, se eu não for candidato.
Folha - O senhor pretende se reunir com a candidata Dilma Rousseff para discutir colaborações suas para o programa de governo dela?

Ciro - Sua entrevista está completamente fora de tempo, ou então você está querendo enterrar o defunto com ele vivo ainda. É preciso refrasear as perguntas aí.
Folha - Insisto. Na hipótese da decisão de terça-feira ser desfavorável aos seus anseios, o senhor pretende colaborar com o programa de governo da ex-ministra Dilma Rousseff?

Ciro - Eu acho que é uma falta de delicadeza você tratar como defunto quem está vivo, antes de ser enterrado. Publique isto.
Folha - Durante todo esse tempo em que o senhor tentou viabilizar a sua candidatura, o senhor sempre foi crítico da aliança PT-PMDB. O senhor vai manter o discurso público nesse sentido ou vai se recolher?

Ciro - Eu nunca fui crítico da aliança PT-PMDB. Eu sei que interessa para eles reduzir a minha opinião a essa miudice. Eu não sou crítico de aliança nenhuma. Eu sou crítico da hegemonia moral e intelectual que preside essa aliança. Se você compreende o Brasil, você sabe que precisa ter aliança. A pretexto de que isso é correto e necessário, o que está se fazendo é tráfico de minuto de televisão, é acobertamento de malfeito, manipulação de CPI. E isso não tem nada a ver com governabilidade, tem a ver com frouxidão moral, concessão de espaço público para fisiologia, corrupção e clientelismo. Essa opinião não muda, é uma opinião de vida minha.
Folha - Em entrevista ao portal iG, o senhor declarou que José Serra é mais capaz do que Dilma Rousseff. A sua visão é essa, efetivamente?

Ciro - Eu não dei nenhuma entrevista para o portal iG. Folha - Independentemente da entrevista, o senhor acredita que José Serra é mais capaz do que a ex-ministra Dilma? Ciro - O que eu digo a todo mundo que me pergunta é que a Dilma é uma pessoa muito melhor do que o Serra, mas infelizmente para nós outros, o Serra é mais preparado do que ela, mais legítimo do que ela.
Folha - O que confere legitimidade a um candidato?
Ciro - Estrada, serviço prestado, experiência, derrotas, vitórias, compromissos assumidos. Isso é o que confere legitimidade a alguém.
Folha - Já que ele prestou serviços ao país, cumpriu compromissos, por que o senhor o vê como uma figura ruim para o país?

Ciro - A vinculação a um projeto de país que prejudicou o Brasil de forma quase criminosa. Ele foi ministro do governo Fernando Henrique durante quase oito anos. Não adianta fazer de conta, manipular, fazer conivência da grande mídia, lavagem cerebral, não adianta. Ele foi ministro do Planejamento no tempo em que se formatou a privataria. Ele foi ministro da Saúde, ele foi o sucessor do Fernando Henrique, ele foi a Dilma do Fernando Henrique. Isso, infelizmente, é o real. Então, na política, você é você e as suas circunstâncias. Eu, por exemplo, era da mesma turma e rompi quando vi o Fernando Henrique fazer o que estava fazendo. Fui para o deserto, fui falar contra, apelar contra, sofri o pão que o diabo amassou, para sustentar a coerência da minha percepção de mundo em relação ao Brasil.
Folha - O senhor pretende, se não vier a ser candidato a presidente da República, se candidatar a algum outro cargo eletivo este ano?

Ciro - Se eu não for candidato a presidente da República, eu vou me aquietar. Vou sair da política, não sei se definitivamente, mas pelo menos por um longo tempo.
Folha - Sair da política por um longo tempo significa se ausentar dos debates agora das eleições presidenciais?

Ciro - Depende, se eu for candidato a presidente da República, eu não posso me ausentar. Se eu não for, você espera o defunto ser enterrado para você tripudiar em cima, cuspir na cova

Vila e Rio Verde empatam. Vaga na final é do Vila




Parecia que seria fácil, mas não foi. O Vila Romana chegou a colocar três gols de vantagem, mas permitiu a reação do Rio Verde, que empatou o jogo e por pouco não conseguiu a vitória. No final, o 3 a 3 deu ao Vila a classificação para a final do campeonato de Master. O jogo acoteceu no sábado, no estádio Rosenão.

O jogo começou com Nídia perdendo um gol feito, aos 4 minutos, mas no lance seguinte, Alemão tratou de fazer o primeiro da entrada da área. A zaga abriu e ele mandou com efeito, o que traiu o goleiro Gilberto.
O Rio Verde tentou esboçar uma reação, mas a marcação do Vila no meio campo era mais compacta e o jogo se arrastou sem grande oportunidades.

No segundo tempo, o Vila fez mais um. Xuxa invadiu a área e tocou para Nídia, que dessa vez não perdeu, tocando na saída do goleiro.

O terceiro gol também saiu dos pés de Nídia, só que ele tocou para Alemão na marca do pênalti. atacante só teve o trabalho de empurrar para as redes, fazendo Vila 3, Rio Verde 0.

Quando a goleada parecia desenhada, o Rio Verde reagiu e numa bobeira da zaga do Vila e do goleiro Caceludo, Adãozinho ficou com a sobra e fez o primeiro gol rioverdende. O segundo gol aconteceu logo na sequencia, após cobrança de falta de Adãzinho, que o goleiro Cabeludo deu rebote. Serraria ficou com a sobra e marcou o segundo.

Nos minutos finais o Rio Verde foi ao aoaque novament e e Adãozinho, sempre ele fez execlente jogada . o cruzamento saiu perfeiro e o lateral clênio acertou uma bela cabeçada e empatou o jogo.

O Vila ainda fez mais um, mas o juiz anulou, alegando falta de ataque. No final, o resultado classificou o Vila para a final. No próximo final de semana, Dallas e União se enfrentam, disputando a vaga para a final do Master

Frase

Frase do dia

Aqui SEFAZ, aqui se paga.

sábado, 24 de abril de 2010

Comentário espirituoso

Espirituoso como ele só, logo que soube do assalto ao prédio da secretaria de Fazenda, na quinta-feira, um cidadão se saiu com essa:
- Entrou ladrão no prédio da Sefaz? E isso é lá novidade?

Uma ocupação prevista





Conforme o blog já havia previsto, o calote da Hildelma desaguou na interndição da portaria da Vale. Ontem, 24, a portaria da Vale teve o tráfego de veículos interrompido desde às 4 horas, indo até às 15 horas.

Os empresários e lideranças do movimento afirmaram que só sairiam do local depois de um compromisso da Vale, assumindo o pagamento da dívida da Hidelma no comércio local. Segundo informações, a dívida ultrapassa os R$ 7 milhões.

Informações chegadas ao blog, uma conversa da Vale com os manifesante teria sido iniciada. Os empresários deram 48 horas para que o problema seja resolvido. Depois disso, outras medidas serão tomadas. O próxmo passo poderia ser a interrupção do tráfego ferroviário.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

PC recebe visita de imortais



Os imortais João Monteiro Brasil (presidente), Noé von Atzingen (secretário), Eduardo Castro de Aquino Lima (diretor de finanças) e Jorge Washington Marques, membros da Academia de Letras do Sul e Sudeste Paraense, vieram de Marabá nesta quinta-feira (22) a Parauapebas, onde, acompanhados da também imortal Terezinha Guimarães, fizeram uma visita de solidariedade ao colega de academia Pedro Cláudio Reis, o popular "PC", que se encontra se restabelecendo de avc sofrido recentemente.

