"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha
de ser honesto".

(Rui Barbosa)


domingo, 31 de outubro de 2010

Alegria pela vitória de Jatene

Militantes invadem a praça Mahatma Gandhi
Adi, Faisal, Zé Rinaldo, Manoel e Flávio


Manifestação da alegria na noite de domingo


Uma grande manifestação de alegria na Praça Mahatma Gandhi aconteceu na Praça Mahatma gandhi, neste sdomingo, após o anúncio do resultado da eleição do Pará.
Partidários e apoiadores de Simão Jatene tomaram as dependências da praça numa festa que coloriu a Cidade Nova de amarelo, cor predominante do PSDB.
Na manifestação, Faisal Salmen, Zé Rinaldo, Adi, Charles Borges, Flávio Veras, Marcelo Catalão, Manoel da Bomdrim, Jeanne e Evandro, Flavio Soares, Josemir Santos do PPS, Kassio do PSDB, JPSDB e um grande número de militantes. Festa do tamanho do Pará.






























Jatene vence em Parauapebas e Santarém

Simão jatene venceu em Parauapebas e SatarémDois municípios comandados por prefeitos petistas.Parauapebas 63 % para Jatene e Satarém 68%O eleitor mandou o recado, agora se vão dar ouvidos é outra história!!!!
(Blog Wanterlor)

Jatene eleito governador do Pará




O ex-governador Simão Jatene, do PSDB, está matematicamente eleito para mais uma gestão à frente do Estado do Pará. Com 92 72% dos votos apurados, Jatene registrava 56,20% dos votos válidos, contra 43,80% da atual governadora Ana Júlia Carepa (PT). Do total de 4.763.592 votos no Estado, o novo governador recebeu até o momento 1.743.382 votos. Nem que a candidata do PT recebesse os 346.748 votos restantes, alcançaria Jatene na disputa. A eleição no Pará foi marcada pela perda de apoio da petista por parte do PMDB no fim do primeiro turno. Inicialmente ela era a favorita.O governador eleito tem 61 anos, é economista e professor universitário. Sua primeira eleição foi disputada em 2002, quando venceu Maria do Carmo (PT) no segundo turno para o governo do Estado. Na ocasião, Jatene priorizou a construção do Centro de Convenções Hangar e investiu também na área da saúde, com a construção de cinco hospitais regionais. Foram implantados também programas públicos de geração de emprego e renda, com forte apoio às empresas regionais e a atração de novas empresas para o Estado.

Em 2006 ele não disputou a reeleição e regressou à carreira de professor universitário em 2007. Nesta campanha, Jatene iniciou a corrida pelo governo em terceiro lugar, atrás de Ana Júlia Carepa e Jáder Barbalho. Ele passou para a liderança quando Ana Júlia perdeu o apoio do PMDB, no final de setembro, às vésperas da eleição em primeiro turno.

A última semana de campanha deste segundo turno foi embalada ao som do tecnobrega - estilo característico da região. Enquanto Ana Júlia Carepa levou a banda Calypso para sua propaganda eleitoral na televisão, Jatene levou Edilson Moreno e Super Pop. Nesta campanha, a propaganda de Jatene teve como tema principal a sustentabilidade para ganhar o eleitor. Seu mote foi "Pacto para um Pará sustentável".

Dilma Rousseff (PT) é eleita a primeira mulher presidente do Brasil.




FOLHAONLINE

Com 93,25% dos votos apurados, a candidata petista alcançou até o momento 55,43% dos votos válidos, tem 51,5 milhões de votos e matematicamente já não pode ser alcançada pelo tucano José Serra, que, com 44,69%, tem 41,4 milhões.

Votos nulos somam 4,4%, e brancos, 2,3%.

A abstenção gira em torno de 21,1%.

O eleitorado brasileiro é de 135 milhões de pessoas.

CANDIDATURA - Ex-ministra de Minas e Energia e da Casa Civil, Dilma foi alçada já em 2008 à condição de candidata pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que começou então a dar as primeiras indicações de que gostaria de ver uma mulher ocupando o posto mais importante da República.

Em 31 de março deste ano, Dilma deixou a Casa Civil para entrar na pré-campanha.
Cresceu nas pesquisas e chegou a ter mais de 50% dos votos válidos em todas elas, mas começou a oscilar negativamente dias antes do primeiro turno, após a revelação dos escândalos de corrupção na Casa Civil e da entrada do tema do aborto na campanha.

Logo no primeiro debate do segundo turno, reagiu aos ataques que vinha sofrendo e contra-atacou Serra. A partir daquele momento, a diferença entre os dois candidatos nas pesquisas parou de cair.

Dilma se torna neste domingo o 40º presidente da República brasileira.
NOME FORTE - Dilma tornou-se um nome forte para disputar o cargo ao assumir o posto de ministra-chefe da Casa Civil, em junho de 2005, após a queda de José Dirceu no escândalo do mensalão.

No comando da Casa Civil, Dilma travou uma intensa disputa com o então ministro da Fazenda, Antonio Palocci, por causa da política econômica do governo. Enquanto ele defendia aperto fiscal, ela pregava aceleração nos gastos e queda nos juros.
Dilma acabou assistindo à queda de Palocci, em março de 2006, devido à quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa.

Com a reeleição de Lula e sem grandes rivais à altura no PT, Dilma tornou-se, depois do presidente, o grande nome do governo.

Apesar do poder acumulado e do protagonismo que passou a exercer ao lado de Lula, até outubro de 2007 Dilma negava que seria candidata.

MINAS E ENERGIA - Sua atuação à frente do Ministério de Minas e Energia rendera-lhe a simpatia do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que enxergou na subordinada, de perfil discreto e trabalhador, a substituta ideal para o posto de Dirceu.

Ela foi indicada para o ministério logo após Lula se tornar presidente, em 2002. No comando da pasta, anunciou novas regras para o setor elétrico além de lançar o programa Luz para Todos --uma das bandeiras de sua candidatura.

O novo marco regulatório para o setor elétrico --lançado em 2004-- foi considerado a primeira iniciativa do governo Lula, na área de infra-estrutura, de romper com os padrões do governo FHC, marcado pelo "apagão" de 2001.

A principal característica do novo marco foi o aumento do poder do Estado em detrimento da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

ORIGEM - O pai de Dilma, Pedro Rousseff, veio para a América Latina na década de 30 do século passado. Viúvo, deixara um filho, Luben, na Bulgária. Passou por Salvador, Buenos Aires e acabou se instalando em São Paulo. Fez negócios na construção civil e com empreitadas para grandes empresas, como a Mannesmann.
Já estava havia cerca de dez anos no Brasil quando, numa viagem a Uberaba, conheceu a professora primária Dilma Jane Silva, nascida em Friburgo (RJ), mas radicada em solo mineiro. Casaram-se e tiveram três filhos. Igor nasceu em janeiro de 1947, Dilma, em dezembro do mesmo ano, e Zana, em 1951. A família escolheu Belo Horizonte para morar.

Levavam uma vida confortável. Passavam férias no Espírito Santo ou no Rio. Às vezes, viajavam de avião. Não era uma clássica família tradicional mineira. Os filhos não precisavam ter uma religião. Escolhiam uma fé se assim desejassem. O pai frequentava cassinos, gostava de fumar e beber socialmente.

Quando morreu, em 1962, Pedro deixou a família numa situação tranquila. Cerca de 15 bons imóveis garantem renda para a viúva Dilma Jane até hoje. Um dos apartamentos fica no centro de Belo Horizonte.

Luís rasga folhinha


Ontem, 31, Luís Castilho recebeu amigos na sua residêcia no bairro Vila Rica e comemorou os seus 43 anos em grande estilo. Na foto, o super Luís aparece com a esposa, Patrícia.
Luís recebeu as felicitações de amigos, parentes e do blogger, Marcel Nogueira

Pesquisa Boca de Urna dá vitória a Dilma:

A pesquisa Ibope que será divulgada após às 19 horas, trará Dilma com 57% e José Serra com 43%.
O resultado confirma a última aferição do instituto e se for confirmado dará a eleição presidencial a candidata do PT, Dilma Rousseff.
No primeiro turno o Ibope vaticinou que Dilma ganharia no primeiro turno e aí, foi o que se viu.

Eleição tranquila

Escola Chico Mendes - pouco movimento

Como a foto, tirada hoje pela manhã sugere, a eleição desse domingo foi realmente tranquila. Ao contrário do primeiro turno, no qual diversos pleitos, reunidos em um só tumultuaram e ocasionaram filas enormes, hoje não houve fila e os eleitores puderam exercer a cidadania livremente. Agora é esperar o resultado.

Imagem e semelhança

Dora Kramer

Hoje à noite o Brasil terá novo presidente. Depois de oito anos de Presidência "irradiada" - como se dizia na era das transmissões exclusivamente radiofônicas - daqui a dois meses o País volta ao normal em termos de conduta presidencial.

