"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha
de ser honesto".

(Rui Barbosa)


sábado, 30 de abril de 2011

Muita grana pra pouco serviço

Sobre o acordo da secretaria de Obras com os manifestantes da Palmares II, duas constatações.

Primeira: acostumado a alicar "tumé" a prefeitura não tem muita credibilidade para andar prometendo (quem não pode com o pote, não pega na rodilha), é bom os moradores colocarem as barbas de molho.

Segundo: a prefeitura diz que gastou mais de R$ 15 milhões em 2010 e R$ 6 milhões em 2011 em recuperação das estradas rurais e pontes. Com essa dinheirama gasta, não deveria haver tanta estrada em condições ruins, a menos que houvesse alguma jogada nessa parada.

Manifestação da Palmares II

Depois de ameaçar várias vezes se manifestarem, no dia 28 moradores da vila Palmares II interditaram a estrada que dá acesso a vila, interrompendo o trafego da cidade para as com unidades rurais.

A reivindicação exigia a recuperaçõao das estradas rurais, além das ruas do povoado. A interrupção seguiu até às 13 horas, quando um equipe da secretaria de Obras esteve no local e prometeu realizar os serviços.

Caso as promessas não sejam cumpridas, os moradores prometeram interromper a via novamente.

Charge de sábado



Falta de bom senso

Tem coisas que só a intransigência e a falta de bom senso podem explicar.

Ontem, no Hospital Municipal de Parauapebas, por volta das 9 horas da manhã um mulher em trabalho de parto entrou no hospital. Como não trazia o cartão do SUS, as atendentes não encaminharam a paciente para a sala de parto. Conclusão:: o marido teve que voltar em casa para buscar o dito cartão, enquanto a mulher se esvaia em dor na recepção.

Lá pras 11 horas, a mulher curvada de dor vai ao banheiro e começa a parir a criança lá mesmo, quando os profissionais de saúde se dão conta da pixota e levam a mulher para dentro numa cadeira de rodas.

Não se esqueçam, incompetentes, acima de regrinhas babacas está o bom senso.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Audiência pública discute projeto de cobre do Alemão

Público que compareceu ao ginásio, que depois ficou vazio


Mesa que dirigiu os trabalhos






A terça-feira (26) foi marcada pela realização da audiência pública do projeto de cobre do Alemão. Por conta do evento, realizado no ginásio poliesportivo, a sessão legislativa se encerrou mais cedo, para que os vereadores pudessem participar do evento. O prefeito, Darci Lermen, com o sempre não apareceu, mas sua ausência não foi comentada.




Mina – Prevista para entrar em operação em 2016, a Mina do Alemão é um empreendimento da Vale que durante a implantação deverá gerar três mil empregos e na operação mil empregos. O projeto prevê a extração e beneficiamento de cobre. Seu depósito mineral encontra-se abaixo da antiga mina de ouro do Igarapé Bahia, que já está desativada. Ao contrário de outras minas, como por exemplo a do Sossego, que é a céu aberto, a mina do Alemão será a primeira mina subterrânea da Vale no Pará. O cobre será extraído por meio de túneis e galerias.




A mina do projeto Alemão produzirá aproximadamente 220 mil toneladas de o concentrado de cobre por ano. A reserva total é de 110 milhões de toneladas de concentrado do minério.



Audiência – Após a explanação dos representantes da Vale, veio a etapa da participação popular. Conforme as inscrições, populares tiravam suas dúvidas. Indagações sobre o ônus social, questão de geração de empregos diretos e indiretos eram respondidos por funcionários da Vale.
O ex-presidente da Associação Comercial e Industrial de Parauapebas (Acip), José Rinaldo apresentou um conjunto de reivindicações e alertou a companhia para os constantes calotes que as prestadoras de serviços da Vale aplicavam no comercio local.



O advogado Pedro Geraldo argumentou que o projeto geraria inúmeros problemas sociais no município e que a Vale não olhava para o município como um parceiro, já que no rastro dos grandes projetos ficam situação de insegurança. O advogado citou o caso da Vila Sanção, com índices alarmantes de criminalidade.



O vereador Faisal Salmen disse que o custo-benefício do projeto era extremamente desfavorável ao município, que teria cerca de R$ 700 mil por mês de arrecadação e herdaria as conseqüências de um novo fluxo migratório, “a verdade é que a Vale beneficiou Marabá, com a siderúrgica, um projeto que vai gerar 15 mil empregos e não trouxe nada para Parauapebas”.



O vereador lembrou do tempo de vida do Projeto Carajás, que segundo ele, não passa de 28 anos. “Eu conversei com o ex-ministro Paulo Hadadd e ele confirmou que Carajás deve se exaurir juntamente com o projeto do Alemão, o que nós temos em troca? A Vale teria que dar um contrapartida de uma universidade para 5 mil alunos, mas infelimente a cidade não foi mobilizada para exigir isso”, disse o vereador.



Depois de outras manifestações e já bastante esvaziada pelo adiantado da hora, a audiência pública foi encerrada, deixando a nítida sensação de que o município perdeu mais uma excelente oportunedade de exigir da Vale uma contrapartida condizente com a sua participação e com os lucros futuros que a mineradora vai auferir com a exploração das jazidas dentro do território de Parauapebas.