Fundada em 26 de setembro de 2008, com sede em Marabá, a Academia de Letras do Sul e Sudeste Paraense é compsta por 30 cadeiras destinadas a autores da região que tenham obras publicadas. Das 30 cadeiras disponibilizadas, hoje a entidade conta com 12 delas ocupadas.
Os colegas de academia retornaram a Marabá satisfeitos em saber que PC vem recuperando a saúde com muita agilidade.

Além da Academia de Letras, PC é também membro da Associação de Imprensa e Comunicação de Parauapebas (Aicop), cuja direção se solidariza e torce pelo restabelecimento imediato da saúde do confrade. O mesmo acontece com este blog.

Por ocasião da visita, o presidente da Aicop, Waldyr Silva, acompanhou a comitiva de Marabá e deu também um forte abraço no amigo e colega PC.

(Blog do Waldyr Silva)

Caso Leandro repercute

Ontem recebi um e-mail de um leitor do jornal HOJE, chamado Paulo de Freitas, que disse morar no bairro Primavera. Segundo suas palavras ele conhece o Leandro Claros dos Santos e estranhou a matéria no Jornal HOJE e a postagem no blog sobre o caso. Eles diz:

"Eu conheço esse moço, que não deixa ninguém o ajudar, porque bebe muito e já esteve no hospital, mas saiu de lá. Hoje ele fica falando muito, mas não tem razão".

Opinião do blogger. Que ele tem problemas todo mundo sabe, mas, não se trata de evidenciar os problemas ou os vícios dele e sim a ação do Poder Público. É preciso ter sensibilidade zero para não se tocar vendo uma pessoa com fratura exposta andar pelas ruas da cidade sem atendimento e prestes a perder um membro do corpo. Nesse ponto o Poder Público falha sim. O que se vai fazer exatamente eu não sei, mas não dá para assistir impassível uma situação como essa.

O programa PDF tem seus méritos - ainda que não atenda nem de longe com a real necessidade do doente de Parauapebas, que muitas vezes é encaminhado para Belém sem dinheiro e não raras vezes é jogado em albergues ou pensão sem a menor condição. Defendo o tratamento diferenciado, porque cada caso é um caso. No caso de Leadro, ele deveria ser encaminhado de forma diferenciada, em ambulância e tendo acompanhamento de um profissional da saúde, internado e depois operado, mesmo que o governo municipal tenha que pagar mais por isso, afinal , dinheiro não deve faltar, pelo menos essas são as notícias em sites de repasses de recursos do governo, além da grana do municipio, que todo mundo está careca de saber.

Pesquisa Ibope mostra Serra com 36% e Dilma com 29%

Pesquisa Ibope mostra Serra com 36% e Dilma com 29%

Pesquisa Ibope que deve ser divulgada hoje mostra o pré-candidato tucano José Serra com uma vantagem de sete pontos percentuais sobre a adversária petista Dilma Rousseff, informa hoje o "Painel" da Folha, editado por Renata Lo Prete

De acordo com a coluna, Serra aparecerá na pesquisa com 36% das intenções de voto, contra 29% de Dilma. Na pesquisa anterior feita pelo Ibope, Serra tinha 35% e Dilma, 30%.

A diferença de dois pontos percentuais entre a pesquisa atual e a feita em março está dentro da margem de erro --que é de dois pontos para mais ou para menos.
A pesquisa foi encomendado pela Associação Comercial de São Paulo e ouviu 2.002 pessoas de em 141 municípios entre os dias 13 e 18 deste mês.
O levantamento está registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o protocolo nº 9070/2010.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Cedere I isolado

Informações advindas do Cedere I dão conta que a estrada que liga o povoado a PA-160 está intrafegável. Por conta da lama e da falta de condições de tráfego, desde segunda-feira o ônibus que transporta os alunos não consegue fazer o trajeto normal.

O problema praticamente deixa o Cedere I em estado de isolamento.

Área da Câmara

Com o projeto de construção de uma nova sede do Podr Legislativo no bairro Beira Rio, o que tem aparecido de pretendente para adquirir a área onde hoje funciona o Legidlativo é uma grandeza.

As informaçõs não são oficiais, mas o que sabe é que o grupo Leolar estaria interessado para a construção de um Shopping. A Premium Engenharia seria outra empresa que estaria tentando adquir, além de outras que não foram identificadas.

Atenção, como o prédio é público, a aquisição só em leilão. Outra coisa. A área é super valorizada e não deve sair por menos de R$ 5 milhões.

Além do tombo, o coice

Vejam vocês, a empresa Hidelma quase arrebentou o comércio de Parauapebas, com uma dívida de mais de R$ 7 milhões. Por conta disso, uma grande manifestação de empresários aconteceu.

Bom, R$ 7 milhões fizeram o empresariado criar um escarçeu danado, imagine se eles resolvessem protestar contra prefeitura que deve (segundo fontes não oficiais) quase R$ 120 milhões. E olha que tinha gente entre os mainifstante que estava sem receber da prefeitura há mais de seis meses.

É dura a vida do empresariado, se corre de um lado, leva calote da iniciativa privada, se corre do outro não recebe da prefeitura. É aquela coisa, além do tombo, o coice.

Pano de fundo

Além da preocupação genuína em defender os interesses do empresariado local, a movimentação da Câmara tem um pano de fundo de ressentimento por causa da escolha da Vale, que definiu Marabá para receber um investimento de R$ 3 bilhões, com previsão de 15 mil empregos de uma greande siderúrgica.

Esse ressentimento tem sido constantemente alimentado pelo vereador Faisal Salmen (PSDB) e ao que parece, devagar tem encontrado coro juntos aos seus pares no Legislativo. Faisal tem defendido a proposta de que a mineradora precisa compensar Parauapebas pelas perdas (não esquercer que o minério de ferro que vai alimentar os grandes fornos da siderúrgica de Marabá sairá de Carajás) de ter ficado sem a siderúrgica.

Ouseja: A Câmara só esperava uma boa ocasião para atacar a Vale de forma contundente.

Câmara endurece contra a Vale


Agora é unânime, o Poder Legislativo se voltou totalmente contra a Vale e não se surpreendam se nos próximos dias uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) for criada para investigar as relações da mineradora com o comércio local.

Outras possibilidades estão sendo estudadas pelos vereadores, que devem apresentar uma definição nas próximas 48 horas. Além da CPI, uma moção de repúdio com cópia para todos os meios de comunicação do país, entidades de classe, Organizações não governamentais etc, ou uma audiência pública com ampla divulgação a nível estadual e nacional.

Tudo porque a mineradora faz ouvidos de mercador e deixa suas contratadas aplicarem seguidos calotes no comércio local. A última situação foi causada pela empresa Hidelma, especializada em elétrica, hidráulica e manutenção de equipamentos que aplicou uma calote no comércio local de mais de R$ 7 milhões.

Além da Hidelma outras empresas prestadores de serviços da Vale também deram seguidos prejuízos ao comércio de Parauapebas, Segundo o empresário Daniel Lopes da empresa Paulistinha, o prejuízo geral ultrapassa a casa dos R$ 100 milhões.