A menos que Luiz Inácio da Silva pretenda substituir-se ao presidente - seja como chefe da oposição ou como tutor da chefe da Nação - e ocupe todo dia algum microfone por alguma razão, chega ao fim um período peculiar no que tange à figura de alguém que fez da Presidência um exercício de egolatria.

Daí a singularidade da campanha eleitoral que ontem chegou ao fim, exatamente no molde pretendido por Lula: uma guerra desprovida de conteúdo político (na melhor acepção do termo), na qual o que menos importou foram os atributos dos candidatos e os respectivos projetos de País.

Sinal mais expressivo é que nenhum dos dois se deu ao trabalho de expor ao eleitorado um plano de governo bem explicado e detalhado. E pelo pior dos motivos: medo de criar polêmica e, com isso, prejudicar as chances de vitória.

Embromaram no que seria substantivo e capricharam no adjetivo, no "aqui e agora" do embate. Diga-se, por sinal, que esse tipo de atitude seria impossível se o voto fosse facultativo, com os candidatos precisando lutar pelo interesse do eleitor.

Prevaleceu uma disputa na qual o eleitor foi ora espectador, ora massa de manobra, ora inocente útil, e Lula o protagonista.

A sociedade foi ativa ao provocar um segundo turno?

É relativo: o segundo turno é da regra, sempre esteve no cenário. Representou apenas um fato surpreendente em relação ao quadro de artificialismo triunfante criado pela máquina de propaganda governamental em conjunto com pesquisas, cujos números acabaram se mostrando excessivos no tocante ao favoritismo da candidata oficial.

Lula conseguiu exatamente o que queria ao se impor como a figura central da campanha. Não lhe importa a evidência de que isso significa uma deformação institucional. Por si fácil de ser entendida, mas podemos ilustrar com o exemplo mais ou menos recente da então presidente do Chile, Michelle Bachelet, que mesmo popularíssima perdeu a eleição. Só não perdeu a compostura.

Para não ir longe, mas recuando bem mais no tempo, tivemos aqui Fernando Henrique Cardoso na transição civilizada para o PT. Mérito? Só porque a comparação é com Lula, pois de verdade seria uma obrigação.

Fragilizado politicamente, José Sarney ficou distante da eleição de 1989 servindo apenas de muro de pancadas dos muitos candidatos da época.

Itamar Franco não jogou o governo na luta pelo sucessor. Fernando Collor, com toda ausência de zelo pela coisa pública e arrogância doentia, enfrentou o período de acusações, investigações e impedimento sem fazer um centésimo do que Lula fez em matéria de abuso da máquina pública.

Pintou e bordou como nunca se viu diante de parte da sociedade perplexa, parte embasbacada, parte inebriada com a chance de comprar e crente que tudo se deveu à vontade, à coragem e à sensibilidade social de Lula.

Fez e aconteceu nas barbas da Justiça Eleitoral totalmente leniente e de um Ministério Público ausente.

Usou governo, ministros, capacidade de pressão, ludibriou e ainda se fez de ofendido quando a oposição resolveu parar de apanhar calada. Conseguiu que, ao final, a impressão fosse de "baixarias de parte a parte".

Quem fez campanha ilegal por dois anos e transgrediu fora do limite de qualquer responsabilidade? Pois é.

Na regra limpa, no mano a mano, Dilma Rousseff teria chegado aonde chegou? Pois é.

Pode-se argumentar que os presidentes citados, à exceção de Itamar, foram derrotados pelas circunstâncias.

Lula saiu vencedor, no mínimo no quesito popularidade. Falta ainda esperar que a História conte a história toda: aquela parte que fala da credibilidade e fica para sempre.

Abstenção. Hoje não é demais repetir: "O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam". Arnold Toynbee.

Imagem e semelhança

Dora Kramer

Hoje à noite o Brasil terá novo presidente. Depois de oito anos de Presidência "irradiada" - como se dizia na era das transmissões exclusivamente radiofônicas - daqui a dois meses o País volta ao normal em termos de conduta presidencial.

A menos que Luiz Inácio da Silva pretenda substituir-se ao presidente - seja como chefe da oposição ou como tutor da chefe da Nação - e ocupe todo dia algum microfone por alguma razão, chega ao fim um período peculiar no que tange à figura de alguém que fez da Presidência um exercício de egolatria.

Daí a singularidade da campanha eleitoral que ontem chegou ao fim, exatamente no molde pretendido por Lula: uma guerra desprovida de conteúdo político (na melhor acepção do termo), na qual o que menos importou foram os atributos dos candidatos e os respectivos projetos de País.

Sinal mais expressivo é que nenhum dos dois se deu ao trabalho de expor ao eleitorado um plano de governo bem explicado e detalhado. E pelo pior dos motivos: medo de criar polêmica e, com isso, prejudicar as chances de vitória.

Embromaram no que seria substantivo e capricharam no adjetivo, no "aqui e agora" do embate. Diga-se, por sinal, que esse tipo de atitude seria impossível se o voto fosse facultativo, com os candidatos precisando lutar pelo interesse do eleitor.

Prevaleceu uma disputa na qual o eleitor foi ora espectador, ora massa de manobra, ora inocente útil, e Lula o protagonista.

A sociedade foi ativa ao provocar um segundo turno?

É relativo: o segundo turno é da regra, sempre esteve no cenário. Representou apenas um fato surpreendente em relação ao quadro de artificialismo triunfante criado pela máquina de propaganda governamental em conjunto com pesquisas, cujos números acabaram se mostrando excessivos no tocante ao favoritismo da candidata oficial.

Lula conseguiu exatamente o que queria ao se impor como a figura central da campanha. Não lhe importa a evidência de que isso significa uma deformação institucional. Por si fácil de ser entendida, mas podemos ilustrar com o exemplo mais ou menos recente da então presidente do Chile, Michelle Bachelet, que mesmo popularíssima perdeu a eleição. Só não perdeu a compostura.

Para não ir longe, mas recuando bem mais no tempo, tivemos aqui Fernando Henrique Cardoso na transição civilizada para o PT. Mérito? Só porque a comparação é com Lula, pois de verdade seria uma obrigação.

Fragilizado politicamente, José Sarney ficou distante da eleição de 1989 servindo apenas de muro de pancadas dos muitos candidatos da época.

Itamar Franco não jogou o governo na luta pelo sucessor. Fernando Collor, com toda ausência de zelo pela coisa pública e arrogância doentia, enfrentou o período de acusações, investigações e impedimento sem fazer um centésimo do que Lula fez em matéria de abuso da máquina pública.

Pintou e bordou como nunca se viu diante de parte da sociedade perplexa, parte embasbacada, parte inebriada com a chance de comprar e crente que tudo se deveu à vontade, à coragem e à sensibilidade social de Lula.

Fez e aconteceu nas barbas da Justiça Eleitoral totalmente leniente e de um Ministério Público ausente.

Usou governo, ministros, capacidade de pressão, ludibriou e ainda se fez de ofendido quando a oposição resolveu parar de apanhar calada. Conseguiu que, ao final, a impressão fosse de "baixarias de parte a parte".

Quem fez campanha ilegal por dois anos e transgrediu fora do limite de qualquer responsabilidade? Pois é.

Na regra limpa, no mano a mano, Dilma Rousseff teria chegado aonde chegou? Pois é.

Pode-se argumentar que os presidentes citados, à exceção de Itamar, foram derrotados pelas circunstâncias.

Lula saiu vencedor, no mínimo no quesito popularidade. Falta ainda esperar que a História conte a história toda: aquela parte que fala da credibilidade e fica para sempre.

Abstenção. Hoje não é demais repetir: "O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam". Arnold Toynbee.

Votem com alegria

Manhã de 31 de outubro. A cidade amanheceu preguiçosa, rebordosa de um início de feriadão. Mas, vamos ao nosso voto. Nessa altura do campeonato é chover no molhado a ideia de que uma sugestão do blog vai fazer a cabeça de alguém; acreditamos que a grande maioria já deve ter sua escolha definida.
Conselhos, então, é algo completamente dispensável, digamos que aqui vai uma recomendação do blogger. Votem com consciência, sem se deixar influenciar pela avalnche de informações, sem sempre verdadeiras, dos últimos dias. Para o bem ou para o mal, votem com alegria.

Charge 31/10

Saída para o feriado


Charge online

sábado, 30 de outubro de 2010

VI Masp



Na quinta e sexta-feira na Praça Mahatma Gandhi acontece a VI Mostra de Artes dos Servidores Públicos de Parauapebas (Masp).
Além da escolha de servidores padrões das respectivas secretarias, exposições de pinturas fotografias, dança, artes cênicas e outras manifestações culturais. Show de bola. De Parabéns os promotors do evento, que é realmente maravilhoso.