Resenha politica

Em conversa com a coluna, Josemir Santos, que nas eleições de 2008 foi muito bem votado confidenciou à coluna que pretende colocar novamente seu nome à disposição da população para uma cadeira no Legislativo Municipal. ### Sobre partido, ele disse que é muito cedo para falar disso, ‘‘não quero pensar nisso agora, quando chegar o período certo a gente resolve isso’’, disse. ### Pegou mal demais a ausência do prefeito Darci Lermen na audiência pública, realizada no dia 26, no ginásio poliesportivo. ### A questão á a seguinte: alguém precisa chamar esse moço às falas. A sua falta de compromisso com o município está excedendo todos os limites. ### Num momento em que o futuro do município está sendo discutido, inclusive com a exploração de sua reserva de cobre, avaliada em bilhões de dólares, o prefeito nem aparece lá para representar o município. O pior nem foi e nem mandou representante. ### Vamos combinar uma coisa o poder de mobilização das Ongs em Parauapebas é qualquer coisa do outro mundo. Na terça-feira a Câmara ficou tomada com quase uma centena de desportistas que foram dar apoio ao ex-presidente da LEP e a tual secretário de Uranismo, Roque Dutra. ### Tudo porque o vereador Faisal Salmen iria apresentar um requerimento, solicitando prestação de contas dos repasses de recursos da prefeitura para a LEP. ### Por causa da audiência pública, a sessão terminou mais cedo e o tal requerimento não entrou na pauta. Informações dão conta que na próxima terça virá à Câmara o dobro des desportistas registrados na sessão passada. ### Como se sabe, é fundamental para o prefeito Darci Lermen desarticular a oposição. O ideal para Darci é trazer Francis Resende para a Base governista (ainda que tivesse que lhe entregar uma secretaria), com fez com Odilon e aquietar Faisal Salmen. ### O sonho de consumo nesse momento de Darci é isolar Adelson Fernandes e Antônio Massud, evitando assim número suficiente de vereadores para abertura de CPIs. Até agora Odilon não conseguiu aquietar Faisal e nem tão pouco ‘‘convencer’’ Francis Resende a embarcar na canoa do governo.

Bela intervenção

Foi muito bem avaliada a intervenção do advogado Pedro Geraldo, filhos dos Médicos Joaquim Campos e Margarida Lúcia, por ocasião da audiência pública sobre o projeto de cobre do Alemão. Com muita propriedade, o causídico inquiriu a cúpula da Vale sobre os desdobramentos que a futura mina irão trazer para o município, dentre os quais desemprego já no início da fase de operação, fluxo migratório, criminalidade e a tradicional indiferença da companhia com as coisas de Parauapebas.

Pode-se dizer que Pedro, ao lado do vereador faisal Salmen patrocinaram as mais consistentes colocações do evento.

Desagradando a gregos e troianos

A Rede /Celpa, encarregada da distribuição de energia consegue cometer a façanha de desagradar gregos e troianos. Comerciantes reclamam que estão tendo prejuízos, com mercadorias se deteriorando, donas-de-casas na bronca por conta de aparelhos eletro eletrônicos danificados por causa das constantes oscilações e a tarifa salgada pra chuchu.

Assembleia geral do Sintepp

Ontem, 28, o Sindicato dos Trabalhadores de Educação Pública do Pará (Sintepp) realizou uma assembleia geral para deliberar sobre um dia de paralisação geral das escolas da rede estadual. O evento aconteceu na sede da Câmara de vereadores na Cidade Nova.

Estratégia equivocada

Se depender dos vereadores de oposição, outros requerimentos, solicitando prestação de contas do Poder Legislativo entrarão na pauta nas próximas sessões legislativas. Por outro lado, se depender do entendimento do líder do governo, Odilon Rocha de Sanção (PMDB), a base governista vai rejeitar tantos quantos aparecerem.


Até o momento dois requerimentos foram solenemente ignorados pelos vereadores da base. O primeiro solicitava a prestação de contas dos recursos referente a entrada dos royalties nos cofres municipais e o segundo informações sobre uma empresa, que presta serviços à prefeitura e ganhou milhões de reais nos últimos anos e convenhamos, não se vê serviços compativeis com o montante faturado. Nas duas proposições, o líder do governo recomendou a base que não as aprovasse. Como era de se esperar, os vereadores seguiram o script e como não poderia deixar de ser, foram vaiados demoradamente, enquanto os quatro vereadores foram aos píncaros da glória. Para a semana que vem , um novo requerimento carne de pescoço já está no forno. Trata-se de um pedido de prestação de contas dos repasses da prefeitura para a Liga Esportiva de Parauapebas (LEP). Vem aí mais emoção nos próximos capítulos.


Ainda que não fizesse outra coisa que não fosse o esperado, já que é da escola do “bateu, levou”, Odilon tem se equivocado constantemente na estratégia de endurecer para convencer os adversários de que o governo não está para brincadeiras. A ideia de passar o rolo compressor está tendo um efeito contrário, o tiro está saindo pela culatra uma vez que tudo leva a crer que os vereadores contrários à administração Darci Lermen não vão parar por aí, ao contrário, a estratégia é exatamente essa: apresentar um dilúvio de requerimentos capciosos, expondo assim os vereadores da base à desaprovação da opinião pública. Para a oposição, a coisa está saindo melhor do que a encomenda. O prefeito está sendo desgastado e de quebra está arrastando os vereadores junto.


Odilon e os demais vereadores talvez não tenham percebido que a saia justa acontece justamente numa hora em que os desdobramentos podem atrapalhar os planos de cada um numa possível reeleição.


Partindo do pressuposto que requerimentos não têm força de lei e atendê-los depende exclusivamente da boa vontade do chefe do Executivo, se verifica que é muito desgaste por quase nada.


Ora, considerando o pouco caso do prefeito com as coisas do município, imagina-se que os requerimentos aprovados na Câmara não cheguem nem perto da sua mesa e se chegarem, não serão lidos. Vão para o lixo, para o arquivo, enfim, só não vão parar em lugares bem menos nobres pela aspereza do papel.