Os empresários receberam total apoio da Câmara e estudam outras medidas para forçar a Vale quitar o débito. Não está descartada a interdição da portaria da Vale por tempo oindeterminado. Ainda segundo um empresário, além de conivente, já que deixa as empreas deitarem e rolarem às custas do empresário local, não incluindo nenhuma cláusula contratual para prevenir a bandalheira geral, a Vale é no nimo receptadora de produtos adquiridos de forma fraudulenta (partindo do pressuposto que os produtos e serviços são aplicados em Carajás).

Obra de Belo Monte poderá incluir derrotados e desistentes


RIO XINGU, PERTO DE ALTAMIRA, QUE RECEBERÁ OS IMPACTOS DA OBRA
Realizado ontem, 20, o leilão da usina de Belo Monte, localizada a cerca de 60 quilômetros de Altamira, envolveu uma intensa guerra jurídica, que terminou com um recurso junto a Justiça federal do Pará , que cassou uma liminar auizada pelo Ministério Público Federal de Altamira.

O consórcio liderado pela estatal Chesf, Queiroz Galvão e pelo grupo Bertin ganhou o leilão de Belo Monte, entretanto, o governo Lula já avalia que haverá negociações para a formação definitiva do grupo que tocará o projeto, que pode envolver até empresas que saíram derrotadas. Em outras palavras, o consórcio final será diferente daquele que ganhou oficialmente a disputa ontem. "A obra é muito grande, tem espaço para todo mundo", disse um dos assessores de Lula, que aposta na possibilidade de as empreiteiras Camargo Corrêa e Odebrecht negociarem com o consórcio vencedor para tocarem as obras de engenharia civil da usina. O governo estuda a inclusão da Andrade Gutierrez -que era considerada pelo mercado o favorito na disputa.

Dentro do próprio governo, a avaliação é que o resultado surpreendeu porque o grupo encabeçado pela Andrade estava mais bem estruturado para o leilão, contando com autoprodutores de energia importantes, como Vale e Votorantim.

A equipe de Lula trabalha ainda com a informação de que Cemig, Suez e os fundos de pensão Funcef e Petros também irão negociar com os vencedores, classificados no mercado como "azarões" por terem se formado de última hora.
Também demonstraram interesse em se associar ao grupo vencedor algumas empresas autoprodutoras de energia, como CSN, Braskem e Gerdau (que usarão a produção da usina para consumo próprio).

O governo quer evitar classificar publicamente o consórcio vencedor como um "azarão" ou surpresa para não colocar em dúvida a construção da usina. Além disso, trabalha com a expectativa de negociações entre as empresas para dar mais "musculatura" ao grupo vencedor, segundo definição de um assessor de Lula. "O empreendimento é muito grande. Todo mundo espera que o consórcio vencedor, no mínimo, subcontrate outras empreiteiras", afirmou à fonte do governo.

Preocupado com a construção da usina, o governo já havia decidido que a Eletronorte iria integrar o consórcio vencedor e seria a operadora da usina. A empresa é considerada a estatal que detém mais conhecimento da obra, por ter sido a responsável pelos estudos de viabilidade da usina.

Os dois consórcios, por sinal, disputavam a estatal. Inicialmente, o governo chegou a decidir incluir a Eletronorte no consórcio liderado por Queiroz Galvão e Bertin exatamente para fortalecê-lo. Recuou depois de pressões da Andrade Gutierrez. Apenas a entrada da Eletronorte já provocará mudanças na composição do consórcio.

Na inscrição, a estatal Chesf ficaria com 49,9% do grupo. Agora, a Eletronorte ficará com 30% a 35% do consórcio, e a Chesf, com o percentual restante, para completar os 49,9% que ficarão com as subsidiárias da Eletrobras.

Além disso, as empresas de engenharia tinham um total de 40% na composição do grupo. Pelas regras do edital, na assinatura do contrato, esse percentual terá de ser de até 20%.


(Fonte : Folha online)

terça-feira, 20 de abril de 2010

Planalto tenta contornar "guerra judicial" para leiloar Belo Monte hoje

FOLHA ONLINE - Apesar de decisão judicial contrária, o governo espera realizar hoje o leilão da usina de Belo Monte. Ontem, minutos depois de ser informado de nova liminar suspendendo o leilão, o governo entrou com recurso para cassar a decisão.

A liminar de ontem foi concedida pelo juiz Antonio Carlos Almeida Campelo, de Altamira (PA), que atendeu um pedido do Ministério Público Federal. Essa é a segunda tentativa do MPF de brecar o leilão da usina, orçada em cerca de R$ 19 bilhões e um dos maiores projetos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Na semana passada, Campelo já havia aceitado o primeiro pedido dos procuradores da República no Pará e suspendido o leilão. Mas a liminar foi cassada na sexta pela AGU (Advocacia-Geral da União), que entrou com recurso no TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª região, com sede em Brasília.

Novo recurso foi apresentado ontem ao TRF. "Se o presidente do tribunal conceder essa suspensão, o leilão acontece normalmente", disse o advogado-geral da União, Luis Inácio Adams. Questionado sobre eventual adiamento do leilão, afirmou: "Não creio que isso vá acontecer". Segundo ele, o governo não foi pego de surpresa.

A decisão de ontem contesta o licenciamento ambiental. Na liminar da semana passada, era questionado o descumprimento do artigo 176 da Constituição, que obriga a criação de lei específica no caso de hidrelétricas em terras indígenas. O governo alegou que não haverá obras nesse tipo de território.

O Planalto trabalhava ainda com a informação de que há outras duas ações sendo analisadas pela Justiça Federal pedindo a suspensão do leilão. Pelas regras do leilão, ganhará a licitação a empresa que oferecer a menor tarifa, respeitado o teto de R$ 83 por MWh definido pelo governo. Concorrem dois consórcios. Se a diferença de preço for igual ou menor do que 5%, haverá uma segunda etapa de ofertas, na qual cada participante dá seu lance e o outro competidor decide se faz um lance menor ou não.

Inicialmente, o leilão seria disputado por dois grandes consórcios, mas a desistência de Camargo Corrêa e Odebrecht, que consideraram baixo o teto da tarifa de energia, levou o governo a negociar com várias empresas a formação de novos consórcios para disputar o leilão de Belo Monte.

Doze empresas se alistaram para serem parceiras da Eletrobras na disputa. O governo tentou, mas não conseguiu articular a formação de três grupos competidores. Após a divulgação de benefícios como o abatimento de 75% do Imposto de Renda e de aumento do valor do financiamento da obra pelo BNDES (para até 80% do total), dois grupos se formaram: o liderado pela Andrade Gutierrez em parceria com Furnas, e outro comandado por Queiroz Galvão e Chesf.

A Eletronorte entrará posteriormente no consórcio vencedor. Há ainda a possibilidade de que outras empresas também entrem como sócias.

Muros baixíssimos

Parauapebas é mesmo uma terra de muros baixíssimos. Aqui se vê de tudo, até boi voar.

Só em Parauapebas uma "veia" de 80 anos é engoveira e religioso pega a baba da macaúba todo fim de mês (aliás, pegava).