Charge


(Chargeonline)

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Pesquisa para governo do Estado

Pesquisa Veritate/UFPA/UFRA para o governo do Pará, divulgada nesta sexta-feira (29), mostra o candidato Simão Jatene (PSDB) com 49,5% das intenções de voto.
A governadora Ana Júlia Carepa (PT), candidata à reeleição, aparece com 34,8%. Brancos e nulos somam 5,9%. Os eleitores que não deram resposta chegam a 9,8%.
Para presidente, Dilma Roussef (PT) aparece na frente com 50,9%. Serra está com 38,4% das intenções de voto.
(Blog do Jeso)

Revolta geral com atropelamento de produtor rural por composição ferroviária






Indignados com o acidente que vitimou fatalmente o agricultor Joaquim Carlos, conhecido como "Joaquim Madeira", de 80 anos, aproximadamente, moradores da região interditaram a ferrovia, a cerca de 12 quilômetros da Vila Palmares II, na manhã de hoje, nas proximidades da localidade denominada de Rio Novo.
O protesto se dá porque, segundo os produtores rurais da localidade, são constantes os acidentes envolvendo composição feroviária, animais e pessoas. Segundo Charles Trocate, liderança rural, quateo pessoas já perderam a vida em atropelamento de trem na região.
O acidente - Segundo informações, por volta de oito horas, Joaquim Madeira se preparava para atravessar a ferrovia, quando um pequeno trem de manutenção em alta velocidade o atropelou. Na colisão o corpo de Madeira foi arremessado por vários metros, razão da rua morte instatãnea.
Os produtores rurais interditaram a ferrovia e devem se reunir hoje, às 18 horas para traçar diretrizes para a situação, já que segundo Totô, líder rural, desde 2007, que os trabalhadores rurais têm negociado com a Vale, para se criar proteção ao longo da psita, além de passarelas para a passagem das pessoas de um lado para outro da ferrovia, mas até o mento nenhum resultado prático foi verificado.
O trafego deve ser restabelecido amnhã.

Acidente

Informações veiculadas durante o dia dão conta de que houve uma acidente envolvendo uma pessoa e uma composição ferroviária da Vale, na altura do pátio da ferrovia.
Estamos seguindo par ao local e logo teremos novas informações.

Wanterlor, sozinho no bunker

Apesar de a tendência Articulação de Esquerda ter se aquietado e assumido a pasta do Planejamento (planejar o quê, se o governo não faz nada?), o bravo Wanterlor Bandeira continua no seu bunker danso suas espinafradas. Há quem comente que a indicação do seu nome para compor alista de candidatos a vereador do PT não vale uma masca de fumo ruim, está completamente descartada.
Por isso, não se espantem se Wanterlor, de uma hora para outra pedir o boné e se abrigar em outro partido.
Num grupo onde um mdos suplentes, João do Feijão está doido para se aninhar no DEM, não seria surpresa nenhuma, ainda que não seria crível Wanterlor num partido de direita.

Aniversário virtual

Em Parauapebas já deu de tudo. Com razão alguns dizem que por essas plagas até boi costuma dar seus rasantes em época de eleição. Por falar nisso, não é que a "companheirada" do PT resolveu comemorar o aniversário de Lula, em plena Praça dos Eventos, sem a presença do Iluste, só mostrando vídeos e uns bobos alegres se extasiando com imagens repetidas e pinçados dos programas eleitorais?
Pra quem já presenciou convenção virtual, na qual o pretenso candidato a preseito não deu o ar da graça e enviou apenas um vídeo, comemorar aniversário sem a presença do aniversariante é fichinha. O duro é ver a galera querer transformar a data em romaria ou em feriado nacional.

Câmara apresenta relatório final da CPI da água

A sessão ordinária desta terça-feira, 26, teve início com a apresentação dos requerimentos 94 e 95/2010, ambos de autoria da vereadora Percília Martins (PRTB). Em sua primeira proposição, Percília solicita aterro e arborização das valas próximas à PA 160, perto das Casas Populares I e II e da empresa Odebrecht. De acordo com a vereadora, durante a construção da referida PA, várias valas foram abertas para estocar os resíduos gerados pela edificação da mesma, e não foram fechadas. Segundo Percília, a proposta é fechar essas valas e fazer a arborização daquela área para oferecer à população e usuários da via um ambiente mais seguro e prazeroso. “A ideia é dar à localidade um panorama urbanístico, respeitando as leis ambientais e proporcionando melhores condições àquelas pessoas das Casas Populares I e II.

Já no requerimento Nº 095/20, a vereadora pede a restauração de algumas ruas dos Bairros Casas Populares I e II. Como justificativa para a solicitação, a vereadora falou que durante o período chuvoso “o tráfego por lá é muito difícil”, pois, segundo ela, “as ruas estão cheias de buracos”.

“É importante que seja feita a recuperação das ruas, principalmente do lado das Casas Populares I, perto da Odebrecht. Solicito o encascalhamento para melhorar o tráfego daqueles moradores”, reitera Percília.

Em aparte, o Presidente da Casa, Vereador Adelson Fernandes ( PDT) manifestou seu apoio ao pleito da parlamentar: “Eu conheço a realidade e realmente aquelas valas perto da PA são perigosas, no inverno ficam inundadas e isso contribui para a multiplicação do mosquito da dengue, e com ele vem um grave problema de saúde para nosso município. Em relação às ruas nem há muito que falar, há uma necessidade extrema e nosso secretário de obras precisa tomar providências o mais rápido possível para melhorar as ruas daquele bairro”,

Na sequencia, o vereador Odilon Rocha (PMDB), apresentou o relatório final da CPI, criada para investigar o aumento abusivo da tarifa da água pelo SAAEP. “Por meio desse relatório vocês vão ter conhecimento do que a comissão detectou nesta situação. Esse resultado é fruto do trabalho dessa comissão, e deverá trazer soluções para esse problema”, disse o vereador, que é o relator da CPI. A comissão foi criada pelo Requerimento nº. 068/2010, e constituída pelo Ato nº 004/2010, para apurar indícios de irregularidades nas contas mensais de consumo de água de usuários da SAAEP (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas), e teve como componentes a vereadora Francisângela Resende (PMDB), os vereadores Antônio Massud (PTB), Faisal Salmen (PSDB), Odilon Rocha de Sanção (PMDB) e Wolner Wagner (PSDC).

A comissão constatou que o valor da tarifa mínima de água cobrada pelo SAAEP passou de R$ 5,70 (Cinco Reais e Setenta Centavos), no mês de janeiro de 2005, para R$ 15,50 (Quinze Reais e Cinquenta Centavos), a partir de janeiro de 2010, ocasionando um aumento de 272,00 %; apurou, também, que o metro cúbico (m³) passou de R$ 0,28 para R$ 1,48 no mesmo período, ocasionando um aumento de 528,6 %. Cópias do Relatório Final da CPI serão encaminhadas à Prefeitura Municipal ao SAAEP, com recomendação para que o reajuste nas tarifas seja imediatamente revogado, bem como ao Ministério Público, para que este órgão possa tomar as medidas legais que o caso requer.

Após a leitura do documento, que durou cerca de duas horas, foi colocado em primeira discussão e aprovado o Projeto de Lei Nº 030/2009, de autoria do vereador Faisal Salmen (PSDB), que regulamenta o uso de sacolas plásticas biodegradáveis em estabelecimentos comerciais de Parauapebas, com a finalidade de reduzir a degradação de meio ambiente. Para Faisal, “as sacolas plásticas são cada vez mais consumidas e descartadas indevidamente, causando assim, grandes prejuízos ao meio ambiente”. Segundo ele, “o resíduo pode levar mais de 400 anos para se deteriorar e as sacolas biodegradáveis levam apenas um período de 40 a 120 dias”.

Dando prosseguimento à Ordem do Dia, entrou em discussão única, devido à aprovação de Requerimento de Urgência Especial, o Projeto de Lei Nº 038/2010, que autoriza a abertura de crédito adicional suplementar ao orçamento municipal vigente, destinado a suprir dotações consignadas na Lei Orçamentária. O Poder Executivo solicitou a autorização de créditos até o limite de 35% da despesa geral fixada para o exercício. Em contrapartida, o Legislativo apresentou e aprovou uma emenda modificativa que autoriza a suplementação até 10% das despesas de caráter continuado. Como justificativa, os parlamentares alegaram “ser sensato reduzir, momentaneamente, o percentual solicitado porque se faz necessário, por parte do Executivo, maior detalhamento sobre as despesas que serão objeto de suplementação”. Segundo o Vereador Odilon (PMDB),um dos signatários da Emenda, que foi assinada também pelos Vereadores Euzébio Rodrigues (PT), Raimundo Vasconcelos (PT), José Alves (PT) e Antônio Massud (PTB),membros das Comissões encarregadas da apreciação do mérito do Projeto, “a necessidade de fazer uma emenda reduzindo essa porcentagem de 35% para 10% foi porque pedimos algumas explicações ao Executivo e elas não vieram com o detalhamento necessário, mas isso não significa que estamos obstruindo o trabalho da administração municipal. Tão logo as informações cheguem à Câmara, rediscutiremos o tema”,finalizou o parlamentar.