Diante disso, eis a pergunta: Compensa se desgastar tanto por tão pouco?

(artigo publicado no jornal HOJE 454 - Coluna do Marcel)

hoje - 454

Jornal HOJE já nas residências dos assinantes e nas bancas. Destaque para a audiência pública mandrake, ocorida no ginasio no último dia 26.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Telefone email novos

O advogado Paulo de Tarso Pinheiro informa que está de telefone e e-mail novos.

3346 6779 é o número do seu telefone comercial
pt.pinheiro@bol.com.br é o e-mail do moço.

O esporte se movimenta

A noticia de que o vereador Faisal Salmen iria entrar com um requerimento, solicitando a prestação de contas dos repasses da prefeitura à Liga Esportiva de Parauapebas movimentou o esporte.

Na sessão de terça-feira, quase uma centena de desportistas esteve na Câmara para hipotecar apoio ao ex-presidente da LEP e agora secretário de Urbanismo, Roque Dutra.

Bom, a manifestação vai ter que ficar para outra data. Por causa da audiência pública sobre o Projeto de cobre do Alemão, não houve deliberação de requerimentos na Câmara.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Sonho de consumo de Darci

Como se sabe, é fundamental par a o prefeito Darci Lermen desarticular a oposição. O ideal para Darci é trazer Francis Resende para a Base governista (ainda que tivesse que lhe entregar uma secretaria), com fez com Odilon e aquietar Faisal Salmen.

O sonho de consumo nesse momento de Darci é isolar Adelson Fernandes e Antônio Massud, evitando assim número suficiente de vereadores para abertura de CPIs.

Ainda não entregou a "encomenda"

Comenta-se à boca pequena que para o vereaodr Odilon Rocha de Sanção é ponto de honra a vinda da companheira de partido, Francis Resende para a base do governo.

Para tanto, Odilon teria conversado muito com Francis, entretanto, a vereadora está irredutível. o passo seguinte do vereador é conversar com parentes e amigos da vereadora.

Ao que parece, Odilon está se mostrando um líder de governo batalhador, mas a inda não conseguiu entregar a "encomenda" ao prefeito Darci Lermen.

PTB em alta

Em conversa com o vereador Antônio Massud (PTB), o blog ficou sabendo que o partido vai muito bem, obrigado.

É que, segundo Massud, o partido conta hoje com 25 pré-candididatos vereador para as eleições do ano que vem e tem a perpectiva de receber mais cinco lideranças no quadro de filiados, " a ideia é trabalhar com 30 pré-candidatos", disse o vereador, que já adiantou que pretender ser candidato a prefeito.

Charge



Rapidinha

Hoje haverá sessão legislativa às 16 horas, mas, se depender de alguns vereadores, a sessão legislativa será rapidinha. É que os vereadores estarão presentes na audiência pública do projeto do Alemão, às 18 horas, no Ginásio Poliesportivo.

Novo comentário sobre Margalho

A postagem "Estilingue ou vidraça", que trata das peripécias do polêmico secretário de Finanças. Ernane Margalho (na verdade, até hoje eu não sei se o indigitado assina Ernane ou Hernandes). A postagem levantou poeira e está dando o que falar. Veja só o que o leitor Matuto comenta:


"Não sei porque ele está incomodado, trata os vereadores de: vereadores tqq(terca,quarta e quinta) Ze ruelas,patropes, sacos sem fundo, gaveteiros, pranadas, analfabetos, mcargas pesadas e tantos outros adjetivos, demonstrando um total desrespeito ao Legislativo. O que impressiona e ver o vereador Odilon, hoje ser líder de um governo, que ate outro dia estendia estes adjetivos ao nobre vereador Sansao".

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Uma campanha interessante



E-mail enviado pela jornalista Isabel Gaia


GASOLINA

(GNV, DIESEL e ÁLCOOL)

Como poderemos baixar os preços???
NÃO DEIXE DE LER ..
Você lembra do Criança Esperança?
A UNICEF e a Rede Globo ‘abriram as pernas’...
Foi a força da Internet contra uma FÁBRICA DE DINHEIRO que DESCOBRIU-SE nunca chegar a quem de direito.
Então continue a ler .Não deixe de participar, mesmo que vc HOJE não precise abastecer seu carro com gasolina!! Mesmo que você não tenha carro, saiba que em quase tudo que você consome, compra ou utiliza no seu dia-a-dia, tem o preço dos transportes, fretes e distribuição embutidos no custo e conseqüentemente repassados a você.


Você sabia que no Paraguai (que não tem nenhum poço de petróleo) a gasolina custa R$ 1,45 o litro e sem adição de álcool . Na Argentina, Chile e Uruguai que juntos (somados os 3) produzem menos de 1/5 da produção brasileira, o preço da gasolina gira em torno de R$ 1,70 o litro e sem adição de álcool

QUAL É A MÁGICA ??

Você sabia, que já desde o ano de 2007 e conforme anunciado aos "quatro ventos" O Brasil já é AUTO-SUFICIENTE em petróleo e possui a TERCEIRA maior reserva de petróleo do MUNDO.

Realmente, só tem uma explicação para pagarmos R$ 2,67 (cartel do DF) o litro: a GANÂNCIA do Governo com seus impostos e a busca desenfreada dos lucros exorbitantes da nossa querida e estimada estatal brasileira que refina o petróleo por ela mesma explorado nas "terras tupiniquins"

CHEGA !!!

Se trabalharmos juntos poderemos fazer alguma coisa.
Ou vamos esperar a gasolina chegar aos R$ 3,00 ou R$ 4,00 o litro? Mas, se você quiser que os preços da gasolina baixem, será preciso promover alguma ação lícita, inteligente, ousada e emergencial.
Unindo todos em favor de um BEM COMUM !!!