Aqui uma trupe de forasteiros manda prender e soltar, detém toda a grana da cidade e humilha a população, ao esfregar na cara de todos a recente riqueza recém-adquirida de maneira pouco convencional, para não irmos muito longe. Nessa cidade negócios escusos, feitos na calada da noite não resistiriam a cinco minutos de auditoria, mas não há quem proceda as tais auditorias.

Para falar a verdade, essa cidade incrustada no sopé da serra só serve mesmo para arcar com alguns milhõesinhos para bancar campanhas eleitorais dos "vagabas" de Belém. Quando se trata de beneficiar a cidade, como por exempplo, dotá-la de um campus da Universidade Estadual do Pará (UEPA) que iria beneficiar cerca de 10 mil alunos do Ensino Médio, o município é solenemente esquecido, em favor de outros menos importantes, como Xinguara (que me perdoem os xinguarenses, que também merecem, mas é a verdade). Nessa queda de braço não dá para condenar a competência do prefeito Davi Passos e sim deplorar a inércia do nosso, que toda semana está em Belém, saracoteando nas rodas palacianas e não cuida dos interesses do município.

A batata anda tão rasa por essas plagas que nunma roda política no início da semana muito se falou de um camarada que é tido e havido na city como uma eminência parda do (des)governo. Outrora o indigitado deu com os burros n'água na prefeitura de São Domingos, sendo demitido por excesso de incompetência, mas aqui ninguém está interessado em currículo, prevalecendo o compadrio e as indicações que vêm das esferas superiores, de gente que não tem o menor vínculo com Parauapebas. Enquanto esteve em outro setor o sujeito deu amplas demonstrações de incompetência explícita, como orientar o prefeito a gastar dinheiro a rodo e por conta de uma grana preta que estaria prestes a abarrotar os cofres do município e que no final não passou de um devaneio. Também é de sua autoria a orientação para que um secretário municipal ignorasse uma convocação da Câmara, ocasionando um grande choque entre os poderes e finalmente claudicou na confecção de uma simples ata de convenção, o que quase colocou a candidatura do prefeito Darci no vinagre, isso pra não falar em grana de loteamento, homodialise etc, etc e etc.

Pois, veja só a que ponto chegamos, o que não serve para São Domingos está de bom tamanho para Parauapebas.

,

Tasso vê rancor em Dilma e ‘paz e amor no Serrinha’

O senador Tasso Jereissati, cacique da etnia tucano-cearense, reuniu a tribo para esboçar a estratégia da campanha de José Serra no seu Estado.

Os repórteres instaram Tasso a comentar declaração atribuída ao presidente do PT, José Eduardo Dutra.

O mandachuva petista dissera que Serra faz elogios simulados a Lula para achegar-se ao eleitorado que venera o presidente. E Tasso, entre risos:

"O presidente do PT deveria se preocupar mais com a agressividade, com o aspecto rancoroso da sua candidata, do que com a paz e o amor do nosso Serrinha".

Famoso pelas divergências internas que lhe renderam a fama de inimigo cordial de Serra, Tasso se esforça agora para demonstrar unidade.

Expressa a suposta união de maneira peculiar: "Dizem que Serra não gosta do Nordeste. E dizem até que eu não me dou bem com ele...”

“...É verdade que eu não o acho bonito e nem cheiroso. Mas, na época em que ele foi ministro do Planejamento, ajudou a fazer o [açude] Castanhão".

O senador planeja levar Serra ao Ceará pelo menos cinco vezes durante a campanha.

Uma parte dos índios da tribo cobrou do cacique o lançamento de um candidato tucano ao governo cearense.

Tasso disse que, havendo consenso, não se opõe à ideia. Mas diz que as pesquisas desrecomendam esse caminho.

Costura sua reeleição ao Senado em “aliança branca” com o governador Cid Gomes (PSB), irmão do velho amigo Ciro Gomes.

A propósito, Tasso aproveitou os holofotes para sair em socorro de Ciro. Disse que Lula e o PT o tratam de forma indigna.

"O que se fez com um aliado da categoria de Ciro realmente mostra do que o PT é capaz de fazer com seus aliados quando quer uma coisa...”

“...Acho que ele foi usado e agora está sendo jogado fora porque não interessa. [...] É de uma perversidade que não tem tamanho".

Para Tasso, Ciro “foi tratado pelo governo e pelo PT de maneira cruel. Foi esvaziada e desidratada sua candidatura de maneira quase que perversa”


(blog do Josias)

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Mais um dia sem net

Mais uma dia sem net, mais um dia sem postagens ou moderação de comentários. Na falta do que fazer, todos ao boteco do Baixinho para jogar conversa fora. Boa noite leitores, amanhã com a graça de Deus voltamos à ativa.

domingo, 18 de abril de 2010

Proprietáros de blogs serão responsabilizados pelos comentários anônimos

Autores e editores de blogs passarão a ter mais cuidado com a liberdade dos comentários publicados. Projeto de lei apresentado essa semana na Câmara dos Deputados, os responsabiliza por comentários que envovam difamação, calúnia e injúria feitos em comentários anônimos ou de identidade não confirmada.

Pelo projeto, todos os blogs, fóruns e demais sítios de Internet com funcionalidades semelhantes serão obrigados a instituir mecanismo de moderação de comentários.A proposta é rigorosa e estabelece multa de R$ 2 mil a R$ 10 mil, caso o responsável pela página eletrônica de opinião não cumpra o que está estabelecido na lei. Se houver reincidência, o valor da punição ainda será dobrado. Os recursos das multas, segundo o projeto, serão revertidos ao Fundo Nacional de Segurança Pública.

Na avaliação do autor da proposta, deputado Gerson Peres (PP-PA), essa lacuna legal permiteque esses mecanismos de internet, com todo o seu poder de difusão associado, sejam usados, em muitos casos, de forma fraudulenta, para a prática de crimes contra a honra das pessoas, sem que os autores de tais crimes possam ser responsabilizados.CRIMES"Além disso, as áreas de comentários de muitos desses sítios permitem que os usuários publiquem comentários de forma anônima, ou não que sejam passíveis de identificação, o que faz com que essa funcionalidade seja usada também com finalidade fraudulenta e para a consecução de crimes contra a honra.A solução para essa situação passa necessariamente pela transferência da responsabilidade dos comentários anônimos para o proprietário do blog, e a instituição da obrigação de que tais mecanismos tenham a área de comentários moderada, para permitir a análise prévia das mensagens antes da publicação", diz o projeto.

O deputado reforça que o projeto de lei tem o objetivo de estabelecer as normas básicas de responsabilização civil e penal dos autores, proprietários e editores de tais sítios no caso de publicação de mensagens anônimas. "É evidente que todo o conteúdo publicado em um sítio, blog ou sítio de internet com finalidade similar é de responsabilidade de seu proprietário, autor ou editor, para efeito de responsabilização quanto à ocorrência de crimes contra a honra, pois estes são os mantenedores dos recursos, assim como os beneficiários de suas receitas publicitárias".

