"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha
de ser honesto".

(Rui Barbosa)


segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Vereadores de volta

No próximo dia 02, os vereadores oficilament ecomeçam a dar expediente, mas a sessão solene de início dos trabalhos só no dia 14.

Colisão terrivel na PA-275

Tumulto de populares na PA

José Pereira sendo imobilizado pelos bombeiros
Hoje pela manhã, um acidente muito grave chocou a população dos arredores do bairro Beira Rio. Um caminhão-caçamba da empresa Clena Service, placa JUA 7481 colidiu com uma moto, placa JWC 2553, conduzida pelo mototaxista José Pereira da Cruz, que na ocasião transportava um passageiro, até o momento não identificado.
Segundo testemunhas que estava no local, a moto, assim como a caçamba seguiam no mesmo sentido, da avenida da quartel dos Bombeiros para a PA-275 e esperavam a vez de adentrarem na rodovia. No momento em que José Pereira ganhou a PA, a caçamba fez o mesmo procedimento e na curva se precipitou para cima da moto. Ainda segundo as testemunhas, depois de arrastar a moto por uns três metros, a caçamba ainda passou por cima da moto e do mototaxista. O passageiro da moto, milagrosamente não foi esmagado, mas quebrou uma das pernas.
Poucos minutos depois, o Corpo de Bombeiros chegou para resgatar José Pereira e o levou para o hospital. Seu estado era crítico e ele já não se mexia, com suspeita de que já estivesse morto, mas essa possibilidade não foi confirmada.
A colisão atraiu centenas de curiosos, o que congestionou o tráfego de veículos. Na confusão outra caçamba bateu num veículo pequeno, mas sem gravidfade. No local, mototaxistas revoltados ameaçavam incendiar a caçamba que estacionou cerca de 20 metros depois da batida.
Funcionários da Clean Service que chegaram um pouco depois não quiseram falar quem era o motorista envolvido no acidente, mas, informações obtidas davam conta que o motorista da caçamba era novo na empresa, sendo este o seu primeiro de trabalho.
A pesar dos boatos de que José Pereira viera a óbito, até o momento, não se tem notícia oficial sobre isso.
Atualização 01/02
Infelizmente, o mototaxista José Pereira da Cruz veio a óbito, em decorrência do atrolelamento. O velório está acontecendo nas Casas Populares I e seu sepultamento está ´revisto para a tarde, às 16 horas.

Bete, Lídia e Neném


O blog abre espaço para Elisabete, Lídia e Neném. As três deram o ar da graça na festa do Miquinha.

Armando e Cristiano


A dupla da foto acima é Armando e Cristiano, que faz sucesso nos bons eventos da cidade e da região. No sábado, os dois deram uma palhinha no níver do vereador Miquinha. Valeu, galera.

Passeios públicos ocupados

Parauapebas sempre foi o paraíso dos camelôs e ambulantes, mas ultimamente a coisa está se tornando um verdadeiro mercado grego, no qual ninguém é de ninguém. Os espaços públicos estão cada vez mais ocupados, vendedores de meias, sombrinhas, DVDs, cintos, óculos, artigos da 25 de março e outras quiquilharias pululam pelas ruas, deixando o pedestre bestificado, não com a falta de espaço (isso ele já está acostumado), mas com a oferta, muitas vezes agressiva dos vendedores, que quase o intimam a levar o que ele não quer.
Tá na hora de se criar um espaço próprio para o segmento (atenção, não pode ser na conchichina).

Fichas na Casa do Cidadão

Será que tem gente levando algum, na distribuição de fichas na Casa do Cidadão? Informações de quem se sentiu prejudicado dão conta de que quem dorme na fila muitas vezes ficam a ver navios.

Caipirinha no tanque

A última novidade do mundo etílico é a caipirinha no tanque, alguém aí já viu? É o seguinte: A galera bota a cachaça no tanque de lavar roupa, adiciona o limão e o açúcar e bota pra bater. Depois é só servir com gelo.
Quem já bebeu garante que é um tapa na orelha e meia hora depois, tem nego bicudo.

Comentário

"Parauapebas parece uma linda boneca de pano nas mãos de uma menina sebosa".

Frase de um cidadão, se referindo a administração do atual prefeito.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Mulheres são palavras

Jorge Tadeu

Mulheres são palavras
Soltas e espaçadas
Loucas e alucinadas...
Mulheres e seus cabelos
Soltos e perfeitos
Despertam medo e receio

Mulheres de maternidade
Com a visão da eternidade
Perpetuam a humanidade...

E o que sabem as mulheres
Quando estimulam os sentidos
E se transformam, indefiníveis...

Mulheres notívagas,
Movidas à luz da lua,
Estão no céu e flutuam...

Mulheres de liberdade,
Em espaços apertados,
Com os olhos no horizonte

Mulheres aladas,
a beleza ilustrada,
No céu são encontradas...

e Para acompanha-las é melhor soltar...

as armas as asas.

O governo Dilma e o salário mínimo

Ilimar Franco, O Globo

Mesmo que o governo tenha endurecido seu discurso, seus integrantes estão convencidos de que terão de negociar um reajuste maior que os R$ 545. No Palácio do Planalto já há quem fale em R$ 550. Mas a orientação é fincar pé e adiar ao máximo qualquer concessão. Pelo cronograma, não dá para ceder agora, pois o mínimo só deve ser votado nos primeiros dias de março. Somente depois de vencer esta etapa é que o governo vai tratar da correção da tabela do Imposto de Renda.

Super notícia tem a maior circulação do país

O Estado de S.Paulo

Os leitores mineiros festejaram a ascensão do tabloide Super Notícia à condição de jornal de maior circulação no País, desbancando a liderança do diário paulistano Folha de S. Paulo.

Desde que foram divulgados os dados relativos ao ano de 2010 do Instituto Verificador de Circulação (IVC), no começo da semana, o jornal popular, editado em Belo Horizonte, vem publicando as manifestações e aplausos de seus leitores na seção de cartas.

Lançado em maio de 2002 em Minas Gerais, o Super Notícia já tinha experimentado a sensação de liderança entre os maiores jornais do País em agosto de 2007, quando, por um mês, foi o jornal mais vendido do Brasil.

Agora repetiu a façanha, mas desta vez graças à média anual de 296 mil exemplares, que o levou a superar a Folha, que manteve sua média anual na casa dos 294 mil exemplares. A liderança no ranking do jornal de São Paulo durou 24 anos.

Na lista dos dez maiores, o Super Notícia não é o único que segue a linha mais popular. Outros títulos voltados principalmente para as classes C e D também se destacam, como o Extra e o Meia Hora, do Rio, com 242 mil e 158 mil exemplares, respectivamente, além do Diário Gaúcho, do Rio Grande do Sul, com 151 mil exemplares.

Todos os populares exibem perfil semelhante. Usam e abusam de uma linguagem simples e direta. Têm preço mais baixo que os jornais tradicionais e o destaque noticioso quase sempre recai sobre as manchetes policiais.

Há um farto repertório de informações esportivas e de prestação de serviço, mas há também notícias sobre celebridades televisivas e entretenimento.

A maioria opta pelo formato tabloide, menor que o dos jornais convencionais e mais fácil para ser lido em percursos de trem, ônibus ou metrô.

O Super Notícia pertence à Sempre Editora, que publica seis jornais e está debaixo do guarda-chuva do Grupo Sada, comandado pelo empresário e político do PSDB, Vittorio Medioli.

Leitor: "Massud não saiu, tiraram ele"

Escondido no anonimato (não tão anônimo assim), o leitor que se considera anônimo discordou do fato de o vereador Massud ter sito que era oposição e que saíra do governo. Na sua argumentação, Massud não saiu, tiraram ele. Bom, quem disse que saiu foi o próprio vereador, ele tem direito de achar que saiu, assim como o leitor petista e darcisista também tem o seu, de achar o contrário. Sou da opinião de que se em plena campanha ele se comportava como oposição, era uma forma de dizer que havia saído, só não vê quem não quer. Darci viu e trabalhou para tirar a presidência da Câmara da mão de Massud. Está no seu direito, assim como o vereador também, ao reafirmar o que já disera na campanha, que era oposição.
Abaixo, a reprodução do comentário:

"Ele não saiu, ele foi mandado embora, ele fazia parte da incompetência que agora se acredita autorizado a criticar. Talvez ele, ao lado da turma do PDT, do seu Valmir, do seu Adelson, do seu Evaldo sejam o que mais de incompetente podíamos ter. Só saem quando são mandados embora, são verdadeiros sanguessugas, vampiros!

Me impressiona o blogger adotar e propagandear a versão da figura, quando os fatos são conhecidos até do mundo mineral.

A figura no papel de prefeito? Vc acha que Paraupebas merece? Não te basta Chico Brito, Faisal, Chico da Cortinas e Darci.