Existia uma campanha que foi iniciada em São Paulo e Belo Horizonte que nunca fez sentido e não tinha como dar certo. A campanha: "NÃO COMPRE GASOLINA" em um certo dia da semana previamente combinado não funcionou.

Nos USA e Canadá a mesma campanha havia sido implementada e sugerida pelo próprios governos de alguns estados aos seus consumidores, mas as Companhias de Petróleo se mataram de rir porque sabiam que os
consumidores não continuariam "prejudicando a si mesmos" ao se recusarem a comprar gasolina.. Além do que, se você não compra gasolina hoje... vai comprar MAIS amanhã. Era mais uma inconveniência ao próprio consumidor, que um problema para os vendedores.

MAS houve um economista brasileiro, muito criativo e com muita experiência em "relações de comércio e leis de mercado", que pensou nesta idéia relatada abaixo e propôs um plano que realmente funciona.

Nós precisamos de uma ação enérgica e agressiva para ensinar às produtoras de petróleo e derivados que são os COMPRADORES que, por serem milhões e maioria, controlam e ditam as regras do mercado, e não os VENDEDORES que são "meia-dúzia".
Com o preço da gasolina subindo mais a cada dia, nós, os consumidores, precisamos entrar rapidamente em ação!!
O único modo de chegarmos a ver o preço da gasolina diminuir é atingindo quem produz,na parte mais sensível do corpo humano: o BOLSO. Será não comprando a gasolina deles!!!

MAS COMO ??!!

Considerando que todos nós dependemos de nossos carros, e não podemos deixar de comprar gasolina, GNV, diesel ou álcool. Mas nós podemos promover um impacto tão forte a ponto dos preços dos combustíveis CAIREM, se todos juntos agirmos para

FORÇAR UMA GUERRA DE PREÇOS ENTRE ELES MESMOS.

É assim que o mercado age!!!

Isso é Lei de Mercado e Concorrência

Aqui está a idéia:

Para os próximo meses ( junho/ julho / agosto de 2011...) não compre gasolina da principal fornecedora brasileira de derivados de petróleo, que é a PETROBRÁS (Postos BR).

Se ela tiver totalmente paralisada a venda de sua gasolina, estará inclinada e obrigada, por via de única opção que terá, a reduzir os preços de seus próprios produtos, para recuperar o seu mercado.

Se ela fizer isso, as outras companhias (Shell, Esso, Ipiranga, Texaco, etc...) terão que seguir o mesmo rumo, para não sucumbirem economicamente e perderem suas fatias de mercado.
Isso é absolutamente certo e já vimos várias vezes isso acontecer!
CHAMA-SE LEI DA OFERTA E DA PROCURA

Mas, para haver um grande impacto, nós precisamos alcançar milhões de consumidores da Petrobrás.
É realmente simples de se fazer!!
Continue abastecendo e consumindo normalmente!! Basta escolher qualquer outro posto ao invés de um BR (Petrobrás). Porque a BR?
Por tratar-se da maior companhia distribuidora hoje no Brasil e consequentemente com maior poder sobre o mercado e os preços praticados.
Mas não vá recuar agora... Leia mais e veja como é simples alcançar milhões de pessoas!!


Essa mensagem foi enviada a aproximadamente trinta pessoas. Se cada um de nós enviarmos a mesma mensagem para, pelo menos, dez pessoas a mais

(30 x 10 = 300)

e se cada um desses 300 enviar para pelo menos mais dez pessoas, (300 x 10 = 3.000),

e assim por diante, até que a mensagem alcance os necessários MILHÕES de consumidores!

É UMA "PROGRESSÃO GEOMÉTRICA" QUE EVOLUI RAPIDAMENTE E QUE VOCE CERTAMENTE JÁ CONHECE !!

Quanto tempo levaria a campanha?

Se cada um de nós repassarmos este e-mail para mais 10 pessoas A estimativa matemática (se voce repassá-la ainda hoje) é que dentro de 08 a 15 dias, teremos atingido, todos os presumíveis 30 MILHÕES* de consumidores da Petrobrás (BR),
(fonte da ANP - Agencia Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis)

Isto seria um impacto violento e de consequências invariavelmente conhecidas...
A BAIXA DOS PREÇOS

Agindo juntos, poderemos fazer a diferença.
Se isto fizer sentido para você, por favor, repasse esta mensagem, mesmo ficando inerte.


PARTICIPE DESTA CAMPANHA DE CIDADANIA ATÉ QUE ELES BAIXEM SEUS PREÇOS E OS MANTENHAM EM PATAMARES RAZOÁVEIS ! ISTO REALMENTE FUNCIONA.
VOCÊ SABE QUE ELES AMAM OS LUCROS SEM SE PREOCUPAREM COM MAIS NADA!

O BRASIL CONTA COM VOCÊ!!!

Retificando

O blgger retifica a postagem de hoje de manhã. Na verdade, a audiência pública a ser realizada amanhã, dia 26 é para tratar do Projeto do Alemão, LOCALIZADO EM PARAUIAPEBAS e não em Canaã, como dissemos erroneamente na postagem anterior.

Será que Darci comperece à audiência pública?

Na última audiência pública, também realizada no ginásio poliesportivo, o prefeito Darci Lermen não se dignou a dar o ar da graça.

Quando um vereador o encontrou na rua e perguntou a razão da sua ausência, Darci respondeu simplesmente: "não fui porque não quis".

Espera-se que dessa vez o prefeito compareça e mostre que se preocupa com o que está acontecendo no município.