O projeto introduz ainda a obrigação para que os blogs e demais sítios com finalidades similares sejam cadastrados no sítio governamental registro .BR, de forma não onerosa, permitindo, assim, um mecanismo eficiente de identificação dos proprietários. (ORM/Editado(a) por Jussara Seixas)

Prefeito abelha

Pegou muito mal a notícia publicada em alguns meios de comunicação, dando conta que o prefeito de Parauapebas é uma abelhinha (quando não está voando, está fazendo cera). Segundo o Blog do Zedudu, em 2010, o nobre prefeito passou na terrinha apenas 19 dias. O restante do tempo esteve voando (ou fazendo cera). Se perguntarem ao digníssimo o que fazia gastando o dinheiro do pvo, ele tem a resposta na ponta da língua. Está em busca de recursos para o município.

Pode até ser, o problema é que essses recursos nunca aparecem e os que aparecem ele gentilmente dispensa.

A propósito, um Parauapebense que por não achar espaço no governo foi obrigado a prestar serviços no Amapá e em auguns projetos no estado do Maranhão disse que encontrou o prefeito nos vôos em três oportunidade. Ele acha que é conscidência, entretanto, o cidadão poderia supor que fosse a l ei da probabilidade. Se encontrou ele em trê vôos é porque o cara vôa muito.

Perguntar não ofende: o que será que ele tanto faz em Belém? Mistério... Se quer curtir, já vai tarde, só não precisa ir com o meu dinheiro e com o da população.

Agora vai


Lembram do prédio da prefeitura (foto), inaugurado com pompa e circunstância em dezembro passado? Pois é, depois de ele pronto descobriu-se muitas falhas do projeto, como por exemplo, a falta de instalações internas para ar condicionado e internet. Conclusão: mais uma grana preta pra quebrar tudo e dptar o prédio desses aparatos, que hoje em dia são obvios.


Enquanto isso, o povo de Parauapebas continuou pagando uma grande preta de aluguel naquele barração melhorado, na beira do rio. Agora, segundo informação de fonte bem informada da prefeitura, a girigonça, melhor, o prédio será colocado em funcionamento ainda em abril. Vamos aguardar.

sábado, 17 de abril de 2010

Resenha política

O PSDB pode ter candidato a deputado federal de Parauapebas. Trata-se de Lúcio da Cerâmica, que nas eleições de 2008 foi candidato a vereador e foi muito bem votado. ### Segundo as informações que chegaram, o convite já foi feito, mas até o momento o rapaz ainda não se definiu. ### Bel Mesquita esteve a quarta-feria na Câmara de deputados articulando e tentando convencer os deputados a votar para aprovação do regime de urgência para o projeto do plebiscito dos futuros estados do Carajás e Tapajós. ### Bel Mesquita, Giovanni Queiroz, Lira Maia, Asdrúbal Bentes, Zequinha Marinho, Wandenkolk Gonçalves lutaram muito para garantir a presença necessária de deputados no plenário e no final, os pedidos de urgência para aprovação do plebiscito dos dois novos estados foram aprovados. ### No caso do estado do Carajás , 261 deputados votaram a favor da urgência na votação do plebiscito, 512 votaram contra e 13 optaram pela abstenção. ### Em plena fase de contatos, o pré-candidato a deputado federal pelo PPS, Josemir Santos não tem descansado. Na semana passada ele esteve em um evento da Igreja Adventista do 7º Dia, em Marabá e seu nome foi muito bem aceito. ### Nem é preciso dizer que ele Josemir, está muito satisfeito pela receptividade que seu nome vem encontrando. ### A sessão legislativa de terça-feira foi antecipada para segunda. A razão é que alguns vereadores tinham que viajar à capital federal para junta ao lobby pelo Estado do Carajás. ### Faisal Salmen não pôde seguir com a caravana para Brasília. É que ele estava encarregado de recepcionar o ex-governador Simão Jatene, que esteve no município ontem, quinta-feira. ### Outro também que não viajou foi o presidente da Casa, Adelson Fernandes (PDT). Com o moço tinha que resolver alguns problemas de ordem interna, ele ficou no município. ### O PDT tem se reunido freqüentemente e a pauta é uma só. A saída do partido do governo. Muitos sabem que é preciso sair, entretanto, tem gente que não quer largar o cargo de jeito nenhum. ### A última para terminar. O vereador Israel Barros ‘Miquinha’(PT) garantiu à coluna que não vai renunciar ao cargo de vereador, mas pretende entregar a primeira secretaria da Câmara. Miquinha quer um pouco de sossego para restabelecer a saúde. A coluna deseja saúde ao vereador.

Prefeitura vende água tratada para lava-jatos


Em uma cidade onde cerca de um terço da população convive há quatro com um odiado racionamento, outro terço com água uma, ou duas vezes por semana, enquanto o restante que reside nos bairros periféricos nem sonha com água na torneira e depende do abastecimento de água dos caminhões-pipas para fazer frente as necessidades domésticas, soa como um acinte a venda de água potável para lava-jatos da cidade.


Pois é isso mesmo que tem ocorrido. Um documento entregue à redação do jornal HOJE coloca a nu uma situação que beira ao acinte, principalmente quando se considera as dificuldades para a população conseguir o líquido vital.O documento é assinado por uma engenheira dos Serviços Autônomos de Água e Esgoto de Parauapebas (SAAEP) e autoriza expressamente o abastecimento de água potável a um lava-jato do bairro da Paz. Segundo a fonte a venda de água para os lava-jatos é recorrente na SAAEP. A autorização mostra 10 mil litros são vendidos a R$ 97,10.


Implantado em 1997 em Parauapebas, o sistema de distribuição de água durante muito tempo contemplou toda a cidade. No início do primeiro mandato do atual prefeito Darci Lermen e com a expansão da cidade, descobriu-se que a água não dava para todos e que era necessário ampliar a oferta de água. Era preciso que fosse instalado o sistema de rodízio. Anunciado com uma solução provisória, o racionamento foi ficando e hoje já faz parte da vida da cidade.


Nesse período foram gastos cerca de R$ 20 milhões para aumentar a capacidade de oferta de água, que não funcionou.Os bairros novos uma iniciativa que só se conhecia pelos noticiários da TV passou a fazer parte do cotidiano de Parauapebas.


A distribuição de água por meio de caminhões-pipas. Além da solução ser deficiente a população dessas áreas reclamam que a demanda é infinitamente maior do que a oferta, o que tem gerado insatisfação por parte das comunidades. Diante disso, chega a ser imoral a atitude da SAAEP, que não consegue atender a população com água e mesmo assim vende água tratada para a lavagem de carro.


Na quarta-feira, na parre da tarde, a reportagem esteve na SAAEP para receber esclarecimentos, mas foi informada na portaria que não havia ninguém na autarquia e que não havia plantão após às 14 horas.

Falta tudo

Alguma coisa precisa ser feita no Hospital Municipal. Não é possível que com a grana que entra na secretaria de Saúde ainda aconteça caso de pessoas que recorrem aquela casa de saúde (?) e descubram que no hospital não tem o mínimo do mínimo, como seringa descartávei, esparadrapo, medicamentos da cesta básica e outros. Alguém precisa fazer algumas, coisa, resta saber, quem

Adote um buraco

O leitor Isaias Silva morador do bairro da Paz esteve no jornal HOJE e faz a seguinte sugestão: os meios de comunicação de Parauapebas deveriam iniciar a campanha “Adote um buraco”. Cada morador adotaria um buraco e cuidaria dele com muito carinho, como se fosse um filho. Com certeza haveria buracos para todos.