Rapaz, tu amas Parauapebas!"

sábado, 29 de janeiro de 2011

Miquinha comemora aniversário

Muita gente no aniversário do vereador Miquinha, ocorrdio hoje, na escola Paulo Freire, na Palmares Sul. Milton Zimmer, Zé Alves, Eusébio Rodrigues, Pedro Alcântara, Anderson Moratório, Antônio Neto, Faisal Salmen,, a comunidade local e da zona rurale uma g rande parte da im prensa que particiou alegremente da boca livre.
Mais uma vez Miquinha mostra o quanto é querido. Parabéns vereador.

Charge


Hiroshi presente

Na reunião da Vale com os vereadores de Parauapebas, na sext-feira, para apresentação do projeto de cobre do Alemão, registre-se apresença de um dos blogueiros mais acessados do Pará. Trata-se do jornalista Hiroshi Bogea, que além de registrar o evento, teve a oportunidade de almoçar com o secretário de Cultura, Cláudio Feitosa, seu amigo de longa data.

Vale apresenta novo projeto de cobre do Alemão

Plateia atenta na reunião de apresentação do novo projeto da Vale. Vitoraso e Euclides (Vale) foram os palestrantes

Uma seleta plateia composta por vereadores, membros do Poder Judiciário, cidadãos do povo e imprensa compareceu ao auditório da Câmara nesta quinta (27) para tomar conhecimento do novo projeto de cobre da Vale, que deve entrar em fase de implantação em 2014 e em operação em 2016. Trata-se do Projeto do Alemão, no local onde funcionava a mina de ouro do Bahia. Diferente das minas de cobre do Sossego, que são a céu aberto, a mina do Alemão terá exploração subterrânea.
Eugênio Vitoraso, gerente geral do Cobre, da Vale; Antônio Euclides, Coordenador do Projeto do Alemão e Luís Veloso, Gerente de Relações Institucionais da Vale ministraram a explanação, exigida pela legislação. A audiência pública, que definirá a concessão de exploração e será convocada pelo Ibama deverá acontecer ainda no mês de fevereiro.
A jazida de cobre do alemão, localizada no território do município de Parauapebas é uma das maiores da mineradora e deve contribuir para o objetivo da Vale, que é ser a terceira ou a quarta produtora de cobre do mundo em 2016. Atualmente a Vale produz 250 mil toneladas de cobre por ano. Em 2016, a empresa pretende produzir cerca de um milhão de tonelada do minério.
Segundo informação dos representantes da Vale, a mina do Alemão tem cerca de 106 milhões de toneladas de minério, sendo 1,5 toneladas de cobre, 80 toneladas de ouro e o restante de outros concentrados. A exploração teria a duração de 22 anos.
Empregos – De acordo com as informações fornecidas por Antônio Euclides, durante a implantação, o projeto terá uma oferta de postos de trabalho de dois mil trabalhadores, “no pico o projeto prevê três mil pessoas trabalhando diretamente para a Vale ou para empresas terceirizadas”, disse Euclides. A mineradora calcula que pagará cerca de R$ 137 milhões em impostos, dos quais R$ 13,3 milhões serão pagos em royalties.
Após a explanação, a empresa abriu espaço para perguntas dos expectadores. Os vereadores Faisal Salmen inquiriu a Vale sobre os muitos investimentos fora do município, como siderúrgica em Marabá, infra-estrutura em Canaã e muito pouco em Parauapebas. Salmen também observou que as jazidas de ferro de Parauapebas estavam se exaurindo rapidamente e que a empresa tinha obrigação de ajudar o município numa nova matriz econômica.
As observações posteriores também foram nesse sentido. Leonidas Mendes, secretário adjunto de Planejamento do município e Eline Salgado juíza da Vara Cível de Parauapebas também cobraram da Vale mais investimentos em Parauapebas, “tudo que acontece no município tem a ver com a Vale, inclusive o que impacta socialmente. Não se nota a mesma vontade da Vale em investir em Parauapebas como investe em outros município”, afirmou a magistrada.
A falta de investimentos da mineradora no município deve pautar a audiência pública que ocorrerá em fevereiro próximo.

Prédio desaba em Belém




A situação no perímetro próximo ao local onde um prédio em construção desabou na tarde deste sábado (29) é tensa e desoladora. A ameaça de novos desabamentos na Travessa 3 de Maio entre José Malcher e Magalhães Barata deixa em pânico principalmente moradores e fez com que o Corpo de Bombeiros isolasse a área.

O prédio que caiu, Real Class, tinha 34 andares e pertencia à empresa Real Engenharia. Duas pessoas foram removidas com ferimentos. Uma delas passava no local na hora do desabamento e outra estava na casa vizinha, que foi atingida.

Moradores de prédios vizinhos relataram os momentos assustadores passaram. “Eu estava assistindo televisão quando ouvi um barulho muito grande. Pensava que era uma explosão. Todos os moradores correram para a janela para ver o que era e só vimos uma nuvem de fumaça branca que cobriu toda a área”, contou o webdesigner Fabrício Bezerra.

O acidente também aterrorizou quem comprou apartamento no prédio. Inara Cavalcante mal pode acreditar na notícia. “Minha irmã viu o prédio caindo e me ligou. Estou indo pra lá”', disse.
Segundo ela, o prédio seria entregue em dezembro de 2011 e já estava na fase de acabamento. “Eles estavam terminando a última laje e fazendo o revestimento externo”, informou.

O número de operários que estariam na obra foi retificado pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil. Segundo o presidente do sindicato, Aílson Cunha, apenas seis trabalhadores estavam na obra no momento do acidente. O Corpo de Bombeiros já trabalha na remoção de duas pessoas.

O secretário estadual de Saúde, Hélio Franco, está no local e informou que todo o aparato do governo está à disposição da população para ajudar no resgate das vítimas e possíveis sobreviventes. “Colocamos todas as ambulâncias de urgência e emergência do Estado, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Defesa Civil à disposição. Toda a vizinhança foi retirada e agora o Corpo de Bombeiros vai verificar a presença de vítimas e sobreviventes”, afirmou.

Além disso, o secretário informou que todos os hospitais de Belém estão de prontidão para atender os feridos.

O governador Simão Jatene afirmou que a prioridade agora é evitar uma nova tragédia. “Tudo está sendo feito para evitar que esse prédio ao lado também desabe e aconteça uma nova tragédia. A área tem que ficar isolada porque as máquinas vão começar a trabalhar e aí haverá trepidação e novos riscos”, garantiu Jatene.

Ele também informou que o número exato de trabalhadores que estavam na obra ainda não foi confirmado. “Entre três e seis operários, ainda não sabemos ao certo”, confirmou. O Corpo de Bombeiros pede que os oficiais que estiverem de folga se dirijam ao local para ajudar. (ORM)

Resposta

O blog gostaria de dizer que ao contrário do que falou o comentarista da postagem sobre o governador eleito, Simão Jatene, o blog na pessoa do jornalista Marcel Nogueira não tem governador e nem senador, "eles são políticos eleitos pelo povo e enquanto ostentarrem o mandato popular são governadores e senadores do Pará, da mesma forma que Darci Lermen é prefeito de Parauapebas, ainda que seja isso que todo mundo conhece.
Votei em Jatene, não por achar que ele seria a paneceia do mundo, ao contrário, sempre achei que ele não era lá essas coisa, mas suportar Ana Júlia por mais quatro anos, dá licença.
Pois é, não tenho obrigação de justificar voto (o que tem de gente que tem orgulho de ter votado no Darci, não está escrito), mas às vezes é melhor votar em alguém meia boca, do que dar sobrevida política para quem não presta.

PTB não tem meio termo, é oposição




Em conversa com o blog, na última sexta-feira, o vereador Antônio Massud (PTB)deixou bem claro que o PTB está na oposição, "não tem meio termo, somos oposição".


Ao contrário do que muita gente acha, o vereador não lamenta ter criticado o governo municipal, durante a campanha eleitoral, o que pode ter lhe custado a presidência da Cãmara. "Não lamento, fiz consciente porque não dava para continuar compactuando com um governo que não consegue ter uma gestão com um mínimo de competência, não adianta ficar esperando o que não vem, durante muito tempo, tentamos ajudar no sentido de que o governo melhorasse, mas quando vimos que não adiantaria, preferimos sair".


Ao contrário do que muita gente acha, que ele é mal agradecido, que cuspiu no prato que comeu, o blog acha que o vereador fez o certo. Compactuar com o que está errado é um mal muito maior do que sair, ainda que saia tarde.

Comentário sobre Jatene

Comentário de um leitor anônimo, que fez o favor de colar matéria. Como é interessante, o blog publica.

JATENE E FLEXA SERÃO PRESOS E CASSADOS ANTES DO FIM DOS SEUS MANDATOS, ESSES SÃO OS CANDIDATOS DO BLOGGER!!!!