Vale abre 815 vagas para o Programa de Formação Profissional do Pará


A partir de segunda-feira, 25, até a próxima sexta-feira, 29 de abril, estarão abertas as inscrições, no Pará, ao Programa de Formação Profissional da Vale 2011. Serão ofertadas 815 vagas para candidatos de seis cidades paraenses: Belém, Parauapebas, Canaã dos Carajás, Marabá, Tucumã e Ourilândia do Norte. O objetivo do programa é formar jovens para que possam suprir a demanda de profissionais qualificados nas áreas de atuação da empresa e, ao mesmo tempo, fomentar o desenvolvimento local nas regiões em que a Vale está presente.


Para concorrer a um das vagas, os candidatos devem ter no mínimo 18 anos, ensino médio completo ou ensino técnico nas áreas de eletrotécnica, eletromecânica, mecânica e mineração. Para algumas vagas, é preciso ter carteira de habilitação.


Os jovens formados pelo programa vão atuar na área de Operação e Manutenção de mina e usina da Vale. As inscrições podem ser feitas pelo site: www.vale.com/oportunidades ou presencial, nos locais abaixo relacionados.


Durante o processo seletivo, os candidatos passarão por diversas etapas, todas eliminatórias, começando por avaliações de português e matemática. As etapas seguintes incluem dinâmica de grupo, entrevistas, avaliação psicológica e exames médicos.


O programa é dividido em duas etapas; teórica e prática. A fase teórica será realizada em instituições de ensino parceiras da Vale e terá duração de 3 a 4 meses. Após aprovado na formação teórica, o aluno será encaminhado para a formação prática, que terá duração de 1 ano. Nessa fase, conhecerá mais sobre a função e o ambiente de trabalho nas áreas operacionais da Vale no Pará.


A bolsa-auxílio para os selecionados no programa varia entre R$ 400,00 a R$ 800,00 na fase teórica e, entre R$ 1.000,00 e R$ 1.259,00 na fase prática. Na fase prática, participantes terão direito também a vale alimentação, vale transporte e assistência médica e outros benefícios do empregado Vale nas localidades que irão atuar.


Documentação


No ato na inscrição, o candidato deverá apresentar os seguintes documentos: diploma, histórico ou comprovante de conclusão do Ensino Médio e ou/ Técnico, cópia do RG e do CPF e do comprovante de residência. Os interessados podem acessar o endereçowww.vale.com/oportunidades para terem mais informações.


Serviço:


Programa de Formação Profissional da Vale no Pará


Inscrições: 25 a 29 de abril de 2011


Confira os locais de inscrições:




























Locais de Inscrições


Localidade


Escola


Endereço


Horário


Parauapebas


UNOPAR- Universidade Norte do Paraná


Avenida Inglaterra, s/n – bairro: Novo Horizonte


08 às 17h


SINE


Rua E, Quadra Especial, s/n


CEUP


Rua A, Quadra Especial, s/n




Cenários de Carolina






Além dos grandes paredões de Pedra Caída, a paisagem e as cadeias de montanhas são marcas registradas de Carolina. Aliás, o feriado atraiu uma grande número de Parauapebenses. Marcelo, Gislaine, Leidiane, Do Carmo, Célia Rocha, Beno e esposa, o blogger e esposa, Tânia Brunelli e outros mais. Parecia que a gente estava na terrinha.

Mais fotos de Carolina (Pedra Caída)

O blogger recebeu a boa companhia Beno Freitas, a esposa Sara e a filhinha Saíra
Acima, com uma galera de Parauapebas, Célia Rocha, Do Carmo Oliveira e amigas
No descida para o santuário ecológico


Como havíamos prometido, estamos postando mais algumas fotos do aprazível passeio em Carolina e do santuário de Pedra Caída.

Audiência do Projeto do Alemão

Amanhã, 16, às 18 horas, no Ginásio Poliesportivo, mais uma audiência pública da Vale sobre ao Projeto de Cobre do Alemão, em Canaã dos Carajás.


Ainda que o projeto se localize no município vizinho, todos os seus desdobramentos irão imactar na região como um todo, de modo que a presença da comunidade pe de extrema importância para todos.

Estilingue ou vidraça


Nos dias que estive fora um situação nova. De repente, não mais do que de repente, Ernane Margalho virou o paladino do zelo pela coisa pública. Olha só o que diz o comentário de um leitor.




"Um furinho, mas verdadeiro, irá mudar a política em Parauapebas
Margalho incomodado com a os vereadores que foram presidentes da Câmara (Massud, Francis e Adelson) fez chegar à promotoria de parauapebas várias denúncias envolvendo os vereadores. Falam que o promotor pediu mandado de busca e apreensão na Câmara".





Ao contrário do comentarista anônimo, eu não acho que a informação vai mudar alguma coisa na política de Parauapebas. Nos próximos dois anos, Margalho será apenas vidraça e não teria como ser diferente, afinal, ele está numa posição estratégica dentro do governo. Por fim, como o seu histórico, ele não tem moral pra se transformar de uma hora pra outra em estilingue.


sábado, 23 de abril de 2011

Cenário maravilhoso


A caminho de Pedra Caída, uma prévia de fotos lindíssimas que estarei postando, a partir de amanhã.

Em Carolina

Aí pessoal, estamos em Carolina, espairecendo um pouco dos rigores do trabalho duro. Por conta da viagem, o jornal HOJE deixará de ir às ruas na segunda. Pedimos desculpas aos leitores.

Estarei postando algumas fotos da Carolina bucólica e charmosa, que está mal cuidada, em relação a última vez que estivemos por aqui.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Hospital recebe equipamentos hospitalares

O medico fabrício Aires, o secretário de saúde, Alex Ohana e o diretor da OSCIP Bem Viver, Charles Miranda


Trabalhadores carregam uma cama hospitalar para o hospital




Hoje o Hospital Municipal recebeu equipamentos hospitalares no valor de R$ 120 mil. Camas hospitalares, colchões, carrinho anastésico, desbribilador e outros fazem parte do pacote.