Em virtude do feriado nacional ao Dia de Finados, 02 de novembro, a próxima sessão ordinária será realizada, excepcionalmente, em 03 de Novembro, quarta-feira, às 16h na Câmara Municipal.

Fonte: Assessoria de Imprensa / CMP

Recomendação do papa

O papa Bento XVI resolveu interferir na eleição para presidente. Hoje ele orientou os fiéis católicos do Brasil que não votassem em candidato que fosse a favor do aborto.
Foi a senha para os dois postulantes ao cargo dissessem rapidinho que eram contra a discriminalização do aborto desde criancinhas. Chegou a ser patéticos, os dois (Serra e Dilma) pisando em ovos para não desagradar os católicos, que a bem da verdade, estão andando para a celeuma que o assunto está criando.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Pode cravar um empate

Uma figura muito conhecida no meio político confidenciou que não aguenta mais debate. "Os primeiros ainda apresentaram alguma coisa de últil, mas os de agora não têm a menor chance de um adversário surpreender o outro, o mais certo é que termine empatado, um chove-não-molha de dá dor de dente em serrote".
O cidadão tem razão. Nessa altura do campeonato as assessorias dos candidatos já sabem de cor e salteado como se comporta o adversário, não há o menor risco de surgirem surpresas capazes de influenciar an eleição. A figura muito conhecida vaticinou: "pode cravar um empate".

Edição adiada

A direção do jornal HOJE informa aos leitores e assinantes em geral, que por causa da falta de papel-jornal, inexistente na cidade e a edição 435 não pôde ir às ruas.

Como o papel só deve chegar hoje, sexta-feira, na semana que vem o HOJE volta a sua periodicidade normal.

Estranha visita de uma alma desassossegada

Um dia desses, uma certa pessoa foi vista na prefeitura, tentando falar com o prefeito. O que essa alma desassossegada queria? Só se soube alguns dias mais tarde, quando o assunto vazou. A dita alma queria receber a conta por ter tirado o telejornal "Boa Noite Cidade" do ar, há cerca de 15 meses, que não alisava a administração e denunciava as mazelas sociais da cidade.
Ao que parece, a promessa não foi cumprida e tiveram que cobrar o prefeito.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Grupos diversos

Quando a campanha está flutuando em mar de almirante tudo dá certo e é mais quem quer dar aquela força.
A campnaha do Jatene em Parauapebas é mais ou menos assim. Há muitos grupos que estão empenhados, mas não há um comando central.
Remanescente do primeiro turno, O PSDB de Faisal Salmen continua balançando bandeiras e tentando amarelar a cidade. O PMDB de Bel Mesquita aderiu e muitas adesivos do PMDB, de apoio a Jatene são vistos pela cidade. Além disso, há os grupos do Acip (Zé Rinaldo e Daniel da Paulistinha, do Massud, emfim, tem muita gente dando aquela força. A ordem é dar dois por um na atual governadora. Vamos ver se a coisa acontece mesmo.

Falta papel

Parece incrível, mas de uma hora para outra sumiu o papel-jornal de Parauapebas. Praticamente nenhum jornal tem uma mísera resma em estoque, o que pode levar ao adiamento de edição de final de semana de alguns jornais, inclusive do HOJE.

No momento a direção do HOJE está tentando resolver o problema, já que em Imperatriz e Marabá o material também anda escasso. Por conta disso está todo mundo tentando trazer papel de Goiânia. Resta saber se a matéria-prima chegará a tempo.

Supremo analisa recurso de Jáder Barbalho

Começou há pouco no Supremo Tribunal Federal (STF) o julgamento do recurso do candidato ao Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), enquadrado pela Lei da Ficha Limpa pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
A sessão começa com a apresentação do relatório feito pelo ministro Joaquim Barbosa.
Depois, pelo período de 15 minutos, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, defende a aplicação da Ficha Limpa contra Jader.
Na sequência falam os advogados do candidato, também por 15 minutos.
Em seguida votam, na ordem, Dias Toffoli; Cármen Lúcia; Ricardo Lewandowski; Ayres Britto; Gilmar Mendes; Ellen Gracie; Marco Aurélio; Celso de Mello e Cezar Peluso (presidente).
A tendência é que o Supremo, assim como no caso do ex-candidato Joaquim Roriz, permaneça dividido, com cinco votos a favor e cinco contra a validade imediata das novas regras de inelegibilidade.
Há também a possibilidade de um dos ministros pedir vista (mais tempo para analisar o caso) o que adiaria a conclusão do julgamento.
Por outro lado, caso a sessão não seja interrompida, segundo ministro ouvido pelo blog, que é contra a validade imediata da Lei, uma das soluções mais aceitas nos bastidores para desempatar o placar, é o de recorrer ao art 146 do regimento interno do próprio tribunal, que diz:
“Havendo, por ausência ou falta de um Ministro, nos termos do art. 13, IX, empate na votação de matéria cuja solução dependa de maioria absoluta, considerar-se-á julgada a questão proclamando-se a solução contrária à pretendida ou à proposta”.
Ou seja: prevaleceria o entendimento contrário ao recurso de Jader que alega, entre outros pontos, que as novas regras de inelegibilidade não podem retroagir.
Se a avaliação do ministro se confirmar, Jader será o primeiro caso de Ficha Limpa julgado pelo Supremo. E o caso dele balizará as próximas decisões até a indicação do 11o ministro, substituto de Eros Grau que se aposentou.
No início de setembro, Jader foi enquadrado nas novas regras de inelegibilidade pelo TSE por ter renunciado ao mandato de senador, em 2001, para escapar de cassação após ser acusado de participar de um esquema de desvio de recurso da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e do Banco do Pará (Banpará).
Mesmo com a decisão do TSE, Jader pôde disputar as eleições no último dia 3 de outubro ao Senado pelo Pará. Jader teve 1,7 milhão de votos e ficou em segundo lugar na disputa pelo Senado. O primeiro colocado foi Flexa Ribeiro (PSDB) com 1,8 milhão dos votos.
Uma possível condenação de Jader poderá levar à realização de outra eleição para senador no Pará. Isso porque o terceiro colocado, Paulo Rocha (PRB), também foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa pelo TSE por ter renunciado ao mandato de deputado federal para escapar de cassação em 2005.
Juntos, Jader e Rocha obtiveram mais da metade dos votos no Estado, que podem ser anulados dependendo da decisão do STF.
Erich Decat

Carta à candidata Dilma

Meu nome foi incluído no manifesto de intelectuais em seu apoio. Eu não a apóio. Incluir meu nome naquele manifesto é um desaforo! Mesmo que a apoiasse, não fui consultada. Seria um desaforo da mesma forma. Os mais distraídos dirão que, na correria de uma campanha... “acontece“. Acontece mas não pode acontecer. Na verdade esse tipo de descuido revela duas coisas: falta de educação e a porção autoritária cada vez mais visível no PT. Um grupo dominante dentro do partido que quer vencer a qualquer custo e por qualquer meio.
Acho que todos sabem do que estou falando.
O PT surgiu com o bom sonho de dar voz aos trabalhadores mas embriagou-se com os vapores do poder. O partido dos princípios tornou-se o partido do pragmatismo total. Essa transformação teve um “abrakadabra” na miserável história do mensalão . Na época o máximo que saiu dos lábios desmoralizados de suas lideranças foi um débil “os outros também fazem...”. De lá pra cá foi um Deus nos acuda!
Pena. O PT ainda não entendeu o seu papel na redemocratização brasileira. Desde a retomada da democracia no meio da década de 80 o Brasil vem melhorando; mesmo governos contestados como os de Sarney e Collor (estes, sim, apóiam a sua candidatura) trouxeram contribuições para a reconstrução nacional após o desastre da ditadura.
Com o Plano Cruzado, Sarney tentou desatar o nó de uma inflação que parecia não ter fim. Não deu certo mas os erros do Plano Cruzado ensinaram os planos posteriores cujos erros ensinaram os formuladores do Plano Real.
É incrível mas até Collor ajudou. A abertura da economia brasileira, mesmo que atabalhoada, colocou na sala de visitas uma questão geralmente (mal) tratada na cozinha.
O enigmático Itamar, vice de Collor, escreveu seu nome na história econômica ao presidir o início do Plano Real. Foi sucedido por FHC, o presidente que preparou o país para a vida democrática. FHC errou aqui e ali. Mas acertou de monte. Implantou o Real, desmontou os escombros dos bancos estaduais falidos, criou formas de controle social como a lei de responsabilidade fiscal, socializou a oferta de escola para as crianças. Queira o presidente Lula ou não, foi com FHC que o mundo começou a perceber uma transformação no Brasil.
E veio Lula. Seu maior acerto contrariou a descrença da academia aos planos populistas. Lula transformou os planos distributivistas do governo FHC no retumbante Bolsa Família. Os resultados foram evidentes. Apesar de seu populismo descarado, o fato é que uma camada enorme da população foi trazida a um patamar mínimo de vida.
Não me cabem considerações próprias a estudiosos em geral, jornalistas, economistas ou cientistas políticos. Meu discurso é outro: é a democracia que permite a transformação do país. A dinâmica democrática favorece a mudança das prioridades. Todos os indicadores sociais melhoraram com a democracia. Não foi o Lula quem fez.
Votando, denunciando e cobrando foi a sociedade brasileira, usando as ferramentas
da democracia, quem está empurrando o país para a frente. O PT tem a ver com isso.
O PSDB também tem assim como todos os cidadãos brasileiros. Mas não foi o PT quem fez, nem Lula, muito menos a Dilma. Foi a democracia. Foram os presidentes desta fase da vida brasileira. Cada um com seus méritos e deméritos. Hoje eu penso como deva ser tratada a nossa democracia. Pensei em três pontos principais.
1) desprezo ao culto à personalidade;
2) promoção da rotação do poder; nossos partidos tendem ao fisiologismo. O PT então...
3) escolher quem entenda ser a educação a maior prioridade nacional.
Por falar em educação. Por favor, risque meu nome de seu caderno. Meu voto não vai para Dilma.
Ruth Rocha