O governador tucano do Pará, Simão Jatene, pode ser a bola da vez entre os governadores que caem por envolvimento em escândalo de corrupção, seguindo os passos de José Roberto Arruda (ex-DEMos/DF).
O motivo é o processo 2007.39.00.009063-6 no Tribunal Regional Federal do Pará, contra o governador demo-tucano e outros. Trata-se de um inquérito policial que apura:
- Corrupção Passiva;
- Crimes contra a administração pública;
- Falsidade Ideológica;
- Crimes contra a fé pública;
- Corrupção ativa;
- Crimes praticados por particular contra a administração em geral.
Eleito governador, recobrou foro privilegiado, e o processo contra ele deve subir para o STJ, o mesmo tribunal onde foi expedido o mandado de prisão contra Arruda.
O escândalo vem desde a eleição de 2002 (primeira vitória de Jatene), conforme descreveu reportagem da revista IstoÉ nº 1833 de novembro/2004:
Tudo começou na manhã de 12 de agosto de 2004, quando o fiscal do Ministério Público do Trabalho, acompanhado de um procurador e dois delegados da Polícia Federal, chegou à sede da Cerpa, flagrando uma funcionária do departamento pessoal com a boca na botija: Ana Lúcia Santos separava os envelopes e contava R$ 300 mil em notas miúdas com que fazia o pagamento “por fora” dos funcionários, sem registro em carteira.
Com a perícia sobre documentos e computadores apreendidos, além da fraude trabalhista, os agentes encontraram relatórios detalhados com nomes, datas e valores descrevendo a relação de corrupção explícita existente entre a cervejaria e a campanha do governador.
Em um dos documentos, como atas de reunião, um executivo da Cerpa descreveu a decisão de agosto de 2002, em plena campanha eleitoral: “Ajuda a campanha do Simão Jatene p/Governo, reunião feita com Dr. Sérgio Leão, Dr. Jorge, Sr. Seibel, a partir de 30/08/02 (toda Sexta-feira), R$ 500.000, totalizando seis parcelas no final.”
Seibel é Konrad Karl Seibel, dono da Cerpa.
Leão é Francisco Sérgio Leão – atual secretário de Governo – que presidia a comissão estadual que avaliava a política de incentivos, na época.
Perdão de impostos e “caixinha” de campanha
Em 2000, no governo Almir Gabriel, a CERPA ganhou de presente o perdão da dívida de quase R$ 47 milhões de ICMS atrasado e uma dezena de autuações por fraude e sonegação. Uma caixa com 24 garrafas de cerveja, com valor de R$ 21, viajava com nota fiscal de R$ 3, segundo apuraram os promotores.
Em contrapartida ao perdão, acusa a representação do INSS enviada ao procurador-chefe do Ministério Público do Pará, Ubiratan Cazeta, a Cerpa prometia contribuir com R$ 4 milhões para a campanha de Jatene, “além de se comprometer a efetuar outros pagamentos no montante de R$ 12,5 milhões”.
Os primeiros R$ 3 milhões foram pagos em seis parcelas de R$ 500 mil – a última exatamente no dia da eleição, 3 de outubro. O troco de R$ 1 milhão foi pago 21 dias depois.
O reforço de R$ 12,5 milhões, conforme os livros de contabilidade apreendidos na blitz, foi pago em prestações durante do final do mandato de Gabriel e nos dois primeiros anos do governo de Jatene, em 2003 e 2004.
A cota final de R$ 6 milhões foi parcelada em dez vezes – a última delas programada para agosto de 2004.
No final de agosto de 2002, poucas semanas antes das eleições, a Cerpa repassou R$ 202.050 para a campanha tucana, disfarçados de “patrocínio das festividades do Círio de Nazaré”, a maior festa católica da Amazônia. Nenhum pagamento foi contabilizado como doação de campanha.

Nove meses depois da posse, Jatene assinou três decretos num único dia, 29 de setembro de 2003, concedendo à Cerpa um desconto de 95% no ICMS devido ao Estado e prorrogando seus benefícios fiscais por mais 12 anos, ao lado de outras 37 empresas.

Iremar


O nosso amigo Iremar Araújo, figura querida da comunicação está respirando outros ares. Depois de vários anos morando na terrinha, voltou para o seu lugar de origem, a saber, Natal, mais especificamente, Parnamirim.
De longe , o blog deseja muitas felicidades ao Iremar, camarada gente boa, da melhor qualidade .
Felicidade amigo.

HOJE - 443


Capa do HOJE, que já está nas bancas. Destaque para matéria sobre os blogs de Parauapebas.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Inverno castiga ruas do Bela Vista

Rua Jari - há muito tempo qu a lama e o mato interromperam o trafego de veículos
Rua Jopé Piveta - esse é o resultado do última chuva


Como já se esperava, o inverno rigoroso está castigando uma grande numero de Bairros da periferia da cidade. A falta de estrutura, como drenagem pluvial tem contribuído para o agravamento da situação. Basta uma chuva mais forte para paralisar o tráfego de veículos e inundar residências.
Um exemplo da situação caótica, que se arrasta há vários anos é o do bairro Residencial Bela Vista, localizado na divisa Caetanópolis. As ruas José Piveta, Jari, Sapoti, entre outras, estão em situação deplorável, com o tráfego de veículos interrompido pela ação das chuvas. Enormes poças de lama, prejudicam até o fluxo de pessoas.
A última chuva forte, ocorrida na madrugada do dia 26, ocasionou uma forte inundação em um perímetro da rua José Piveta. Moradores afirmaram que a água alcançou quase 50 centímetros acima do nível da rua, o que transtornou a vida dos moradores. À reportagem Gildenes Soares Pacheco afirmou que o fluxo da água foi tão grande que invadiu sua residência e uma igreja evangélica que fica nas proximidades. Por não ter um ponto de drenagem, a água se acumulou e causou o transtorno. “Todo os anos é a mesma coisa no inverno. A prefeitura sabe do problema, mas nunca aparece ninguém para providenciar a drenagem”, disse.
Por causa do problema, a direção da igreja cedeu uma parte do terreno para que a prefeitura providenciasse a colocação das manilhas para canalizar a água, mas até o momento nenhum iniciativa nesse sentido aconteceu.
O mesmo drama vive Francisco Renato Barbosa. Ele conta que muitas vezes para chegar à sua casa tem que tirar os calçados, ‘‘nós estamos vivendo uma calamidade. Na campanha o prefeito disse que iria asfaltar as ruas do bairro, já está acabando o mandato e ele só asfaltou a Bom Jardim, porque é a rua das vans, o resto continua do mesmo jeito”. Renato mora no local há vários anos e diz que sempre viveu esse problema no período das chuvas, “é uma pena que eles só lembram da gente na época da eleição”.
Em entrevista, Jose Neto, presidente da Associação dos Moradores do Residencial Bela Vista afirmou que o problema é antigo e é do conhecimento da secretaria de Obras. “No ano passado o secretário de Obras esteve aqui e prometeu fazer os serviços, mas, o tempo passou e a rua permanece do mesmo jeito’’. Jose Neto não descarta fazer uma manifestação com os moradores na sede da prefeitura.

Universidade tecnológica prevista para Parauapebas

O ano de 2011 promete ser muito positivo para a educação de Parauapebas. Além da uma escola técnica, que deve ser construída no bairro Cidade Jardim, uma Unidade da Universidade Federal do Pará deve ser instalada em Parauapebas até o final do ano.
A informação foi passada pelo vereador do PSDB, Faisal Salmen. De acordo com o parlamentar, durante a campanha ele falara com o futuro governador Simão Jatene sobre a necessidade de se inserir no programa de governo a implantação de uma universidade tecnológica em Parauapebas. Dias depois, numa reunião nas dependências do Atriun Hotel, o então futuro governador garantiu que Parauapebas receberia a universidade. “O nosso pedido partiu de uma necessidade de qualificar e preparar nossos jovens para o mercado de trabalho, com oferta de cursos superiores voltados para o mercado”, disse.
A Universidade Federal é uma instituição federal brasileira que abrange o ensino Médio Integrado, e os ensinos superiores, como Bacharelados, Licenciaturas e Tecnológicos, com alternativas para cursos de formação para Mestrados e Doutorados em diversas áreas de conhecimento.
Na semana passada, o vereador esteve em Belém, conversando com o secretário estadual de Educação, Nilson Pinto, o qual confirmou a disposição do governo em implantar a Universidade em Parauapebas. A instituição funcionaria nas instalações da Escola técnica. As duas instituições serão administradas pelo governo do Estado. “Estivemos conversando com o secretário de Educação e recebemos a boa notícia, que não deixa de ser o resgate de um compromisso do governador com a população de Parauapebas”, finalizou Faisal.