Esses equipamentos são provenientes do acordo trabalhista entre a empresa Odebrecht e a Justiça Federal do Tabalho, relativo ao caso das horas itineres.



Ainda que a Vale tenha sido multada em vários milhões de reais, empresas envolvidas no processo também foram multadas. A multa de Obrebrecht foi convertida em equipamentos para o hospital.



No momento da entrega, estavam presentes o médico Fabricio Aires, o secretário de Saúde Alex Ohana e o diretor da OSCIP Bem Viver, Charles Miranda.

Ainda sobre o caso da denúncia de compra de votos

A denúncia de compra de votos nas eleições de 2008, por parte do atual prefeito Darci Lermen, publicada no HOJE 454 feita pelos pastores Paulo César e Abias de Brito Rocha pode ter sido prescrita, ou seja, fora do prazo para tornar pública, entretanto, não deixa de ser grave, em outras palavras: o crime eleitoral, pode não ser passível de punição, mas continua sendo um delito contra democracia e só por isso deveria ser publicada com foi.

Quando ao fato de o prefeito ter doado 500 lotes para a comunidade, conforme está publicado no Blog do Zedudu, deve-se dizer que são dois casos diferentes. Os 500 lotes tinham sido acordados durante a ocupação da prefeitura e seriam destiados aos moradores da Chácara das Nuvens(Odilândia), com 222 famílias, moradores das proximidades do Projeto Pipa, com 176 famílias e moradores do abrigo da Faruk Salmen, com 100 famílias.

Já os moradores do Alto Bonito, também chamado de Morro do Chapéu compreendem outras comunidades da parte baixa do morro, um charco cheio de palafitas, às margem da PA-160 e mais um invasão, perto daas Casas Populares II. Essas três comunidades contabilizam 1008 famílias, ou algo em torno de 6 mil pessoas. São os moradores que o jornal se referiu.

Recado do Tiririca



Feriado prolongado

A partir da amanhã, Parauapebas viverá um esvaziamento natural, por causa do feriado da Semana Santa. No serviço público o sujeito está de folga a partir de amanhã e só volta ao batente na segunda-feira.

Vila vence Dallas no Master. 2 a 0

Lance de disputa de bola no meio campo




Mantendo a mesma sequência de vitórias do time sub-18, a equipe de master do Vila Romana conquistou mais um triunfo na noite de domingo (17), às 18 horas, no estádio Rosenão. Sob o comando do técnico Macaxeira e debaixo de muita chuva no segundo tempo do jogo, a equipe derrotou o Dallas por 2 a 0, com destaque para belo gol de falta cobrado pelo volante Elmo, que entrou no na etapa complementar no lugar de Emerson. Com o resultado o Vila lidera a competição com 6 pontos e cinco gols de saldo. Já o Dallas fica do outro lado da tabela sem marcar pontos.





Mesmo saindo de campo com a derrota por 2 a 0, o Dallas foi valente em campo, em determinado instantes o time que tem o comando do técnico Daroça sufocou o Vila Romana, mas faltava um matador na área para transformara as jogas em gols. O Vila jogava com determinação principalmente com atacante Xuxa, Nídia também desperdiçou boas chances de ampliar o marcador.

Mesmo com tanta movimentação o placar só foi aberto aos 10’ minutos do segundo tempo através de Codó, que fez um verdadeiro salseiro na defesa do Dallas, Elmo deu números finais ao jogo marcando um lindo gol de falta batendo no ângulo direito do goleiro Cabeludo. Fim de jogo Vila Romana 2, Dallas estreando com derrota 0.

A partida teve no comando do apito o senhor Washington Luis Antônio Pires, auxiliado por Lucinaldo da Silva e Isael Silva, na regra estava Antônio Pires.


(Blog Show de bola)

Setenta milhões de reais

Se o leitor foi um dos que jogaram na mega-sena, está no jogo para abocanhar e levar para casa R$ 70 milhões. O sorteio do mega prêmio acontece hoje às 20 horas.

Religioso denuncia que foi agredido por ex-presidente de associação

Paulo César afirma que foi agredido no domingo

A víitima mostra o local de um soco desferido por Aguinaldo


A agressão nas costas, segundo Paulo César, perpetada por Aguinaldo

Depois da reunião de sexta-feira (15), na qual o ficou definido que a Associação de Moradores do bairro Alto Bonito, também conhecido como Morro do Chapéu, localizado na invasão entre as Casas Populares I e II, iniciaria o processo de escolha do novo presidente da Associação dos Moradores do bairro, o clima ficou bastante tenso.

Segundo informações, de Paulo César Alves da Silva, pastor da Igreja Pentecostal da Benção de Deus, no domingo, 17, o próprio foi vítima de agressão por parte de Aguinaldo Jesus Bezerra, ex-presidente da Associação, que não teria se conformado com a decisão de se escolher um novo presidente para a entidade.

Segundo o relato de Paulo César, no dia 17, pela manhã, Aguinaldo o abordou no meio da rua, cobrando a devolução de um cadeado. Em resposta, Paulo César dissera que lhe dera R$ 12,00 para o pagamento do cadeado há algum tempo, que não foi aceito por Aguinaldo. “Na verdade, a história do cadeado foi só um pretexto para ele vir tomar satisfação, já que eu tinha sido um dos líderes que organizou a reunião de sexta-feira e ele não gostou”.