Mudanças no trânsito de Parauapebas


A Prefeitura Municipal de Parauapebas, em parceria com o Governo do Estado do Pará e através do Departamento Municipal de Trânsito e Transportes comunica à toda população parauapebense as mudanças que ocorrerão no trânsito da cidade, visando uma melhor fluidez e a diminuição dos riscos de acidentes.

RUA RIO DE JANEIRO E SOL POENTE – TRECHO COMPREENDIDO ENTRE A RUA 16 E AV. JK
-
Estabelecer na Rua Rio de Janeiro, sentido único de circulação no trecho compreendido entre a Rua JK e Rua 16; determinando a orientação do fluxo sentido Rio Verde/União;
- Estabelecer na Rua Sol Poente, sentido único de circulação no trecho compreendido entre a Rua 16 e Rua JK; determinando a orientação do fluxo sentido União/Rio Verde.

COMPLEXO RUA DO COMÉRCIO
- Estabelecer na Rua Gabriel Pimenta sentido único de circulação no trecho compreendido entre a Rua Araguaia e Rua Marechal Rondon., determinando a orientação do fluxo sentido PA275/Complexo Poliesportivo;
- Estabelecer na Rua Tancredo Neves sentido único de circulação, no trecho compreendido entre a Rua Minas Gerais e Av. Liberdade, determinando a orientação do fluxo sentido Complexo Poliesportivo/PA275.
- Estabelecer nas ruas Araguaia, XV de Novembro, Ceará e 7 de Setembro, sentido único de circulação no trecho compreendido entre a Rua Gabriel Pimenta e Rua Tancredo Neves, orientando sentido de fluxo sentido Mercado Municipal/Comércio;
- Estabelecer nas ruas 24 de Março, Tiradentes e Duque de Caxias sentido único de circulação no trecho compreendido entre a Rua Tancredo Neves e Rua Gabriel Pimenta, determinando orientação de fluxo sentido Comércio/Mercado Municipal.

BAIRRO LIBERDADE
- Estabelecer na Rua Santa Catarina, sentido único de circulação no trecho compreendido entre a Rua 10 e o Bairro Liberdade II; determinando a orientação do fluxo sentido Bairro União/Liberdade II;
- Estabelecer na Rua Vinicius de Moraes, sentido único de circulação no trecho compreendido entre o Bairro Liberdade II e Rua11; determinando a orientação do fluxo sentido Liberdade II/Bairro União.

PÉ INCHADO
a) RUA 14 – sofrerá mudança de sentido de direção, tendo como nova orientação CIDADE NOVA/FERROVIA, sendo que quem acessar essa via só poderá seguir para a Rodovia FARUK SALMEN ou acessar a Rua A para o Bairro Maranhão;
b) RUA 13 - sofrerá mudança de sentido, tendo como nova orientação FERROVIA/CIDADE NOVA;
c) RUA 15 – permanecerá com orientação de sentido CIDADE NOVA/PÉ INCHADO, mas seu acesso somente permitirá a entrada ao Bairro Maranhão;
d) RUA A – permanecerá sentido duplo, sendo que quem trafega sentido CIDADE NOVA/PÉ INCHADO somente poderá acessar a Estrada da Ferrovia depois de retornar na rua 13, acessando assim a Rua 14;
e) FARUK SALMEN – quem trafega sentido FERROVIA/CIDADE NOVA, chegando ao “PÉ INCHADO”, terá acesso direto somente à Rua 13 e Rua A.

Programação do VI Masp

A Prefeitura Municipal de Parauapebas, através da Coordenadoria de Treinamentos e Recursos Humanos, convida a todos para se fazerem presentes na culminância da VI MASPP-Mostra de Artes dos Servidores Públicos de Parauapebas, projeto que tem por objetivo desenvolver e aprimorar talentos dos servidores públicos municipais.

Este ano, a culminância da MASPP acontecerá nos dias 28 e 29 de outubro, na Praça Mahatma Gandhi, contando com vasta programação direcionada para públicos de todas as idades.

Para as crianças, a oficina de Teatro Mirim apresentará, no dia 28/10, às 20:30 h, a peça: O Casamento de Dona Baratinha Neta, em uma releitura atualizada da clássica história da Dona Baratinha. No dia 29/10, às 20:30 h, haverá a apresentação do belíssimo conto de fadas “Cinderela”.

Nos dois dias do evento, durante todo o dia, a oficina de Contadores de Histórias disponibilizará a narração de lindas histórias infantis para toda a criançada.

A Mostra terá início às 09:00 horas da manhã do dia 28/10, com a exposição dos produtos das oficinas de Bonecas de Pano, Biscuit, Pintura em Tecido, Bordados e Festas, bem como as oficinas de Massoterapia e Marketing Visual, que estarão atendendo o público presente com massagens relaxantes e maquiagem.

Serão dois dias de pura cultura e arte, em homenagem ao Servidor Público.

Participe!

PROGRAMAÇÃO DIA 28/10

07:00 H – Corrida do Servidor (Largada no Ginásio Poliesportivo)

09:00 – Início da Mostra, com a exposição dos trabalhos na Praça Mahatma Gandhi

19:00 H – Abertura Oficial da Culminância da VI MASPP (Apresentações do Coral Municipal e da Oficina de Dança da VI MASPP)

19:30 H – Primeira parte das apresentações da “Minha Secretaria é Show” e Primeira parte da premiação do Servidor Cidadão

20:30 H – Teatro Mirim (A História de Dona Baratinha Neta)

22:00 H – Apresentação da Oficina de Muay Thuai

PROGRAMAÇÃO DIA 29/10

19:00 H – Segunda parte das apresentações da “Minha Secretaria é Show” e Segunda parte da premiação do Servidor Cidadão

20:30 H – Apresentação Teatro Mirim (A Cinderela)

21:30 H – Apresentação Muay Thai

22:00 H – Apresentação da Oficina de Dança

23:00 H – Show com MC Lobato e Banda

terça-feira, 26 de outubro de 2010

C'est fini

C'est fini, é finito, morreu, Maria Preá, inês é morta, só mais uns cinco dias e a gent e verá quem tem garrafa vazia pra vender, ou então a gente vai ver quantos paus se faz uma canoa.

Poluição visual

Devagar e sempre partidários do PSDB e do PT estão conseguindo poluir novamente a cidade.

Nas principais vias públicas as inconfundíveis cores amarelo, do PSDB e vermelho do PT estão predominando e causando uma poluição visual que vou te contar. Vamos ver até onde isso vai parar. Ainda bem que no dia 31 acaba tudo.

Jáder deve ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa

O recurso apresentado pelo candidato ao Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), contra a Lei da Ficha Limpa deve ser negado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento previsto para a próxima quarta-feira (27).

Essa é a avaliação feita por um dos ministros do Supremo - por sinal contrário à aplicação imediata da nova lei.

Segundo ele, assim como ocorreu no julgamento do recurso de Joaquim Roriz, em setembro, o plenário do STF deve se dividir - cinco votos pela aplicação imediata da lei, cinco contra.

O ministro disse que a tese mais aceita hoje nos bastidores do tribunal para o desempate é a de recorrer ao art 146 do regimento interno do próprio tribunal, que diz:

“Havendo, por ausência ou falta de um Ministro, nos termos do art. 13, IX, empate na votação de matéria cuja solução dependa de maioria absoluta, considerar-se-á julgada a questão proclamando-se a solução contrária à pretendida ou à proposta”.

Ou seja: prevaleceria o entendimento contrário ao recurso de Jader que alega, entre outros pontos, que as novas regras de inelegibilidade não podem retroagir.

Fonte : Manoel Dutra/Noblat

Morre senador Romeu Tuma


Agência Senado

O senador Romeu Tuma (PTB), de 79 anos, morreu nesta terça-feira vítima de uma hemorragia. A informação foi confirmada por um dos filhos dele, o médico Rogério Tuma. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês, onde foi submetido a uma cirurgia cardíaca.