A ação dos maus e o silêncio dos bons

Numa democracia, pior do que a ação dos maus é o silêncio conivente dos bons. O que se esperar dos maus? Nada. Os mais são maus e pronto. O que se esperar dos bons? No mínimo que eles sejam uma reserva de dignidade e de indignação, diante das injustiças. Quando isso não acontece, o que de melhor pode acontecer é uma enorme avalanche de trevas.
A verdade é que o primeiro grupo nunca perde um minuto da vida pensando no coletivo, ao contrário, ocupa seu tempo planejando com se servir do coletivo, como se dar bem às custas da maioria e isso inclui as questões políticas e até as pequenas coisas do dia-a-dia, de cunho comportamental, ou que envolvam cidadania.
Tomando por base esse município localizado no sopé da serra, é possível verificar o quanto os interesses comunitários são solenemente jogados na lata do lixo. O sonho de consumo da nova classe média, que se firma a cada dia como a antítese do que ela já representou, é auferir dividendos dos recursos públicos que transbordam generosamente nos contratos, licitações e o que mais existe. Não é de estranhar que uma parcela considerável dessa tem alguma espécie de contrato com o Poder Público; parentes ou aderentes que alugam equipamentos, ou que emprestam seus nomes à empresas abertas com o único e exclusivo fim de vender para a prefeitura em contratos cujo teor deveriam ser investigados por quem de direito.
Criativa e sem dar espaço ao merecimento essa turma preenche quase todas as nomeações, se tornando apaniguados da classe política e nas campanhas eleitorais se jogam de cabeça, se tornando meros cabos eleitorais, não do políticos, mas da manutenção dos seus privilégios.
Já as ditas pessoas de moral ilibada, que pagam impostos sem reclamar, que cumprem os deveres de cidadãos não são tão excelentes assim. Ainda que pareça paradoxal, a leniência característica dos que não querem se envolver, dos que acham que roubalheira no serviço público é apenas assunto da polícia acaba deixando espaço para os aproveitadores.
Sem querer, ou sem perceber, as pessoas de bom caráter acabam fazendo o jogo dos picaretas, que torcem desesperadamente para que estes continuem quietinhos, no seu canto, permitindo assim que as negociatas de gabinetes perdurem para sempre.
Infelizmente, os bons lenientes, já não são tão bons assim, porque vivendo no seu mundinho e acabam se parecendo cada vez mais com os maus, que deixam para o mundo apenas as fezes, ainda assim, porque não podem levar.
(artigo publicado no jornal HOJE, edição 443)

Novas mídias têm blogs como ponto alto

Valdyr Silva, Marcel, Zedudu e Wanterlor são alguns dos blogueiros de sucesso de Parauapebas


Na contemporaneidade, as novas mídias são o que se pode chamar de mais moderno. No mundo digital, os sites, blogs, twitter, facebook surgem como uma importante ferramenta de comunicação, num mundo de infinitas possibilidades.
Inseridos nesse universo, os blogs são considerados instrumentos de compartilhamento de informações escritas e se caracterizam pela agilidade na veiculação da notícia, muitas vezes em tempo real.
Diferente dos sites, utilizados como veículos de comunicação de empresas, e do twitter, que é uma espécie de microblog, comportando no máximo 140 caracteres por postagem, os blogs são de fácil manuseio e não tem limite de espaço, podendo ser uma simples agenda eletrônica, ou se tornar um portal de notícia.

Por conta das facilidades, os blogs se multiplicaram e em Parauapebas não foi diferente. Atualmente um grande número de blogs funciona regularmente na cidade. Quase todos abordam temas do cotidiano da cidade, assim como a política e acontecimentos sociais. Os acessos cada vez mais crescentes são sinalizações que os blogs vieram para ficar. Páginas como a do Zedudu, Waldyr Silva, Willian Bayerl, Wanterlor Bandeira, Eldan Nato, Rosângela Sampaio, Marcel Nogueira e tantos outros fazem a alegria dos afccionados por esse tipo de mídia.
Pioneiro nesse segmento, o jornalista Waldyr Silva conta que a ideia surgiu durante uma viagem em novembro de 2006, quando pouca gente tinha ideia do que seria um blog. Em contato com outros jornalistas, que possuíam esse tipo de página na web, ele resolveu implantar o seu. O sucesso foi imediato e até hoje o Blog do Waldir é um dos mais acessados.
Na esteira do sucesso de Waldyr, José Eduardo Vale, o “Zedudu” criou seu blog no início do ano de 2008. Por imprimir um ritmo profissional e está sempre antenado com as coisas da região, o Blog do Zedudu é hoje o mais acessado de Parauapebas.
Todos começaram como um passatempo, mas em razão da imensa quantidade de visitantes, criou-se uma espécie de contrato de leitura, no qual o leitor espera por atualizações frequentes. Já o blogueiro tem uma necessidade quase vital de ir atrás da notícia e colocar na sua página virtual. É o caso do ex-vereador Wanterlor Bandeira, que era um assíduo comentarista dos blogs da cidade e resolveu criar o seu. Hoje em dia, ele diz que não pode viver sem isso, “é uma coisa que me diverte, me faz sentir bem. A intereração como o leitor para mim é o ponto alto de um blog”, diz.
Outro blogueiro convicto é o jornalista Marcel Nogueira. Ele conta que a primeira vez que entrou em contato com o mundo dos blogs foi em 2007, numa disciplina da faculdade de Jornalismo, “no início eu não dei muita importância, para se ter uma ideia , em 2008 fiz apenas 34 postagens, só a partir de 2010 eu passei a dar importância a essa ferramenta. Hoje atualizo meu blog com frequencia, com seis ou até mais postagens diárias”.
(Matéria publicada no jornal HOJE nº 443)

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Liberdade II preocupa

A última chuva deixou a situação do bairro Liberdade II bem preocupante. Por causa da geografia pouco previlegiada, com elevações e baixadas, muitas ruas tiveram o tráfego de veículos prejudicado e até o deslocamento de pedestres ficou um tanto complicado.
A notícia ruim é que a situação ainda permanece, porque a metereologia prevê novas chuvas para os próximos dias, aliás, o inverno só vai amainar no final de maio.

Samba de uma nota só

O inverno está aí, as chuvas começam a ameaçar os bairros mais próximos do rio e dos igarapés e com certeza, uma hora dessas, a Administração Municipal já prepara o assenal de desculpas pouco convincentes para a falta de serviços, como saneamento básico, drenagem para as águas da chuvas e a pavimentação.
Ainda que a cúpula do governo se esmere em mascarar a verdade, no final, a falta de criatividade vai ser a tônica. Parece até um samba de uma nota só. Vão dizer que não podem fazer porque a chuva não deixa. Ora, cara pálida, por que não fizeram no verão?
A propósito, o dinheiro do PAC (R$ 42 milhões) que seria destinado ao sanemanto básico no Complexo Altamira a prefeitura deixou voltar, por absoluta falta de interesse. Agora dorme com um barulho desses.

Projeto Alemão será discutido amanhã na Câmara

Amanhã(27) às 17 horas, representantes da Vale se reúnem com os vereadores na sede do Legislativo. A mineradora deve dar explicações sobre o Projeto Alemão, na área do antigo Projeto de ouro Bahia.
Não perco essa de jeito nenhum. Quero asistir de camarote se alguém vai cobrar benefícios para Parauapebas em troca de licença, alvará ou qualquer coisa que o valha, ou se a cereja do bolo vai continuar indo para Marabá.

Gambiarras


As ligações clandestinas das ruas do bairro Residencial Bela Vista revelam o qunato a cidade está abandonada.
Os moradores até querem pagar energia, mas a Rede/Celpa, empresa encarregada de distribuir energia não atende a demanda e o resultado é que as chamadas gambiarras se multiplicam pela cidade, prejudicando quem paga de fato, porque esse consumo é rateada entre as contas legalizadas e a empresa não perde absolutamente nada. Talvez por isso, ela não cuide em resolver o problema, afinal de contas, prejuízo não é dela.

Salame estuda se assume a prefeitura de Marabá, no lugar de Maurino

O deputado estadual João Salame, que nas eleição de 2008, ficou na s egunda colocação para prefeito de Marabá anunciou que está e studando juridicamente para verificar se renuncia o mandato de deputado para asumir a prefeitura de Marabá, em substituição ao atual prefeito Maurino Magalhães, afastado do cargo pela justiça, por utilização de um suposto caixa 2, nas eleição de 2008.
" - É possível que eu renuncie ao mandato atual, sem perder o recém adquirido - o próximo mandato - e neste novo mandato tenho 60 dias para tomar posse."
Ou seja, em dois dias Salame resolve se assume ou não, até lá acha que tem uma resposta ao questionamento que fez ao Tribunal Eleitoral; " se posso assumir a prefeitura sem perder meu mandato recém conquistado nas urnas."
Detalhe, hoje Salame está fazendo uma bateria de exames de rotina e na hora da notícia que Maurino Magalhães foi cassado, passava por um exame no coração.
(Fonte: Blog do Bacana)

Coisa estranha

Alguma coisa estranha está acontecendo no curso superior de Sistema de Informática, da UFPA de Parauapebas. Dos 50 alunos que iniciaram o curso apenas oito bravos e corajosos acadêmicos continuam.
As más e as boas línguas apontam para a intransigência da coordenadora do curso que também mministra uma disciplina. Dizem que a professora tem como sonho de consumo a reprovação coletiva dos alunos na sua disciplina, o que fez muita gente abandonar o curso.
Pelo menos dois alunos confidenciaram isso com o blog, o que não deixa de ser estranho. Ainda se o curso fosse particular, poderia haver interesse na repetição da disciplina, já que significaria mais dinheiro para a faculdade. O negócio carece de averiguação.