Ainda segundo o relato do pastor, depois de dizer que tentara pagar o cadeado ele virou as costas, do que se aproveitara Aguinaldo para lhe agredir nas costas e na nuca, “ele chegou a me acertar um soco no olho”, disse Paulo César, mostrando as escoriações pelo corpo.


Ato continuo, a vítima foi socorrida por vizinhos e acompanhado de Abias Brito Rocha, foi dar queixa na delegacia, onde para sua surpresa, Aguinaldo já havia lhe denunciado por crime de ameaça de agressão, “ele sabia que eu viria dar queixa dele, se adiantou e inventou que eu lhe ameara”.

Na delegacia, Paulo Cesar recebeu um encaminhamento e fez exame de corpo e delito. Ele espera que o agressor pegue pelo crime de lesão corporal.

Na verdade, Paulo César diz que Aguinaldo está desesperado porque mantinha os moradores sob um clima de terror. Mesmo estando com o seu mandato de presidente da Associação dos Moradores vencido, se comportava com o se o cargo fosse vitalício. “Ele não gostou porque a gente fez a reunião e decidimos eleger uma nova diretoria”, finalizou.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Parecia oposição

Na posse da nova diretoria da Associação Médica, ocorrida na sexta-feira última, o vice-prefeito Afonso Andrade, deu uma leve prévia do que pode acontecer no futuro.


Afonso disse claramente que os compromissos do atual prefeito, Darci Lermen não foram cumpridos. Parecia um político da oposição.

Favas contadas


Dora Kramer




Não é bem uma rebelião, mas um queixume que se propaga pela base parlamentar governista e mais dia menos dia pode se expressar em contrariedade aos interesses do Palácio do Planalto no Congresso, notadamente no Senado.


O descontentamento em questão inclui os petistas e, pelo menos nesse caso, exclui a sempre complicada distribuição de cargos. O problema guarda relação mesmo é com o medo de suas excelências de perderem importância. Sentem-se negligenciadas pelo governo, em particular pela presidente Dilma Rousseff.


O estilo objetivo de Dilma, festejado exatamente por privilegiar o mundo do trabalho em detrimento do emocionalismo tão ao gosto do antecessor, não tem feito o mesmo sucesso entre seus aliados no Parlamento.


O "exagero de formalidade", alegam governistas e petistas, mantém a presidente longe dos senadores que, depois de quase três meses de bons serviços prestados ao Planalto, ainda não receberam dela a deferência que consideram merecida pelo empenho que a maioria no Senado tem apresentado na defesa do governo.


O ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio, não exibe credenciais nem atributos para fazer a interlocução, o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, está assoberbado em suas funções e "Dilma não fala com ninguém".


Esse, o resumo da reclamação da maioria ampla que se sente tratada como se no Senado estivesse tudo resolvido e nada pudesse alterar a situação de conforto.


Em relação à bancada do PT isso pode até ser verdade, mas não é no tocante a aliados menos comprometidos com o projeto de poder nem exclui a hipótese de os petistas, amanhã ou depois, surfarem na onda da insatisfação só para mostrar que maioria é condição, mas não são favas contadas.


Vida pública. De dirigir com a carteira de habilitação vencida ninguém está livre, por descuido, displicência ou acaso.


Até aí, nada de muito especial no episódio envolvendo o senador Aécio Neves em uma blitz da Operação Lei Seca, no Rio.


O ponto torto é a recusa do senador ao teste do bafômetro. Com isso, deu margem à presunção de que infringiu a lei. Assim como se presume a paternidade de quem se recusa a fazer exame de DNA.


Um fato menor diante dos descalabros correntes? Não para quem se pretende líder da oposição, encarnando a representação dos 44 milhões de brasileiros que não votaram em Dilma e a partir desse patrimônio se candidatar à Presidência da República.


Aécio Neves sempre diz que não abre mão de seu estilo de vida e que, se for para mudar, prefere deixar a política. Até agora tratada como algo hipotético, a situação poderá se impor como realidade ao senador conforme indica a repercussão desse caso.


A menos que reformule seu conceito sobre a possibilidade de conciliação entre vida pública e "dolce vita", sem o ônus inerente ao escrutínio constante da imprensa nacional.


Note-se, não é julgamento moral - inclusive porque a questão não se presta a isso -, mas uma ponderação sobre as escolhas, seus respectivos riscos, o exemplo que vem de cima e a autoridade da oposição para criticar adversários, cujas condutas são marcadas pela tolerância com infrações.


Requerimento rejeitado

Na sessão legislativa de hoje tudo conforme o script. A oposição bateu até a mão ficar inchada e a situação tentou defender o que não tem defesa.


Articulados pelo líder do governo, Odilon Rocha de Sanção, os vereadores da base governista rejeitaram um requerimento do vereador da oposição, Adelson Fernandes (PDT), que requisitou documentos da ETC para fiscalização.



Os vereadores da situação que votaram contra a fiscalização, foram vaiados pela assistência.

100 dias

Mais uma da OSCIP, para rebater. Na reunião ocorrida na sela de reuniões da Câmara, na qual compareceram vereadores,membros do Conselho de Saúde, o secretário adjunto de Saúde, Afonso Vidinha e diretores da OSCIP Bem Viver. Foram discutidos os problemas da saúde e as dúvidas relativas a idoneidade da gerenciadora.


Depois de muita discussão, ficou definido, o que todo mundo já sabia: OSCIP Bem Viver fica, mas está sob fogo cruzado do Conselho e da Câmara. A Bem Viver tem 100 dias para mostrar a que veio. Se no final do prazo, a saúde continuar do jeito que está ou piorar, a porta da rua é serventia da casa.