Tuma foi submetido, no último dia 2, a uma cirurgia cardíaca, para colocação de um dispositivo de assistência ventricular que auxilia o coração, chamado Berlin Heart. Desde então, seguia internado.

O corpo será velado na Assembleia Legislativa de São Paulo, conforme informações da assessoria do parlamentar.

Romeu Tuma nasceu em 4 de outubro de 1931, na cidade de São Paulo. Casado com Zilda Dirane, Tuma teve quatro filhos e nove netos.

Descendente de imigrantes libaneses, ingressou na carreira policial aos 20 anos de idade. Tornou-se investigador por concurso público e, em 1967, delegado de polícia, após formar-se em Direito.

Chegou então a Diretor de Polícia Especializada, na Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Entre 1977 e 1983, dedicou-se a esclarecer casos de sequestros.

Em 1983, assumiu a Superintendência da Polícia Federal em São Paulo. Exerceu, em seguida, a função de diretor-geral da Polícia Federal. Durante o governo de Fernando Collor (1990-1992), acumulou os cargos de superintendente da Receita Federal e diretor-geral da Polícia Federal.

Em 1991, passou a ocupar uma vice-presidência da Organização Internacional de Polícia Criminal (OIPC-Interpol), que congrega as polícias de 186 nações.

Em 1995, afastou-se do Poder Executivo para cumprir, pelo PFL, seu primeiro mandato de senador por São Paulo, com mais de 5,5 milhões de votos.

Em 2002, reelegeu-se pelo PTB, com 7.278.185 votos, para o mandato até com fim em 2011. Em 2003, foi eleito 1.° Secretário da Mesa Diretora do Senado, o quarto cargo em importância na hierarquia parlamentar.

No Senado, foi corregedor - cargo até hoje somente exercido por ele - e focou sua atuação em questões ligadas à segurança pública.

PDT de Parauapebas anajuliou

Não se sabe se houve ordens superiores, mas ao que parece, o PDT de Parauapebas mudou de ideia no que se refere a apoiar Jatene.

Uma fonte bem informada confidenciou que nos próximos dias o partido irá se reunir e vai declarar sue apoio a Ana Júlia. Mistério ...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Arriando a mochila

Um fonte bem informada confidenciou ao blo hoje a tarde de que no Front do PT, a maioria dos coordenadores já arriou a mochila e já dá a eleição como perdida.

Não é pra menos, quanto mais a militância se esforça, mas a candidata Ana Júlia sofre rejeição da população.

Vox Populi dá 49% a Dilma e 38% a Serra


Matheus Pichonelli,

Pesquisa Vox Populi/iG publicada nesta segunda-feira mostra que, a menos de uma semana das eleições, a candidata do PT ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff, mantém a dianteira sobre o tucano José Serra na corrida presidencial.

A ex-ministra da Casa Civil oscilou dois pontos para baixo em relação ao levantamento realizado pelo instituto entre os dias 15 e 17 de outubro e agora conta com 49% das intenções de voto. Com isso, ela tem uma vantagem de 11 pontos sobre Serra, que perdeu um ponto e aparece com 38%.

O número de eleitores que pretendem votar nulo ou em branco ainda é de 6% - mesmo índice contabilizado na última pesquisa. O Vox Populi apontou, no entanto, aumento do número de eleitores indecisos ou que não responderam ao questionário: de 4% para 7%.

Considerando-se apenas os votos válidos, Dilma seria eleita com 57% contra 43% de Serra. De acordo com esse critério, a distância entre os dois candidatos é de 14 pontos, igual à apontada pelo último levantamento. Ainda assim, 88% dos eleitores ainda afirma, porém, que já tem certeza da decisão tomada.

O Vox Populi ouviu 3.000 pessoas em 214 municípios, entre os dias 23 e 24 deste mês e, portanto, já refletem a repercussão de episódios que marcaram o debate presidencial na semana passada, como o tumulto em um compromisso de Serra no Rio de Janeiro. A margem de erro é de 1,8 ponto percentual. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob número 37059/10 em 20 de outubro.

A região onde a candidata do PT tem a maior vantagem em relação ao adversário tucano é o Nordeste: 64%, contra 27%. O Sul é a única região em que Serra tem vantagem sobre a petista: 47% a 39%. No Sudeste, onde está concentrada a maior fatia do eleitorado, ela venceria por 44% a 40%.

Entre os eleitores de Dilma, 53% são homens e 46%, mulheres. Já Serra tem mais apoio entre mulheres (40%) do que entre os homens (36%).

Num momento em que temas religiosos ganharam destaques na campanha, a pesquisa aponta também que Dilma venceria o rival entre eleitores católicos (51% a 39%), católicos não praticantes (53% a 35%) e evangélicos (44% a 41%). Entre os eleitores que não têm religião, a vantagem da petista é de 46% a 38%.

Procura-se


Procura-se um cão da raça Hotwiller . Quem encontrou o cão por favor procurar os proprietários na rua 25 de dezembro, 23, no bairro Maranhão, que fará jus a uma gratificação de R$ 500,00.

Popular, sim, grande, não

Bolinha de papel, rolo de fita crepe, pano de bandeira, chumaço de algodão - nada pode ser usado de forma hostil para atingir alguém sob pena de tal ato configurar uma agressão.
O que militantes do PT foram fazer no calçadão de Campo Grande, no Rio de Janeiro, quando o candidato José Serra (PSDB) esteve por lá na tarde da última quarta-feira em busca de votos?
Não foram saudá-lo democraticamente. A tal ponto de civilidade não chegaremos tão cedo.
Aos berros, munidos de bandeiras e dispostos a tudo, tentaram impedir que o candidato e seus correligionários exercessem o direito de ir e de vir, e também o de se manifestar, ambos assegurados pela Constituição.
O PT tem uma longa e suja folha corrida marcada por esse tipo de comportamento violento, autoritário e reprovável, que deita sólidas raízes em suas origens sindicais.
A força bruta foi empregada muitas vezes para garantir a ocupação ou o esvaziamento de fábricas. E também para se contrapor à força bruta aplicada pelo regime militar na época em que o PT era apenas uma generosa idéia.
Para chegar ao poder, o PT sentiu-se obrigado a ficar parecido com os demais partidos – para o bem ou para o mal. Mas parte de sua militância e dos seus líderes não abdicou até hoje de métodos e de práticas que forjaram sua personalidade. É uma pena. E um sinal de atraso.
Uma vez no poder, vale tudo para permanecer ali.
Vale o presidente da República escolher sozinho a candidata do seu partido.
Vale ignorar a Constituição e deflagrar a campanha antes da data prevista.
Vale debochar da Justiça.
Vale socorrer-se sem pudor da máquina pública para fins que contrariam as leis.
Vale intimidar a Polícia Federal para que retarde investigações que possam lhe causar embaraços. E vale orientá-la para que vaze informações manipuladas capazes de provocar danos pesados a adversários.
No ocaso do primeiro turno, pouco antes de Dilma se enrolar na bandeira nacional e posar para a capa de uma revista como presidente eleita, a soberba de Lula extrapolou todos os limites.
Ele foi a Juiz de Fora e advertiu os mineiros: seria melhor para eles elegerem um governador do mesmo grupo político de Dilma.
Foi a Santa Catarina e pregou irado a pura e simples extirpação do DEM.
Foi a São Paulo, investiu contra a imprensa e proclamou com os olhos injetados: "A opinião pública somos nós".
O mais sabujo dos auxiliares de Lula reconhece sob o anonimato que o ataque de fúria do seu chefe contribuiu para forçar a realização do segundo turno.
Não haverá terceiro turno.
Se desta vez as pesquisas estiverem menos erradas, Dilma deverá se eleger no próximo domingo – e até com uma certa folga.
Mas a eleição ainda não acabou, meus senhores. A história está repleta de casos onde um passo em falso, um gesto impensado ou uma surpresa põe tudo a perder.
O que disse Lula a respeito do episódio do Rio protagonizado por Serra e por militantes do PT só confirma uma vez mais o quanto ele é menor - muito menor - do que a cadeira que ocupa há quase oito anos.
Lula foi sarcástico quando deveria ter sido solidário com Serra, de resto seu amigo de longa data.
Foi tolerante e cúmplice da desordem quando deveria tê-la condenado com veemência.
Foi cabo eleitoral de Dilma quando deveria ter sido presidente da República no exercício pleno da função.
Sua popularidade poderá seguir batendo novos recordes -e daí? Não é disso que se trata.
Popularidade é uma coisa passageira. Grandeza, não. É algo perene. Que sobrevive à morte de quem a ostentou.
Tiririca é popular. Nem por isso deve passar à História como um político de grandeza.
No seu tempo, Fernando Collor e José Sarney, aliados de Lula, desfrutaram de curtos períodos de intensa popularidade. Tancredo Neves foi grande, popular, não.
Grandeza tem a ver com caráter, nobreza de ânimo, sentimento, generosidade. Tudo o que falta a Lula desde que decidiu eleger Dilma a qualquer preço.
(comentário de leitor no Blog do Noblat)

X Olimfênix

Hoje, no centro de Ensino Fênix, acontece o encerramento da X Olimfenix, com a distribuição de medalhas e troféus para os vencedores.
Pela primeira com temas específicos, a Olimfênix apresentou esse ano a necessidade da preservação do meio ambiente, com uma gincana de conhecimentos gerais.