Não renuncia mais

Sabe aquela informação de uma possível renúncia coletiva da diretoria executiva do PT? Esquece. As últimas informações dão conta que o vice-presidente e presidente em exercício do partido, Edson Taveira não renuncia mais nem por um decreto. O que será que aconteceu?

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Rondonistas visitam a Serra dos Carajás

Os universitários que estão participando do Projeto Rondon, Operação Carajás, em Curionópolis visitaram a Serra dos Carajás na semana passada. Os rondonistas vieram conhecer as atividades de preservação ambiental desenvolvidas pela Vale. A empresa está patrocinando esta Operação Carajás e está apoiando os rondonistas que estão em suas áreas de atuação: Curionópolis, Canaã dos Carajás, Ourilândia do Norte e Eldorado do Carajás.

Aluno de engenharia ambiental, da Fundação Mineira de Educação e Cultura (FUMEC), Thiago Bressani, disse que os estudantes vão levar muitas lições. “Estamos vendo aqui, como a empresa vem compatibilizando atividades de produção e preservação. Por isso, está sendo enriquecedor pra gente conhecer uma parte da Amazônia que está preservada”, afirmou. A aluna de jornalismo da mesma faculdade, Ana Clara Maciel, que está produzindo um documentário sobre o Projeto Rondon, avaliou positivamente tudo o que registrou. “Ter a oportunidade de conhecer o trabalho de coleta seletiva que é feito aqui foi super importante. Graças a presença da Vale no município, tivemos êxito nas nossas primeiras atividades, pois além de já existir trabalhos importantes sendo feitos, a população é muito receptiva”, comemorou.

Fernanda Lacerda (Vale)

Labirinto Cinema Clube realizará mostra de cinema


Nos dias 02, 03 e 04 de fevereiro, a partir das 19h, o Labirinto Cinema Clube realizará a Mostra_DOC de Cinema Brasileiro na Câmara Municipal de Parauapebas, onde serão exibidos documentários nacionais dos mais diversos estilos e formatos, difundindo a produção do cinema documental.
Além das exibições, a programação prevê debater assuntos relacionados ao cinema, como produção, cineclube e o audiovisual em Parauapebas de uma forma geral, onde o público poderá participar e fazer perguntas.
Por meio das exibições de filmes e debates, o cineclube busca estimular a formação de público, a construção do olhar crítico e a produção audiovisual em Parauapebas. Além disso, este ano o cineclube pretende ministrar cursos na área cinematográfica, além de estreitar o acesso aos filmes. “É preciso assistir aos filmes, dar acesso a essas produções para que as pessoas que tenham interesse em desenvolver suas produções possam ver, discutir e aprender as linguagens e técnicas do cinema”, diz Ivan Oliveira, um dos coordenadores do cine.
Essa mostra de cinema firma uma parceria entre o Labirinto Cinema Clube e a Câmara Municipal de Parauapebas que, por meio do projeto “Luz, Câmara... Ação!” vai promover sessões de cinema semanalmente para a comunidade, e o melhor: totalmente de graça.
Venha prestigiar o cinema nacional.
Entrada franca.

Programação da Mostra:
Dia 02/02
Debate - 19h
Cineclubismo, o que é?
Sessão 1 – 19h30

Mapa da Mina Carajás
Dir.: Victor Lopes, 35’
Sessão 2 – 20h10

Viva! Chico Vive!
Dir.: Cauê Martins, 22’
Sessão 3 – 20h50
O Pasquim - A subversão do humor
Dir.: Roberto Stefanelli, 44’

Dia 03/02
Debate - 19h
Como produzir um curta Doc
Sessão – 20h30
O Rap do Pequeno Príncipe Contra as Almas Sebosas
Dir.: Paulo Caldas e Marcelo Luna, 75’

Dia 04/02
Debate - 19h
A produção Audiovisual em Parauapebas
Sessão - 20 h
Estamira
Dir.: Marcos Prado, 115’

Convocação da Aicop

C O N V O C A Ç Â O

A Associação de Imprensa e Comunicação de Parauapebas (Aicop) convoca todos os diretores da entidade para uma reunião a ser realizada a partir das 18h30 da próxima quinta-feira (27) no auditório da Semas, localizada na Rua E, esquina da Rua 11, para tratar da seguinte pauta:

a) Reativar as atividades da Aicop para realização das metas estipuladas para este ano;
b) Habilitar a entidade junto a contador para obtenção de CNPJ;
c) Substituir do quadro da diretoria membros faltosos às reuniões;
d) Conscientizar os associados sobre pagamento de mensalidade;
e) Prestação de contas sobre a festa de confraternização da categoria;
f) O que surgir.

Parauapebas, 24 de janeiro de 2011

A Direção

Especialização Profissional 2011 da Vale ainda inscreve

O programa de Especialização Profissional 2011 da Vale continua com inscrições abertas. Este ano, o programa irá oferecer pós-graduações em três modalidades distintas: Mineração, Ferrovia e Porto. Ao todo são 133 vagas, divididas em quatro turmas, que terão início no primeiro semestre do ano. Os participantes devem ter disponibilidade para morar no local onde acontecerão as aulas teóricas e práticas e inglês intermediário. Os selecionados receberão uma bolsa-auxílio mensal no valor de R$ 3,2 mil, durante os meses de formação. As inscrições podem ser feitas pelo site www.vale.com/oportunidades.

Prefeito e vice-prefeito de Marabá afastados

(Val André Mutran)
A justiça de Marabá acaba de emitir mandato de citação para afastamento dos cargos o Prefeito de Marabá, Maurino Magalhães e seu vice, Nagilson Amoury.


O PPS e a Coligação “União pelo Trabalho” foram autores da denúncia de prática de caixa dois na campanha à Prefeitura de 2008.

Um grupo de empresários de Parauapebas, tendo à frente Abimael Barbosa da Rocha, forneceu a documentação que comprovaria a prática de Caixa 2, denunciado ao Ministério Público, acolhida pela Justiça e agora, sentenciada com o afastamento dos gestor municipal.


Assume a prefeitura, o presidente da Câmara dos Vereadores, Nagib Mutran Neto.

Aula inaugural do Fênix

Auditório do Ceup na aula inaugural
Jurandir Cortez, o "Big", diretor administrativo do Fênix

Como acontece todos os anos, o Centro de Ensino Fênix realizou sua aula inaugural, oficializando as boas vindas aos alunos e membros do corpo docente para o ano de 2001. O evento, que contou com um bom número de alunos e pais de alunos, aconteceu no último dia 24, no auditório do Centro Universitário de Parauapebas (Ceup).



O evento começou com a fala do diretor administrativo, Jurandir Cortez, o “Big”, que falou dos novos projetos da escola, dentre os quais, a participação efetiva das famílias nas programações da escola e um corpo docente de qualidade para 2011. Big enfatizou que a escola pretende instituir o grêmio estudantil, assim como o Conselho de pais, “nós queremos criar um momento em que os pais possam discutir as ações da escola e seu desempenho”.


A escola pretende investir na contratação de bons professores, principalmente nas disciplinas de química, física e biologia, cuja escassez de profissionais é notória, “vamos continuar trabalhando para que a nossa escola continue sendo campeã de aprovação em vestibular”.
Programação – A aula inaugural teve prosseguimento com uma encenação do ator Tonico Ferreira, enfatizando a importância da interação dos pais no dia-a-dia da escola. Alunos que participam do Karatê da escola também fizeram uma exibição de Katá, luta imaginária da arte marcial e por fim uma mini palestra do professor Arilson Paixão, sobre a metodologia do Enem, cujo desempenho é um dos critérios para o ingresso na universidade. Arilson é um dos novos professores que lecionarão no Ensino Médio.


O evento foi finalizado com a apresentação dos alunos que foram aprovados no vestibular de 2010.

Parabéns


Parabéns aos novos universitários, Fábio Júnior, Carol e André. Os três, ex-alunos do Fênix fizeram bonmitos nos vestibulares. Fábio foi aprovado para Direito em Redenção, Carol vai fazer Engenharia Ambiental e André vai cursar Química Ambiental.