Coisinha mais sem graça, mas que reflete o espirito gozador da população, que não falta de uma alternativa melhor, apenas faz chacota de tudo e de todos.

Antes tarde do que nunca

Nos seus momentos de sabedoria explícita, a velha gorda costumava brindar os presentes com algumas pérolas. Se não fossem as preciosas verdades que se escondiam em meio a alguns palavrões e respostas “atravessadas”, se diria que a velha estaria “bicuda”. Ainda que fosse adepta de uma boas talagadas, quando ela se reunia para destilar algum veneno e provérbios interessantes ele se abstinha da cachaça. Não era de sua autoria, mas ela costuma dizer que era melhor aprender tarde do que morrer besta. Os pensadores, os eruditos talvez dissessem que era mulher mudar de idéia do que não ter idéia para mudar.

Trocando em miúdos, ao fim e ao cabo, os dois ditos populares representam a mesmíssima coisa e poderiam ser aplicados ao recuo do Poder Executivo, que em boa hora mandou matéria para Câmara revogando o aumento da Unidade Fiscal do Município (UFM). O projeto de lei foi aprovado, na segunda-feira, numa sessão legislativa extraordinária. Não se sabe as razões que fizeram o Executivo mudar de idéia, afinal de contas, sensibilidade social nunca foi seu forte, mas, é melhor tarde do que nunca.

É preciso dizer que aprovação já foi uma pixotada em dose dupla. Do Executivo que foi o autor da idéia maravilhosa e do Legislativo, que no afã de sair para o recesso do final de ano, não analisou o projeto com a profundidade que o caso requeria e muito menos as suas implicações.

De repente, com se fosse uma sangria desatada, todos os segmentos da cidade se voltaram contra a Administração Pública ameaçando romper o frágil equilíbrio que ainda existe. Mototaxistas, vanzeiros e taxistas, revoltados com a majoração de 100% passaram a ameaçar paralisar o tráfego da cidade; comércio, indústria e prestadores de serviços com os alvarás de funcionamento nas alturas pressionaram a Associação Comercial, que por meio da sua assessoria jurídica expediu comunicado dizendo que a cobrança era inconstitucional, o que na prática significava dizer ninguém deferia pagar. No plenário da Câmara, o vereador Faisal disse com todas as letras que o cidadão não deveria pagar a nova tarifa de água.

Não seria exagero dizer que o clima de insatisfação por pouco não desaguou em anarquia geral. Para evitar a completa desmoralização, a prefeitura passou a negociar com cada segmento a redução das taxas. Primeiro foi o transporte alternativo, depois, foi a vez dos comerciantes, que também receberam a promessa da redução da taxa.

Não restava alternativa. Desse episódio desastrado deve ficar ao menos a lição de que a sociedade não agüenta mais tanto arrocho, principal mente quando se sabe que o dinheiro que entra nos cofres do município desaparece de maneira misteriosa e sem a devida prestação de contas.

(artigo publicado no jornal HOJE - edição 409 - Coluna do Marcel)

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Isenção fiscal no projeto "Minha casa, minha vida"

Em virtude da viagem à Brasília de alguns vereadores, a sessão legislativa, realizada habitualmente nas terças-feiras foi antecipada para segunda, 12.

A pauta ficou restrita a três projetos de Lei, de autoria do Poder Executivo. Por conta de um requerimento especial, os projetos foram aprovados em uma única discussão.

O projeto de Lei 001/10 dispôs sobre a revogação e alteração da Lei 4.399/09, que autorizava o Poder Executivo majorar a Unidade Fiscal do Município (UFM) em 100%.

A medida, posta em prática no início de 2010 teve como conseqüência a majoração de todas as taxas municipais, desde os alvarás de funcionamentos do comércio, indústria e setor de serviços, licenças para taxistas, mortataxistas e vanzeiros e até tarifa de água. Em todos esses casos foram verificados aumentos médios de 100%, mas, em casos específicos da tarifa de água, houve casos onde o aumento chegou a 600%.

Por causa do reajuste considerado abusivo, vários setores da sociedade se manifestaram contrariamente, de modo que o projeto que revogava os aumentos é uma sinalização do governo municipal, o que deve acalmar os ânimos de vários segmentos.

O novo projeto autoriza o Executivo a conceder descontos, dispensar juros, multas e demais acréscimos referente a débitos fiscais de tributos vencidas até 31 de dezembro de 2008, que vierem a ser liquidadas pelos contribuintes até 31 de dezembro de 2010.

O artigo 3º garante aos contribuintes o direito à compensação de crédito, restituição daqueles que haviam pagos as taxas municipais indevidas.

Isenção - O projeto de Lei 002 concedeu isenção fiscal de tributos municipais a construção de moradias em imóveis localizados em zona especial de interesse social e inseridos em programa habitacional do governo federal “Minha casa, minha vida”.

A isenção fiscal é uma exigência do projeto do governo federal para que as 1000 casas que serão construídas em Parauapebas tivessem um baixo custo.

A isenção abrange o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) a administração, empreitada, ou subempreitada, obras de construção civil, elétrica, hidraulica, impostos sobre Transmissão de Bens Imóveis, (ITBI) e outras providências.

Em entrevista ao jornal , o presidente da Câmara, Adelson Fernandes (PDT) afirmou que a isenção era uma exigência do projeto que faz parte do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) e que o município corria o risco de ficar sem o investimento se não fosse aprovada a isenção.

Fechando a pauta, o projeto de Lei 003/10 dispôs sobre a declaração da zona especial como de interesse social. A área em questão é o futuro bairro dos Minérios que receberá 1000 casas do programa “Minha casa, minha vida’, do governo federal.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

A Agenda movimentada de Jatene

Jatene com Faisal e Wandenkolk

Cumprindo uma agenda movimentada o ex-governador Simão Jatene esteve em Parauapebas hoje a tarde, onde particpou de uma reunião política na residência do vereador Faisal Salmen, no bairro da Paz.

Acompanhado do deputado federal Wandenkolk Gonçalves, Jatene concedeu entrevista à imprensa local. A noite o ex-governador ministrou palestra na sede da Associeação Comercial e Insdustrial de Parauapebas (Acip).

Jatene será candidato a governdador pelo PSDB.

O vira-latas


Enquanto a cidade se perde em meio a buracos e lama, esse cão vira-latas, de uma maneira cândidata até, toma banho numa poça de lama do bairro Jardim Canadá e aproveita para mitigar a sede.
Uma cena que poderia ser reproduzida num quadro, mas, desconfio que alguns o achariam de mau gosto, por retratar a contundente realidade.

Pauta de reivindicação

essa é a pauta de reivindicações dos es tudantes do Ensino Médio de Parauapebas - MEP(Movimento Estudantil de Parauapebas Pró-Campus Universitário).

Uma delegação de estudantes de Ensino Médio (de escolas públicas e particulares) de Parauapebas, composta por 23 estudantes e 2 professores, representando o Movimento Estudantil Pró-Campus Universitário, estará embarcando hoje (15 de abril), às 13 h, com apoio da Prefeitura Municipal de Parauapebas, para a capital do Estado, Belém, para reuniões agendadas com representantes do Governo do Estado, da Secretaria Estadual de Educação (SEDUC) e das universidades públicas (UFPA e UEPA).