Além do Ceará , mais três estados querem "monitorar", "fiscalizar", "orientar" a imprensa

Nas pegadas do Ceará, pelo menos mais três Estados ambicionam criar conselhos de comunicação para monitorar os meios de comunicação: Bahia, Piauí e Alagoas.

Deve-se a informação à repórter Elvira Lobato. Quem lê a
notícia fica com a impressão de que a aversão à mídia prolifera como vírus.

A inspiração vem da Conferência Nacional de Comunicação, realizadea no ano passado, sob patrocínio do governo Lula.

Precursora, a Assembéia Legislativa do Ceará aprovou, na semana passada, a criação de um conselho anti-mídia vinculado à Casa Civil do governo do Estado.

Coisa destionada a "orientar", "fiscalizar", "monitorar" e "produzir relatórios" semestrais sobre a atividade dos meios de comunicação.

Em Alagoas, planeja-se converter em “deliberativo” um conselho consultivo criado em 2001. A modificação daria ao órgão poderes análogos ao de seu congênere cearense.

Curiosamente, Alagoas é governada por Teotônio Vilela Filho, do PSDB. Um partido que costuma vociferar contra a aversão do PT e de Lula à mídia.

“Não podemos cruzar os braços”, diz Marcos Guimarães, presidente do conselho alagoano, por ora consultivo.

“Nem tudo o que vai ao ar é agradável à sociedade alagoana”, ele acrescenta. É de perguntar: E para que diabos serve o controle remoto?

No Piauí, treamita na Assembléia Legislativa um projeto enviado pelo ex-governador Wellington Dias (PT), hoje senador eleito.

Sugere a criação de conselho para denunciar às autoridades "atitudes preconceituosas de gênero, sexo, raça, credo e classe social" da mídia.

O órgão vigiaria, de resto, o cumprimento das normas legais impostas às emissopras de rádio e TV.

Na Bahia, comandada pelo governador Jaques Wagner (PT), reeleito no primeiro turno, idealiza-se um conselho vinculado à Secretaria de Comunicação do Estado.

Já está pronta a minuta de regulamento do conselho. Elaborou-a um grupo de trabalho constituído em novembro do ano passado pelo governador.

Segundo o secretário de Comunicação, Robinson Almeida, a encrenca encontra-se sob análise da Casa Civil. Segundo diz, o objetivo não é o de cercear a mídia.

Absteve-se de divulgar o texto. Só virá à luz depois de aprovado passar por uma análise jurídica.

Conforme noticiado aqui, o PPS prepara uma ação para argüir no STF a inconstitucionalidade de leis estaduais que criem conselhos de mídia.

Tomado por suas decisões pretéritas, o Supremo deve mandar à lata do lixo as leis estaduais que imponham limites à liberdade de expressão e de imprensa.
Josias de Souza

domingo, 24 de outubro de 2010

PFC vence novamente Redenção

O PFC viajou até Redenção para enfrentar o Redenção pela seletiva do campeonato paraense de 2011 e venceu bem a equipe do Redenção pelo placar de 4 a 1. Na semana passada o PFC já havia vencido o Redenção por 7 a 0 nos seus domínios .
Os gols foram marcados por Rô, (2), lima (1) e Marçal (1). Com o resultado, o PFC está praticamente classificado para a segunda fase e jogará com o Kikratejê no jogo de volta no dia 3 de no vembro.

Macarrão é r econduzido ao cargo de coordenador do Metabase




Ontem, 23, Raimundo Nonato Amorim, o "Macarrão" foi reconduzido ao corgo de Coordenador do Sindicato Metabase carajás.


Depois de muitas idas e vindas, guerras de liminares, uma oposição ferrenha, Macarrão teve o registro de sua chapa confirmada, o que não aconteceu com seus oponentes e teve seu nome confirmado.


O mandato de coordenador do Metabase é de quatro anos.

Retificação

Na postagem de de manhã, o blog erroneamente veiculou que o Águia havia perdido de 2 a 0 do ABC de Natal. Na verdade o Águia perdeu a partida por 3 a 1 e encerrou sua partiipação na série C. O sonho da série B ficou para o ano que vem.

HD vence a Copa Aicop



A decisão da Copa Aicop acontyeceu nesta sábado, no Ginásio POliesportivo. Inrevista enfrentou a equipe do HD. No final, HD ratificou sua condição e venceu o jogo por 4 a 2.

Nos dois anos anteriores, a equipe com o nome de Band já havia cvencido duas vezes, o que pode se tratar do tri-campeonato.

Na disputa pelo terceiro lugar, o Pebinha de açúcar venceu nos pênaltis a TV LIberal.

No final do evento foi servido uma churrasco regado a uma cerveja bem gelada.

Flusão empata com Atlético Paranaense

Domingão de futebol. Flusão acabar de arrancar um empate com o Atlético Paranaense. Na Arena da baixada. os 2 a 2 acabaram fazendo justiça ao grade espetáculo de futebol. Agora é sacar o Cruzeiro

PFC em Redenção

Hoje a tarde, o PFC enfrenta o Redenção, em Redenção. No primeiro jogo da seletiva, o time de Parauapebas tinhha vencido o Redenção9 no jogo de casa por 7 a 0, mas foi surrpeendido pelo Kikratejê, em Marabá por 1 a 0.

Se vencer o jogo, o PFC praticamente se classifica para a segunda fase, se empatar fica de boa, só não pode ou não deve é perder o jogo, por que fica na obrigação de vencer os índios do Kikratejê em casa, na última rodada. Como no ano passado o PFC perdeu para este adversário em casa, é melhor não correr risco e decidir a parada logo hoje.

Esforço derradeiro

O PT de Parauapebas, finalmente unido está tentando um esforço derradeiro para tentar virar o jogo em Parauapebas , no dia 31 (no primeiro turno foram quase 2 por 1, a favor de Jatene).

Hoje pela manhã, na Chácara do Rio Verde, petistas da vara grossa, petista da ralé, petistas "engoveiros", petistas rebeldes, petistas com muitos votos nas algibeiras, petistas que só tinham o voto dele e da mulher, enfim, petistas. A ordem é atacar, gastar dinheiro se for preciso e no mínimo diminuir a diferênça. Está difícil. De longe se tem a impressão de que ela até aumentou .

Morreram na praia

O fetebol paraense nadou, nadou e morreu na praia. os dois clubes paraenses (Águia e Paysandu), que pleiteavam uma vaga na série B de 2011 foram inapelavelmente batidos. No final de semana passado, o Paysandu, que muitos já estão chamando de "mãesandu" perdeu dentro de casa, por 4 a 2 para o desconhecido Salgueiro de pernambuco e se despediu da competição.

Missão mais difícil tinha o Águia, de Marabá, que pegaria o ABC, de Natal e perdeu em casa no domingo passado por 1 a 0 e hoje, às 10 horas levou mais uma traulitada, perdenco por 2 a 0, em Natal.

Agora é ralar de novo na terceirona do ano que vem e torcer por uma melhor sorte. Melhor sorte e mais competência.

Interditado

A chuva torrencial da sexta-feira, deixou sequelas bem mais sérias do que umas telhas quebradas, ou umas árvores que cairam no cantreiro central.

O forro do banco do Brasil ds Cidade Nova veio ao chão e por conta disso os serviços foram interrompidos. Os estragos são visíveis não só na parte externa, dos caixas eletrônicos, mas também no parte interna do banco.

sábado, 23 de outubro de 2010

Descarga elétrica fatal.

Além de prejuízos materiais, o temporal que desabou na tarde de ontem sobre a cidade causou uma vítima fatal.

Um menino de 12 anos que brincava de bola num campinho no bairro Nova Vida foi atingido por um raio e tombou agonizante. Levado para o hospital ele não resistiu e veio a óbito. Dezenas ve vanzeiros particparam do velório da criança, que ficou de ser sepultada hoje a tarde.

Novos desdobramentos

Referente a prisão de Rodrigo Maia Ribeiro, que teria sido preso com 57 petecas de crack, no início da semana todos os dias aparecem novas informações.

Primeiro foi divulgado que Rodrigo seria advogado e estaria defendendo a cooperativa de Garimpeiros. Depois, que Rodrigo teria sido vítima de uma "casinha" com o objetivo de o incrimar, já que ele teria feito várias denúncias contra militasres que atuavam na região de Serra Pelada na corregedoria da PM.