Tempo quente na Paranasa

Funcionários aglomerados na Paranasa




Ontem, 24 , o tempo ficou embaçado para os lados do Consórcio Canter/Paranasa. A sede da empresa, localizada no bairro Beira Rio ficou tomada de funcionários em processo de desligamento da empresa.



Os trabalhadores alegavam que cerca de 150 funcionários demitidos estavam com problemas para receber a indenização referente a rescisão contratual. Algumas rescisões estavam previstas para o dia 14, mas a empresa postergara o pagamento para ontem, o que teria irritado os mais de cem trabalhadores que se aglomeraram na sede da empresa.



Apesar do atraso em algumas rescisões, assim com a retenção de documentos, como carteiras de vacina e CTPS, o que mais irritou os funcionários foi a atitude da empresa em requisitar a presença da polícia para, segundo os funcionários, intimidar qualquer tentativa de manifestação.

Até o momento da reportagem, a empresa ainda não havia efetuado o pagamento, mas a previsão passada pela por alguns funcionáriso da empresa foi de que ainda ontem todos os funcionários receberiam seus respectivos pagamentos.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Mari in níver


No último sábado a gatinha Mariana, filha da amiga Rita (Burdog Lanche) comemorou mais um aniversário. Amigos e parentes estiveram na residência da família para lavar o abraço à moça. Parabéns.

Charge


Se...

Ainda falando em Raimundo Neto, se os cursos da UFPA de Direito, Engenharia Mecãnica e de formação de professores se tonarem regulares, como estão previstos e se forem construídos novas escolas para atender a demanda crescente e se o turno intermediário for banido de vez, o secretário terá muita coisa para mostrar.

Raimundo Neto cresce

Gradualmente o nome do secretário de Educação, Raimundo Neto ganha terrreno dentro do PT e é visto com simpatia pelos os que vivem o dia-a-dia da prefeitura.
Com isso, José das Dores Couto, o "Coutinho", Eusébio Rodrigues, Antônio Neto e Milton Zimmer passam a ter mais uma companhia competitiva na corrida pelo casarão do Morro dos Ventos.

Trânsito preocupante na saída da cidade

mesmo sendo uma rodovia estadual, a prefeitura vai ter que colocar redutores de velocidade, ou quebra-molas na saída (ou entrada da cidade,dependendo do ângulo de que chega ou sai).
A PA-275 está cada dia mais perigosa. Na semana passada uma colisão de um ônibus com um caminhão deixou oito feridos. Ontem um acidente de moto tirou a vida de dois jovens, tudo isso na proximidade do shopping que ainda não foi inaugurado. Imaginem como será o pandemônio quando ele for inaugurado e receber uma carga imensa de jovens , desejosos para se divertirem... O trânsito tende a virar um caos e a prefeitura tem que colocar a engenharia de tráfego para funcionar, evitando assim tragédias futuras.

Professores X Direção

Continua o clima tenso nas dependências da escola Euclydes Figueiredo. Professores não se entendem com a direção e o projuízo acaba ficando para os alunos. Vira e mexe os professores se reúnem e a pauta é detornar a direção, que por sua vez não facilita a vida dos professores.

Condolências

O Blog do Marcel se une à família do amigo e blogueiro Zedudu pelo falecimento do seu pai, José Rodrigues do Vale, ocorrido neste domingo. Força amigo. Estamos torcendo por você.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Bezerra

Nos final dos anos 80 e no início da década seguinte, quando o futebol de Parauapebas ainda era jogado no campo do Terra Seca, muitos craques de bola desfilaram sua arte naquele campo sem de terra batida.
Dentre os quais destaca-se Williames Pereira, o "Bezerra", um dos melhores laterais direitos que o futebol local já produziu. Bezerra foi embora e está residindo há quase 20 anos em Manuaus, mas essa semana, ele voltou para visitar os parentes, dentre os quais o vereador Massud, que é seu irmão. O blogger externa votos de boas vindas ao amigo.

Gambiarras estaduais

Dora Kramer, O Estado de S.Paulo

A Constituição de 1988 pôs fim às aposentadorias vitalícias para ex-governantes, tenham eles cumprido ou não integralmente seus mandatos. Em tese isso deveria bastar como norma a ser seguida em todo o País.

Quase 20 anos depois, em 2007, o Supremo Tribunal Federal reafirmou a regra ao cassar aposentadoria paga a ex-governador de Mato Grosso do Sul (Zeca do PT) e, também em tese, isso deveria bastar para extinguir a validade de todos os benefícios da mesma natureza.

Comprovando, porém, que na prática vale o dito há anos por Roberto Campos ("não é a lei que precisa ser forte, mas a carne que não pode ser fraca"), em pelo menos 11 Estados 55 ex-governadores e 9 viúvas recebem pensões em valores que variam entre R$ 11 mil e R$ 24,1 mil por mês.

Como? Mediante leis regionais específicas, decisões da Justiça nos Estados, com a conivência das Assembleias Legislativas que aprovam essas legislações e com a tolerância do Ministério Público, que tem poder e o dever de defender a sociedade, entre outras coisas, de gastos públicos indevidos.

As situações são diversas, alcança ex-governantes de diferentes partidos e cada uma mais escandalosa que a outra.

Pedro Pedrossian recebe duas aposentadorias, por dois Estados: Mato Grosso e Mato Grosso do Sul; Humberto Bosaipo recebe R$ 15 mil porque foi governador (MT) por dez dias.

No Paraná, João Mansur governou 39 dias e recebe aposentadoria de R$ 24 mil; no mesmo Estado, Álvaro Dias acaba de requerer "atrasados" de R$ 1,6 milhão. No Rio Grande do Sul, o senador Pedro Simon acumula o salário de senador (R$ 26,7 mil) com a aposentadoria de ex-governador (R$ 24 mil) porque, segundo ele, a situação está "muito difícil".

Saúde de Chico Anísio continua preocupando

O Globo

A mulher de Chico Anysio, Malga Di Paula, comentou nesta sexta-feira no Twitter que o estado de saúde do humorista está grave como nunca. Segundo Malga, "nestes 50 dias de internação, Chico nunca precisou de tantas orações como agora".

"O que acontece é que a última pneumonia está muito mais agressiva... Ele está grave como nunca esteve antes", escreveu Malga no Twitter oficial do artista.

Na quinta-feira, Chico Anysio foi submetido a uma gastrostomia endoscópica, o método usado para alimentar o paciente por meio de um tubo colocado no estômago por endoscopia. De acordo com boletim médico divulgado nesta manhã, ele responde bem ao procedimento e a pneumonia diagnosticada na base do pulmão direito está regredindo aos poucos.

Internado no Hospital Samaritano, no Rio, desde 2 de dezembro, o humorista continua a respirar com a ajuda de aparelhos e o quadro de insuficiência cardíaca está sendo monitorado. O médico Luiz Cesar Cossenza Rodrigues informou que no momento Chico está lúcido e interage com a família. Não há previsão de alta.

Cursos regulares

A secretaria de Educação está ultimando os detalhes do novo convênio com a Universidade Federal do Pará (UFPA) para a vinda de três cursos regulares para Parauapebas.
A princípio esses cursos seriam Direito, Engenharia Mecânica e um curso de formação de professores (Física, Química ou Biologia) seriam os alvos das negociações.
A data do primeiro vestibular ainda está sendo definida, mas há uma tendência para que a seletiva seja no final do ano.

Novos nomes para a presidência do PT

Informações confiáveis confirmam que a renúncia de Nilson da CKS da presidência do PT é líquida e certa, aliás, não só ele, mas a executiva em peso.
O problema é que está difícil um nome de consenso. Mal se falou em renúncia e três candidatos já estão em campanha. Chiquinho do PT, Jorge Neres e Pitbul lutam pelos votos dos 27 membros do diretório. Dizem que a briga será acirrada.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Corrida de São Sebastião - passeio dos atletas de fora

Como já é tradição, a Corrida de São Sebastião, ocorrida no dia 20, dia do padroeiro da cidade atriu um grande número de atletas de várias localidades. No final, atletas de outros municípios levaram a melhor sobre os representantes de Parauapebas. Veja os resultados:
Masculino:
1°- Israel Martins dos Reis – Maranhão
2°- Renato Félix da Silva – Itupiranga-Pa
3°- Manoel Pereira da Costa – Anápolis


Feminino:
1ª – Elci Rodrigues – Maranhão
2ª- Josefa Alves – Goianésia - Pa
3°- Maria Gardenha – Parauapebas - Pa

Acima dos 40 anos masculino:
1°- Aílton de Jesus Lopes – Paraíso-To
2°- João Batista Antônio – Tocantins
3°- Antônio Almeida de Souza – Castanhal-Pa



Leitor comenta

Como o blog não tem problema com o contaditório, publica o comentário de um leitor anônimo da postagem denominada "Valmir revela detalhes da campanha de 2010 e fala de planos para o futuro", matéria também publicada no jornal HOJE, nº 442. Olha só o que o anônimo escreveu:

"Se o Sr. Valmir vai administrar seu povo igual o que o PDT faz na Saúde, melhor deixar com o candidato do Darci. Oh povo ruim de governo.
E se o Valmir falir a prefeitura igual faliu a Integral. O homem é gente boa, mas ser prefeito é outra coisa! Darci é ruim, mas o pior é termos a certeza que ele é o melhor prefeito que Parauapebas já teve, isso que é triste (rsrsrsr)!"
Comentário do blogger - Ao contrário da prefeitura que tem recursos líquidos e certos, e que só não se trabalha em benefício do povo quando se é preguiçoso ou irresponsável, a vida na iniciativa privada é algo completamente diferente, pois depende de muitos fatores, como os humores do mercado, contratos, crises externas etc, de modo que não tem como se fazer comparações ou emitir juízo de valor sem conhecer os problemas a fundo.
Já sobre a opinião do anónimo na qual diz que "o pior é termos a certeza que ele é o melhor prefeito que Parauapebas já teve", o blogger tem outra certeza: de que só quem acha isso é o leitor do comentário e mais uma meia dúzia de pessoas, que por razões óbvias defendem um governo desastrado, incompetente, perdulário e que deveria ser sacado do poder pela justiça há muito tempo, por irregularidades administrativas e por perdas de receitas, como os R$ 42 milhões do PAC que ele deixou ir embora recentemente. Na opinião do blogg, ele (o governo) é o pior prefeito que essa cidade já teve a infelicidade de eleger.

Cidade mal cheirosa

Todo mundo fala sobre a necesidade de um amplo programa de saneamento básico para Parauapebas (menos de 20% da cidade é contemplada com rede de esgoto), entretanto a maioria esquece que o que existe na cidade é antigo (do início da década de 80), cujas tubulações eram de dimensões reduzidas. O resultado é que sempre que chove há entupimento, vazamento e bairros como Cidade Nova e Rio Verde enfrentam grande problemas.
Apesar de ser uma cidade relativamente jovem, já é possível verificar que ela anda mal cheirosa, devido os constantes vazamentos e ao esgoto que fica paralisado nas sarjetas. Em outras palavras: além de ampliar a rede, a prefeitura vai ter que fazer reparos e uma manutenção séria na rede que existe.
O problema é que os recursos do PAC, destinados para isso foram perdidos de forma irresponsável pela prefeitura.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Investigação à vista?

No jornal HOJE nº 442 e numa postagem efetuada ontem, o blog abordou um tema considerado tabu em Parauapebas. O pouco interesse da prefetura em se habilitar para receber verbas federal ou celebração de convênio com a União.
A bem da verdade, para Parauapebas só vêm os repasses obrigatórios, como o dinheiro do SUS, ação social ou o do Fundo de Educação. Fora isso, o município tem deixado escapar de forma inexplicável recursos que outros municípios dariam a vida para receber. A matéria falou sobre possíveis auditorias que esse recursos gerariam e evidentemente que isso não seria desejável para ninguém que mexe c om o dinheiro público, Vai que alguém, tentando acertar o que via, acertasee o que não via?
Pois bem, já há algum tempo se fala numa investigação da Polícia Federal na região, com muita ênfase em Parauapebas. Nem é preciso dizer que se isso acontecer, não ficará pedra sobre pedra. O que vai ter de gente enrolado feito papel higiênico vai ser uma grandeza.

Coan está fora

Depois de muitas crítica e de matérias veiculadas em jornais, inclusive da capital, a Secretaria de Educação deu um ponto final nas atividades da Coan em Parauapebas. O contrato da merenda escolas foi reincidindo.
No mês passado, o jornal HOJE havia p ublicado uma reportagme, dand conta que a Coan havia faturado R$ 11 milhões em 2010 e prstava um serviço muito ruim. A semed fez muito bem, a única observação é que demorou muito.

(fonte: Wanterlor)

Erosão e o inverno castigam ruas do Liberdade

Final da rua Goiás - crateras e erosão dificultam a vida dos moradores


Com a chegada do inverno, moradores das partes mais altas do bairro Liberdade, que compreendem as ruas Mato Grosso, Goiás, Pará e Macapá estão preocupados. É que com a intensificação das chuvas, problemas que são normalmente esquecidos no verão voltam à tona. Pela localização pouco privilegiada, a falta de pavimentação, esgoto e água são as principais deficiências da localidade.



Um quarteirão além da escola Jean Piajet, é possível verificar os estragos que o inverno tem causado. Toda vez que chove, a rua Mato Grosso fica intrafegável. Como a parte alta da rua não tem pavimentação, o barro encharcado se torna escorregadio, impedindo a passagem de veículos. “Aqui quando chove não tem condição nem de mandar os meninos pra escola, é muita lama”, diz Josimar de Souza Ferreira, morador da rua há muitos anos. De acordo com ele, todos os anos acontece a mesma coisa. O rigor do inverno arrasta o cascalho ladeira abaixo, tornando a rua escorregadia.



Já na rua Goiás, grandes crateras marcam o final da rua, que de tão íngreme, dificulta até a subida de pessoas a pé. Segundo José Antônio de Jesus Silva, há muito tempo a via pública não tem tráfego de veículos. “nessa rua não passa caminhões de entrega do supermercado, gás, nada, nem mesmo os caminhões-pipas, que abastecem as caixas do bairro”.



Por conta disso, os moradores são obrigados a apanhar água numa espécie de cisterna, que é uma pequena mina de água, canalizada para as residências mais próximas, “o problema é que nessa época do ano água fica barrenta”, atesta o morador.


Como não há mais tempo para a prefeitura efetuar qualquer serviço de pavimentação no bairro, em virtude do inverno, presume-se que a população terá muitos problemas nos próximos meses.

HOJE 442



O blog antecipa a capa do HOJE, que irá para as bancas a partir de amanhã
Destaque para entrevista com Valmir da Integral, que incluve já está postada e para a volta às aulas dos mais de 40 mil alunos da rede pública municipal.

Valmir revela detalhes da campanha de 2010 e dos planos futuros



Satisfeito com a votação de outubro, o empresário Valmir Queiroz Mariano, o “Valmir da Integral” planeja agora vôos mais altos. Consciente de que é um dos nomes mais expressivos para uma eventual candidatura a prefeito em 2012, ele não se omite em discutir os problemas do município e mostrando que está antenado com o dia-a-dia da cidade, diz que Parauapebas precisa de um projeto de desenvolvimento. O jornal HOJE conversou longamente com Valmir no seu escritório, resultando nessa interessante entrevista.

HOJE – O pleito de 2010 deu a você a melhor votação de Parauapebas e o transformou numa figura obrigatória em todas as projeções para 2012. Como foi a campanha de 2010?
Valmir – Devo dizer que os anos de 2009 e 2010 não foram fáceis, principalmente e no que se refere à questão da empresa. A crise que se instalou no país nos afetou, demorou muito e comprometeu vários projetos. Por conta disso, eu fiz uma análise para ver se eu sairia ou não candidato e cheguei a conclusão de que aquela era a grande oportunidade de voltar a colocar o nome na rua e ter um novo contato com a população. Fiz uma campanha bem “pé no chão”, com poucos recursos e praticamente em dois municípios (Parauapebas e Canaã). Lembro-me que foram muitas caminhadas e muito contato com o povo.

HOJE – Quando o senhor percebeu que a campanha havia caído no gosto popular?
Valmir – Acredito que foi no final da campanha, nos últimos 15 dias se percebia que a campanha havia crescido muito, de modo que eu fiquei muito satisfeito com os 13.484 votos. Considerando que foi uma campanha modesta, não resta dúvida que a gente foi muito bem votado. Percebe-se que está havendo uma evolução, uma maturidade política no município, já que não prevaleceu o dinheiro, ao contrário, prevaleceram os nomes, os valores, as propostas e o reconhecimento de um trabalho de quase 21 anos voltado para o social.

HOJE – Qual é a perspectiva para 2011?
Valmir – Nos primeiros meses de 2011, pretendo continuar fazendo a reestruturação da empresa para que a gente possa ter tranquilidade para fazer o que deve ser feito em 2011, que é visitar, conversar com lideranças políticas e convidar a todos para fazerem parte de um grande projeto político.

HOJE – Esse grande projeto político seria uma futura candidatura prefeito?
Valmir - Isso ainda depende do meu partido, o PDT, mas acredito que chegou a hora de um vôo mais alto
.

HOJE – Você acredita em um número elevado de candidaturas, como se desenha hoje, ou haverá um cenário onde as forças políticas da cidade caminharão para uma candidatura principal?
Valmir – A história politica da cidade revela que no final as forças se convergem, porque a cidade precisa de um novo pensamento, de um novo projeto de desenvolvimento. Precisamos dar um norte a esse município, aliás, não só para Parauapebas, mas para os municípios que têm a mineração como matriz econômica. Vamos ter que fazer uma ampla aliança com esses municípios que têm problemas comuns, chamar a Vale, porque ela está no centro de tudo e pensarmos a região para daqui a 20, 30 50 anos, não podemos pensar o município ou a região apenas para quatro anos.