As reuniões acontecerão nesta sexta-feira (16 de abril) pela manhã. Nos encontros os representantes do Movimento Estudantil Pró-Campus Universitário apresentarão uma Pauta de Propostas e Questionamentos aos interlocutores que foi elaborada ao longo destas semanas de mobilização, cujo ápice foi o fechamento da Portaria da Flona, que dá acesso à Mina de Carajás, na sexta-feira passada.A pauta de reivindicações e questionamentos é a seguinte:1. Pauta de Reivindicação1.1. viabilizar a construção (imediata) de campus universitário:1.1.1. da UFPA;1.1.2. do IFPA;1.1.3. da UEPA;1.2. viabilizar o oferecimento de cursos superiores da UEPA imediatamente para Parauapebas;1.3. realização do Vestibular 2011 da UEPA em Parauapebas;1.4. contratação imediata de professores para escolas da rede pública de Ensino Médio:1.4.1. Química;1.4.2. Física;1.4.3. Biologia;1.5. Construção imediata de novas escolas de Ensino Médio em Parauapebas:1.5.1. objetivo: fim do turno intermediário;1.5.2. melhores condições de ensino e aprendizagem nas escolas públicas;1.6. agendar (de imediato) audiência pública em Parauapebas para discutir as propostas dos estudantes.2. Questionamentos:2.1. Por que ainda não existe campus das universidades públicas em Parauapebas2.2. Quem pode decidir ou responder sobre o problema do campus universitário em Parauapebas2.3. Como podemos ter garantias de que veremos campus universitário em Parauapebas2.4.

O que é necessário (ou está faltando) para a construção do campus universitário em Parauapebas.

(fonte: Leo Mendes)

Estado do Carajás muito perto

São quase 2 da madruga. Enquanto adianto o jornal de sexta-feira faço um tour pelos blogs. No do Patrick Roberto, de Marabá encontrei o que procurava: noticias da sessão que deixou o estado do Carajás ao alcançe da mão.

O movimento pela criação do Estado de Carajás, reunindo 38 municípios do sul e sudeste do Pará, conseguiu uma vitória histórica na noite desta quarta-feira (14) na Câmara Federal. Dos 328 deputados presentes ao plenário, 261 votaram a favor da urgência do projeto que propõe o plebiscito. Com isso, a proposta não precisará mais adormecer por meses a fio em comissões da Casa e poderá ser votada a qualquer momento no plenário. Tapajós também teve o mesmo avanço, com 265 votos favoráveis, para comemoração das bancadas das duas regiões.

Um grande número de prefeitos e vereadores do sul e sudeste do Pará, assim como da região oeste foram para Brasília em caravana para fazer lobby a favor do projeto junto a deputados de seus partidos. O trabalho de base bem feito pelos deputados Giovanni Queiroz (PDT), Asdrubal Bentes (PMDB), Bel Mesquita (PMDB), Wandenkolk Gonçalves (PSDB) e Zequinha Marinho (PSC), já garantia a aprovação, porém era necessário contar com comparecimento em massa dos parlamentares em plenário na hora da votação.

A expectativa foi frustrada na terça-feira (13) justamente pelo quórum baixo na Câmara. Somente às 20 horas desta quarta-feira, já em sessão extraordinária, é que foi votado o requerimento de urgência para o Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 159-B de 1992, de autoria do deputado Giovanni Queiroz, que autoriza realização de plebiscito para deliberar sobre a emancipação do sul e sudeste do Pará.

A proposição do mesmo interesse, porém de origem do Senado Federal, de autoria do senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO), PDS 2300 de 2009, que autoriza plebiscito para criação do Estado de Tapajós, que pode emancipar o noroeste do Pará, tramitou junto e também fazia parte do requerimento de urgência.

Debate - Mesmo estando em discussão apenas a urgência e não o mérito, os discursos foram acalorados pelo sim e pelo não. Na primeira votação, a de Tapajós, Zenaldo Coutinho (PSDB/PA) pegou pesado contra a redivisão, exigindo que o projeto fosse melhor avaliado nas comissões da casa. Lira Maia (DEM), que é da região oeste, foi quem falou a favor e, emocionado, lembrou que a luta tem mais de 10 anos. “Essa divisão pode não ter acontecido no papel, mas para nós que vivemos lá, Tapajós já existe”, completou.

Dito isso, o deputado Michel Temer (PMDB), que presidia a sessão, ouviu os líderes partidários sobre o encaminhamento. PMDB, PT, DEM, PTB, PR, PV, PSC, PDT e PPS, todos indicaram sim as suas bancadas. O PP liberou seus deputados para o voto, enquanto o PSOL encaminhou pelo não. O PSDB, apesar da fala contrária do líder João Almeida e da manifestação deste pelo não, ele liberou a bancada.

Com isso: 265 deputados votaram sim, 51 pelo não e 13 se abstiveram. Da galeria, era possível ouvir gritos de comemoração.

Em seguida, Temer abriu discussão sobre o plebiscito de Carajás. Novamente foi Zenaldo Coutinho quem falou contra, desta vez com mais veemência, dizendo que seria irresponsável aprovar Carajás sem um estudo técnico aprofundado em comissões do Congresso.

Quem falou a favor, com o tempo de 5 minutos, foi Giovanni Queiroz, autor do projeto. Ele falou da luta histórica de mais de duas décadas e da formação histórica da região, com pessoas de todas as regiões do País. Ele citou, por exemplo, que dos 1,3 milhão de pessoas que vivem aqui, 275 mil são maranhenses, 58 mil são goianos e 133 mil são mineiros. O discurso nesse sentido tentava sensibilizar os deputados de outros estados.

Queiroz encerrou dizendo que ao deixarem o povo decidir o seu futuro, os parlamentares estariam fazendo um resgate da verdadeira vocação desenvolvimentista do Norte do país, sem, com isso, prejudicar o que restará do Pará, territorialmente ainda com o tamanho do Estado de São Paulo.

Como a matéria é a mesma, Michel Temer apelou aos líderes para manterem os encaminhamentos e foi o que aconteceu. Apesar disso, Ivan Valente (PSOL) e João Almeida (PSDB) não deixaram de novamente criticar o projeto.

Ronaldo Caiado (DEM/GO) e Pompeu de Matos (PDT/RS) foram enfáticos na defesa do direito dos paraenses de se manifestarem em plebiscito sobre a redivisão. Wandenkolk Gonçalves agradeceu a Temer por ter colocada a urgência em pauta, enquanto Bel Mesquita convocou o PMDB para votar em peso.

Asdrubal Bentes, que também fez vários telefonemas para convocar deputados para votar, pois o quorum era baixo, ainda fez encaminhamento pela aprovação, lembrando que há 21 anos, quando da apresentação do seu projeto, o tema já era discutido no Congresso. “Hoje é um dia histórico. Estamos dando ao povo o seu sagrado direito de se manifestar”.

Quando da votação: 261 votaram sim, 53 pelo não e 14 ficaram em abstenção. A aprovação novamente foi motivo de festa na galeria entre os políticos e no plenário entre os deputados favoráveis.