Ontem o blog recebeu a informação que o registro da OAB de Rodrigo tinha sido cassado, ou seja, ele estaria atuando de forma irregular. O caso promete outros desdobramentos.

Sem receber

A maré não anda muito boa para os lados de Milton Zimmer. Mesmo sendo eleito, o moço não achou dinheiro para quitar os compromissos da campanha. Segundo consta, formiguinhas estariam sem receber e ameaçam engrossar, fazendo campana na porta do candidato até reber os caraminguados.

A mesma situação vive a deputada Bel Mesquita, em Canaã. Informações chegada sontem dão conta que há uma boa quantidade de pessoas que diz que trabalhou para a candidata e não recebeu.

Nova Vida falta tudo, não tem nada



O bairro Nova Vida está encravado entre os bairros Rio Verde e da Paz. Dos três ele é o mais recente e por conseqüência é o que conta com menos serviços públicos. Escolas, água encanada, urbanização, coleta de esgoto e pavimentação são artigos de luxo. A rigor, apenas as ruas Daniela Perez e Rui Barbosa, que são rotas das vans receberam alguns serviços recentemente.

Uma das ruas mais castigadas pelo abandono é a Lauro Corona, que começa no bairro da paz e atravessa todo o Nova Vida. Com uma urbanização razoável no bairro da Paz, a situação muda completamente no Nova Vida. Sem asfalto e cheia de buracos a via pública ainda tem a situação agravada com o esgoto que corre a céu aberto pelas suas extremidades. A lama suja e mau cheirosa que incomoda os moradores segue ao longo da via pública até ser despejada num pequeno igarapé, que corta o bairro. Por se localizar na parte baixa, o pequeno riacho, completamente poluído recebe coliformes fecais de boa parte do bairro e deságua no Igarapé Ilha do Coco.

Além da canalização do esgoto, a população também se ressente dos outros benefícios como iluminação pública, água encanada e pavimentação. Evanilson Silva, por exemplo, trabalha em Carajás e necessita pegar a condução cedo. Segundo ele, a falta de iluminação pública é um dos fators de risco para os trablahadores que precisam pegar a condução para Carajás e outras localidades, “muitos colegas já foram assaltados porque o bairro é muito perigoso e praticamente não tem iluminação”, diz.

A dona-de-casa Irami Rodrigues dos Santosa mora na rua vizinha, mas sofre com os mesmos problemas, com o agravante de não ter energia elétrica suficiente para atender a demanda. “na minha rua só tem dois postes e um pouco adiante existe uma invasão que conta com umas 40 famílias. O resultado é com o número de ligações clandestinas, durante a noite, não há energia suficiente para fazer funcionar geladeira, TV, eletrodomésticos”, conta a moradora, que é testemunha de muitos blecautes causados pelos curto-circuito. Além disso, Irami reivindica a abertura da sua ruas e a colocação de asfalto e do esgoto, “coloca na matéria que a maior parte do bairro não tem água”, finaliza. Como se vê o bairro é carente de tudo.

HOJE - 434


Capa do HOJE, que já está nas bancas e denuncia o estado da periferia da cidade. Falta, água tratada, energia, asfalto, saneamento básico, enfim, falta tudo.

Eu sou advogado

Um advogado dirigia distraído quando, num sinal de PARE, passa sem parar, em frente a uma viatura do BOPE.
Policial: - Boa tarde. Documento do carro e habilitação.
Advogado: - Mas por que, policial?
Policial: - Não parou no sinal de PARE, ali atrás.
Advogado: - Eu diminui e como não vinha ninguém...
Policial: - Exato... Documento do carro e habilitação.
Advogado: - Você sabe qual é a diferença jurídica entre diminuir e parar?
Policial: - A diferença é que a lei diz que num sinal de PARE, deve-se parar completamente. Documento e habilitação.
Advogado: - Ou não, policial. Eu sou advogado e sei de suas limitações na interpretação de texto de lei. Proponho-lhe o seguinte: Se você conseguir me explicar a diferença legal entre diminuir e parar, eu lhe dou os documentos e você pode me multar. Senão, vou embora sem multa.
Policial: - Positivo, aceito. Pode fazer o favor de sair do veículo, Sr. Advogado?
O advogado desce e então os integrantes do BOPE baixam o cacete, soco pra tudo quanto é lado, tapa, botinada...
O advogado grita por socorro, e implora: pare... pare...
E o policial pergunta:
- Quer que a gente PARE ou DIMINUA?
Advogado:
- PARE!...PARE!...PARE!...
Policial:
- Entendeu, doutor?... Um é diferente do outro. Documento e habilitação, faz favor...

(do Blog do Willian Bayerl)

Desvio e dever

Míriam Leitão

A grande questão não é o que acertou a cabeça de José Serra em Campo Grande, mas o que há na cabeça do presidente Lula. É assustador que ele não perceba o perigo de usar toda a sua vasta popularidade para subestimar um episódio de conflito físico entre grupos que disputam o poder.

Se ele brinca com fato grave, o que está avisando é que esse tipo de atitude é aceitável. Não é.

Cada lado tem que ter segurança e garantia de fazer a sua festa, a sua passeata, o seu comício em paz. Quem organiza um grupo para interceptar a caminhada do grupo concorrente na disputa política sabe que há risco de que tudo fuja ao controle.

O que houve já foi sério o suficiente, mas poderia ter sido ainda pior. Felizmente, há tempo de aprender com esse episódio.

A paixão eleitoral é natural, o maniqueísmo do segundo turno é emburrecedor, o confronto entre as partes só é aceitável se ficar no campo das ideias e propostas.

Quem vai com um grupo organizado para hostilizar o adversário no meio da sua caminhada sabe que os ânimos podem ficar exaltados. Desta vez, foi uma pedra na cabeça de uma jornalista, e o rolo de fita na cabeça do candidato José Serra. Esse episódio deve ser visto pelo risco potencial de conflito generalizado.

As imagens falam por si. O que mais poderia acontecer numa refrega de rua?

No Paraná, a candidata Dilma Rousseff, no dia seguinte, foi alvo — felizmente quem lançou errou a pontaria — de balões de água. Esse é exatamente o ponto em que o chefe da Nação precisa pedir calma aos dois lados, lembrar os valores democráticos, e a melhor atitude na disputa política.

Mas é exatamente neste momento que o presidente ofende quem foi atingido e convalida o comportamento desviante de quem agrediu. Ao tratar com leviandade um assunto sério, incentivou a militância a repetir o comportamento, escalou o conflito e deseducou o cidadão.

Essa campanha eleitoral está deixando cicatrizes nas instituições. Um presidente da República não deve fazer o que o presidente Lula tem feito. Não deve usar a máquina, a Presidência, o poder em favor de um dos candidatos dessa forma e com essa força.

Claro que Lula tem um lado, um partido e uma candidata. Pode e deve explicitar isso. Seria estranho se não o fizesse. Mas a Presidência da República não pode ser usada como braço do comitê de campanha.

Existe uma linha divisória que Lula nunca quis ver. E esse comportamento errado do ponto de vista institucional se repetiu durante toda a campanha. Em alguns momentos, os atos inadequados do presidente ficaram evidentes.

Esse episódio deixou claríssimo o que não se deve fazer. Que as pessoas que vierem a ocupar este cargo no futuro vejam nas atitudes do presidente Lula de 2010 exemplos do que não fazer, não repetir.

O risco é que seja visto como natural daqui para frente o governo usar órgãos públicos para espionar adversários políticos; órgãos públicos, estatais e agências serem partidarizadas de maneira abusiva; o presidente não ter freio institucional.

Não se acostumar com o erro repetido é a única garantia que se tem em momentos assim.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Agressão a Serra - protesto do jornalista do SBT

Nota do jornalista Marco Alvarenga, autor da reportagem do SBT sobre a agressão a Serra:

"Fiquei profundamente transtornado ao ver e ouvir no programa eleitoral da candidata Dilma Roussef um trecho da reportagem que gravei sobre a agressão sofrida pelo candidato José Serra no Rio.

Em toda minha carreira profissional, NUNCA participei direta ou indiretamente de qualquer campanha eleitoral. JAMAIS servi a candidaturas, e desejo continuar assim. Não aceito, por mais insignificante que seja, qualquer associação do meu trabalho a esta disputa subterrânea. Minha voz só a mim pertence.

Em nenhum momento na matéria afirmo que o objeto que aparece nas imagens foi o único a atingir José Serra durante a confusão, muito menos ter sido o causador da dor manifestada pelo candidato.

Perguntei a 2 assessores do PSDB se haviam visto o quê atingira Serra. Eles responderam negativamente.Tentei, por meio de assessoria, ouvir o candidado. Ele preferiu falar apenas à TV Globo.

Fui informado de que a direção de jornalismo do SBT não autorizou a veiculação e , prontamente, acionou o departamento jurídico para adotar as providências necessárias. Isto me alivia. Fosse outra a postura, não me sentiria mais em condições de continuar nesta casa."

(Blog do Noblat)