HOJE – Seu partido o PDT ainda integra o atual governo, tem secretaria, departamento. Qual seria a tendência do seu partido?
Valmir – Minha opinião pessoal é que o partido deixe o governo, porque esse governo deixou de cumprir o que foi apregoado. Quando o PDT se aliou ao governo foi em cima de um projeto que hoje não existe. Acho que o partido deve tornar sua posição clara, porque o governo atual deixou de cumprir aquilo que foi acordado.

HOJE – Evidentemente que até 2012 muita água passa por de baixo da ponte, mas dá pra afirmar que finalmente Valmir será candidato a prefeito?
Valmir – Volto a repetir, não depende só de mim, depende do partido, que quando chegar a hora terá a oportunidade me indicar, depende também de outras circunstâncias, de aliados, porque não se ganha política sozinho. Vamos construir um projeto de grande envergadura, de desenvolvimento e todos os que quiserem somar serão bem vindos.

Lama na Feira do Rio Verde

Alguém precisa fazer alguma coisa (mas ninguém vai fazer). Nem é preciso chover muito forte para a Feira do Rio Verde ficar impraticável e intransitável, causando prejuízos aos feirantes. No domingo passado freqüentadores ficaram sem poder chegar até as barracas, enquanto os donos de barracos ficavam ilhados e com a mercadoria encalhada.

Estranhou

Um empresário que durante muito tempo trabalhou com comércio de comida anda assustado com a enorme bagunça em que se transformou o setor. Todos os dias abrem novos restaurantes, sem a menor condição e os que existem estão deixando muito a desejar. Ele lembra que no seu tempo recebia a visita da Vigilância Sanitária toda semana. A coisa está realmente esquisita. Tem gente cozinhando no meio do tempo.

A farinhada

Naquela corrutela (se bem que nem assim poderia ser chamada), uma vez que a comunidade não passava de pequenas casas que distavam um quilômetro ou mais uma das outras, tudo era beira chão. Ainda que para os natos da região um quilômetro não passasse de um ‘‘pulinho’’ de nada, não se poderia chamar o Carrasco de Areia de um burgo propriamente dito. Salvo o boteco do Roseno, o armazém do Olavo, o campo de futebol e a escolinha, todos na beira da Tranzamazônica, o restante se localizava nas brenhas de uma floresta cortada por igarapés e capoeiras de imbaúba.


As vicinais, compostas de imensos carrascos de areia, por vezes ameaçavam fazer atolar até os veículos traçados que valentemente rasgavam aquele fim de mundo. Assim era o Carrasco de Areia, a coisa de 90 quilômetros de Marabá, na segunda metade dos anos 70.
Naqueles dias, além da lua que começava a sair de cheia para minguante, apenas o alumiar de alguma lamparina teimava em cortar a noite que ainda estava clara. Era a família de Ramiro que chegava para se juntar a renca do Capixaba Preto e a garotada do João sem Medo. Mas não era de crer que estavam todos se pondo rapazes?


Deve se dizer que naquela época, eletrificação rural era algo que não fazia parte das palestras de fim de tarde. nem mesmo de um sonho, ou de um conto mal contado.


Farinhada era assim mesmo. Várias famílias, montes e montes de mandioca, um moinho tocado a quatro braços, um forno de alumínio batido, muita disposição para o trabalho, talagadas homéricas de cachaça de cabeça e muitos causos de onça trepada no chão. Aliás sobre lorotas e potocas, ninguém era mais respeitado do que Geraldo Boca Larga, uma mulato paraibano, que era capaz de soltar mentiras, uma atrás da outra por horas a fio.


Enquanto Geraldo potocava, como se fosse a mais pura verdade, a moçada varava a noite espremendo massa, separando o polvilho do tucupi.


Na madrugada, no cantar do galo, D. Maroca, uma negra com quase 100 quilos, e 80 anos nas costas, moça velha, vitalina juramentada de muito respeito cantarolava no terreiro, enquanto apanhava gravetos para acender o fogo. Antes de raiar do dia, o café fresco e forte encheria as garrafas térmicas e seria servido em doses generosas para a ‘‘cabocada’’, acompanhado de beju. O café de D. Maroca e a massa de mandioca, misturada ao polvilho, assada no forno iriam dar a sustância necessária para mais um dia de batente duro.


No final da semana, dezenas de sacas de farinha da boa, metade seca, metade de puba, ou d’água, como diziam os paraenses, que já naquela época perdiam em número para maranhenses, que chegavam aos magotes.


No dia do apurado, o povoado mais próximo ficava em festa. Além do futebol incipiente, o forró pé de serra puxado pela sanfona de Zeca do Nilo dava o tom. Moças casadoiras, vestidas nos melhores trajes davam saracoteavam brejeiramente e eram cortejadas pelos cablocos parrudos. Tudo no maior dos respeitos, porque ninguém era trouxa de tomar gosto com as moças da localidade. Já naquele tempo, um facão castanheiro funcionava que era uma beleza.

Artigo publicado no jornal HOJE de sexta - Coluna do Marcel

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Município perde mais uma vez recursos federal

Informações obtidas pela reportagem do HOJE dão conta que a Administração Municipal voltou a perder recursos federais que seriam destinados a serviços de infra-estrutura, com o canalização de água pluviais saneamento básico e pavimentação. Segundo o que se apurou, os recursos seriam do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e totalizava R$ 42 milhões.
O município teria perdido o recurso porque contas da Câmara de vereadores estariam pendentes junto ao Tribunal de Contas do Município.
Em conversa com um vereador, o jornal ficou sabendo que as pendências de prestação de contas no TCM eram normais, uma vez que a instituição ainda não havia analisado as referidas contas, “bastava a prefeitura solicitar um uma certidão provisória junto ao TCM que o problema estaria resolvido”, disse o parlamentar, deixando nas entrelinhas que não teria havido interesse da prefeitura em se habilitar para receber a verba.
É notória a aversão da prefeitura em firmar convênio federal. Na administração anterior de Bel Mesquita o município não trabalhava com esse tipo de recurso. Ao que parece, a prefeita fez escola. Darci quer distância de dinheiro federal. No primeiro mandato, o Ministério da Cidade tinha destinado uma verba de R$ 40 milhões, aproximadamente, para Parauapebas. Na época, o prefeito chegou a reunir o secretariado para escolher as obras que seriam tocadas. O parque aquático, que seria a revitalização do igarapé Ilha do Coco, no Rio Verde, com praças, restaurantes, lagos e a orla do rio Parauapebas foram escolhidos, mas o dinheiro acabou não aparecendo. Muito trempo depois se soube que nem o projeto havia sido apresentado, o que fora determinante para que o dinheiro não fosse liberado.
No ano passado, uma emenda ao Orçamento da União, no valor de R$ 1,7 milhão para a construção da Praça da Juventude no bairro da Paz foi recusada. Hoje o terreno, não passa de um depósito de lixo.
O horror a esse tipo de convênio costuma ser explicado da seguinte forma. Dinheiro federal é auditado pela Controladoria Geral da União (CGU) e fiscalizado pela Polícia Federal. Nos últimos tempos vários prefeitos, e até governadores já foram presos pela má versação do dinheiro público.
Se os políticos locais estão fora da alça de mira de uma investigação mais criteriosa por recusasse sistematicamente a receber verba federal (a exceção dos últimos tempos talvez seja as casas do programa Habitacional do governo federal ‘‘Minha casa, minha vida’’) quem sofre com isso é a população, que fica sem praça, sem orla, sem saneamento básico e pavimentação.

Faisal ensina a negociar

O blog entrou em contato com o vereador tucano e rece beu a informação de que o fato teria realmente acontecido e que a mneradora pode e deve entrar com a universidade, "seria o mínimo pelos transtornos que ela causa e pelo benefícios que ele tem levado em bora de Parauapebas".
Faisal lembrou que todas as licenças de operação da Vale estão vencidas ou vão vencer, "não dá para perder essa oportunidade
de negociar isso". Quer dizer, o caminho das pedras ele ensina, agora, toma se quiser.

Uma universidade e não se fala mais nisso

Informações obtidas dão conta que o prefeito endureceu com a Vale e disse não para a prtensão da mineradora em passar com uma estrada de ferroovia ligando o Sossego a ferroiva pelo perímetro urbano.
Segundo consta, Darci teria colocado a condicionante da construção e aparelhamento de uma universidade no município. A Vale ficou de voltar a conversar sobre a exigência. Ao que parece, a luta solitária do vereador Faisal, que há muito tempo vem apregoando a obrigatoriedade da mineradora em comparecer com esse benefício vai finalmente frutificar.