EstratégiaApós a aprovação da urgência, Asdrubal Bentes disse que a vitória foi fundamental, mas que ainda depende da votação em plenário, para a qual o movimento terá ainda de trabalhar com mais vigor para convencer os deputados que ontem votaram pelo não e ainda para garantir a presença dos parlamentares que não estavam em plenário nesta quarta-feira. Ele considera que a votação pode sair até o final de abril.
(Blog do Patrick Roberto)

O drama de Leandro


Leandro Claros dos Santos, morador da rua São Paulo agoniza em plena via pública. Ele a cidade, expondo seu problema. Mesmo muito doente ele bebe e diz que bebe para enfrentar o seu drama. A bebida revela realmente sua desesperança, mas, as suas precárias condições de saúde mostram que alguma coisa de muito grave acontece no sistema de saúde da cidade.
De acordo com o relato do jovem, no início de janeiro ele sofreu um acidente de moto, no qual teve fratura exposta no pé esquerdo. Hoje, passados três meses, Leandro caminha pelas ruas de muleta e com dificuldade. O pé esquerdo inchado tem uma ferida bastante necrosada. A fratura exposta mostra que se nada for feito, ele pode ter o pé amputado.
Ele conta que ficou hospitalizado durante dois meses no Hospital Municipal de Parauapebas (HMP), “ fiquei hospitalizado mas os médicos disseram que não poderiam fazer a cirurgia e me colocaram no programa TFD, mas nunca fui encaminhado para tratamento fora do município aí eu sai do hospital".
Segundo o jovem, na última quarta-feira, ele conversou com o secretário de Saúde, Evaldo Benevides. Na entrevista com o secretário, Leandro diz que foi tratado com descaso, razão pela qual ele procurou o representante do Ministério Público para denunciar. Ainda segundo o relato do paciente, Um oficial de justiça entregou uma notificação ao diretor do hospital, requerendo providências.
O paciente continua esperando providências e bastante revoltado. Hoje vamos tentar falar com Evaldo Benevides e depois postaremos o resultado da conversa.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Jatene

Informações do próprio Faisal Salmen ao blog dão conta que amanhã, quinta-feira o ex-governador Simão Jatene estaria em Parauapebas. A informação surpreende porque não houve um esquema de mídia para nenhum evento envolvendo Jatene.

Descompostura

Na terça-feira uma comissão de estudantes do Ensino Médio, acompanhada dos professores Alderi Gonçalves, Wagner e Pedro Jaques, foi recebido para pelo prefeito, Darci Lermene.

Na cconversa, o prefeito teve que ouvir poucas e boas. Os estudantes não se comoveram com os argumentos do prefeito e aplicaram uma descompostura no gestor, que segundo a voz corrente da cidade, não brigou pelo interesses de Parauapebas por ocasião da localização dos núcleos da Universidade Estadual do Pará (UEPA). Segundo o que foi noticiado pela imprensa local, no dia da reunião que se ria determinada a localização dos núcleos, enhum representante de Parauapebas esteve na reunião. Resultado: município de menor expressão, c om Xinguara conseguiu levar o núcleo e Parauapebas ficou chupando o dedo.

Os estudantes têm razão. Ressalte-se que o prefeito deixa espalhar a informação que é amicíssimo da governadora. Fala-se muito mais ainda que o município foi um dos trem-pagadores da campanha da atual governadora e mesmo assim, não vem nada zpara Parauapebas. Vai ser ruim de serviço lá na baixa da égua, sô!

Miquinha fica

Ao contrário do que está sendo ventilado nas conversas e nas rodas políticas da cida de, o vereador Israel Barros, o "Miquinha" (PT) continuará no exercícioo do mandato de vereador. Em conversa reservada com o blogger, o vereador confidenciou que deve renunciar apenas ao cargo de 1º secretário da Câmara.

Em convelescência da enfermidade que foi acometido e que o afasstou por alguns meses de suas funções parlamentares, Miquinha descartou a hipótese de uma renúncia do mandato. "Não pretendo renunciar ao mandato que me foi confiado, mas devo diminuir o ritmo do trabalho, porque não posso continuar trabalhando demasiadamente, como vinha fazendo anteriormente", disse o parlamentar do Partido dos Trabalhaores.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Matando a cobra e mostrando o pau

Como o blog gosta de matar a cobra e mostrar o pau, postamos a capa do jornal HOJE 405, na qual denunciamos com exclusividade o aumento abusivo da UFM.

Depois da revogação do aumento do UFM, o HOJE mostra porque é o melhor jornal (ainda que nunca tenha ganhado prêmio algum.

Projetos aprovados na segunda

Em virtude do deslocamento de alguns vereadores à Brasília, a sessão legislativa, que habitualmente é realizada na terça-feira foi antecipada para ontem, segunda.

Na pauta, três projetos de autoria do Executivo. Dois deles são de muita importância e devem ser levados a público pelos órgãos de imporensa do município. Conforme já tinhamos alertado no jornal HOJE e no Blog, um projeto de Lei que isenta do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) as empresas que vão construir as casas do projeto do governo federal "Minha Casa, minha vida" . Em outras palavras, empreas de fora vão nadar de braçada e não vão pagar um tostão de impostos ao erário municípal, enquanto as empresas daqui pagam uma nota preta de tributos.

O outro projeto revoga o aumento da Unidade Fiscal do Municipaio (UFM) , denunciado no jornal HOJE, com máteira de capa, na e dição nº 405. O governo voltou atrás depois do desgaste generalizado e dos abusos das taxas de IPTU e de água, enfim, de todas as taxas municipais.

Parabéns para a prefeitura que reconheceu o erro e voltou atrás, para a Câmara que tinha aprovado um "bonde" e tem assim a oportunidade de se redimir do erro crasso da aprovação anterior, com a recomendação de que tenha mais atenção nas próximas matérioas oriundas do Executivo, que possam prejudicar a população e parabéns para o jornal HOJE, que não se calou, denunciou e não deixou cair no esquecimento a "tungada" que a população iria levar, sem a menor necessidade.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Esclarecendo

Referente a postagem "Até tu Hiroshi?", o comentário "Pela ética na imprensa" disse o seguinte: "Se você estivesse na Fopag II da Prefeitura, recebendo todo mes sem atrasos, também estaria dando uma força, e que força para o lorin".

Blçogger disse: "Meu amigo, não se esqueça que o jornal do qual sou editor (jornal HOJE) já prestou serviço para a prefeitura e até depositou muitas fichas nessa administração, entretanto algumas observações devem ser feitas:

1) na época (2005) o valor dos serviços era R$ 7 mil por mês, bem diferente da farra geral que foi instituída logo a seguir, na qual teve jornal que chegou a ganhar R$ 30 mil por mês.

2) quando o jornal HOJE prestou serviços para a prefeitura foi no primeiro ano do primeiro mandato, quando todo mundo acreditava que o governo tinha as melhores intenções de promover a mudança de fato.

O duro é saber que o governo desceu a ladeira, levou a breca e mesmo assim continuar apoiando, isso o HOJE não fez, nem o seu editor (no caso eu) e por isso mesmo está muito a vontade para criticar e dizer que já ganheir dinheiro, mas de fato prestei serviços. Nunca recebi para me calar.

Ze Dudu Neto está chegando


Hoje, 12, está previsto o nascimento do filhote do amigo e confrade Ze Dudu (foto acima) e Iris. O pimpolho deve se chamar José Rodrigues do Vale Neto.


Aos papais-corujas, as felicitações do blogger e estamos aguardando o mijo

Charge


Sem comentário.