Pescado caro

A reclamação geral dos consumidores de pescados é que nesse período da Semana Santa o valor do peixe subiu até 80% em alguns casos. A tradição católica manda que nesse período apenas peixe esteja presente na mesa dos cristãos, mas com o exagero verificado, uma sardinha em lata, um corrozinho, ou um bagrezinho do Sebosinho pode fazer a festa.

Viaduto escranzinado

Fonte de muitos acidentes o viaduto que outrora era localizada na saída da cidade, mas com o crescimento da zona urbana, está bem no meio tem recebido porrada de todos os lados. Muitos o acham feio de doer, outros o querem demolido, ou seja, no chão. A tendência é que no local seja construído uma rotatória, mas atenção: só não pode ser como umas e outras que existem por aí, que mais parecem a cara de quem a planejou.

Prevenir

Rapidinho o DMTT, a secretaria de Obras ou quem de direito deve colocar redutores de velocidade ou lombadas nas proximidades do shopping center. Se antes da sua inauguração já são registrados vários acidentes, imaginem depois da sua inauguração, quando o grosso da juventude migrar pra lá, assim como parte do movimento do comércio...

Termo de Ajustamento de Condulta

Transportes coletivos. Na semana passada um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre cooperativas de vans, Ministério Público e prefeitura estipulou um prazo de 60 dias para baixar o edital chamando uma licitação para o transporte coletivo. Caso a prefeitura não atenda, está prevista uma multa de R$ 50 mil.

O segmento dos vazaeiros se fortaleceu ao l o ngo dos anos na cidade e co nseguiu inibir a entrada de grandes empresas para explorar as linhas, que são muito lucrativas. Com a licitação, vem aí uma grnade batalha que deve sair faísca. Quem viver verá e isso se não acontecer um revertério.

A imprensa tem avançado muito

O renomado jornalista Ricardo Noblat costuma dizer que o jornalista é os olhos e os ouvidos de uma sociedade. Quando o jornalista se corrompe é o fim; o último a sair pode apagar a luz.


Ainda que careça de um pouco mais de prestigio, prestígio esse que não fizemos muito por merecer, o que se percebe é que nos últimos tempos a imprensa de Parauapebas, e aí se inclui a impressa, falada e televisada, além das novas mídias, como sites, blogs etc tem avançado.


Quem diria que o segmento, até pouco tempo enxovalhado e visto com olhar de reprovação pudesse atuar de forma isenta e responsável e por isso mesmo começasse a ganhar respeito da comunidade.


Citarei quatro exemplos ocorridos nos últimos 45 dias, que com certeza darão a exata medida da importância do trabalho sério e voltado para os interesses da comunidade. A ampla repercussão dada ao episódio ocorrido nas proximidades da rua do Meio, quando um policial da Polícia Militar foi acusado de disparar contra um mulher. Em outras épocas, o episódio talvez ganhasse um espaço num canto de pagina.


Outra situação que deve ser destacada é a cobertura que tem sido dada a desativação dos restaurantes do “Costa pra rua”, na qual praticamente todos os veículos de comunicação deram destaque não só ao fato em si, mas aos seus desdobramentos. Evidentemente que respeitadas as linhas editoriais de cada jornal, razão pela qual alguns se posicionaram contra, outros a favor, mas o importante foi a colocação do debate.


Outra situação que ainda está na ordem do dia diz respeito a contratação da OSCIP Bem Viver, uma misto de ONG com empresa privada que tem como atribuição gerenciar sistemas de saúde falidos, com o de Parauapebas. A polêmica ainda está longe do seu final e nesta sexta, 15, mais uma acalorada discussão aconteceu na Câmara, mas, infelizmente, a imprensa não pôde participar. De qualquer maneira, ela estará vigilante.


Por último gostaria de citar uma matéria veiculada nesta edição. É uma denúncia gravíssima e nos reporta aos idos de 2008, quando todo mundo, gregos e troianos, velhos e crianças de colo presenciou o derrame de dinheiro na campanha eleitoral. Pela primeira vez, moradores falam abertamente de compra de votos.


Nesse caso cabe uma investigação da Câmara e também do Ministério Público. A tarefa não é fácil, mas quem foi que disse que investigar tubarões é mamão com açúcar? É como procurar agulha no palheiro, essa turma não dá ponto sem nó. De qualquer maneira, a primeira bola foi alçada pela imprensa, mais especificamente pelo jornal HOJE, que sem dúvida nenhuma está na vanguarda da boa imprensa da cidade e por isso mesmo goza de uma credibilidade poucas vezes vista. O resto fica por conta de quem de direito.

(artigo publicado no jornal HOJE - COLUNA DO MARCEL)

Assembleia geral

Hoje e amanhã, assembleia geral do Metabase em Canaã e em Carajás. Em Pauta, o acordo coletivo para os próximos dois anos.

HOJE - 454



Jornal HOJE , nas banc as, nas residências dos assinantes, nas rodas e na boca do povo.


Destaque para a denúncias dos pastores Paulo César e Abias sobre compra de votos nas eleições de 2008. Apoio para Darci em troca da área que compreende o Morro do Chapéu. Vamos ver no que isso vai dar.

Muito ocupado

Aos comentaristas que cobravam atualização do blog, justifico minha ausência de quatro dias pelas muitas ocupações aque não permitiram uma atenção maior a minha página na web, mas agora seguem o trabalho normamente.

Ah! minha internet está 10.

Denúncia de compra de votos em 2008







Depois de um pouco mais de dois anos, começa a vir à tona o que muita gente sabia e discutia nas rodas políticas, mas não se tinha provas: o crime eleitoral da compra de votos.


A campanha eleitoral de 2008 ficou conhecida como uma das mais endinheiradas da história de Parauapebas. O então candidato Darci Lermen (PT), que liderava uma coligação de mais de 10 partidos acabou ganhando a eleição com quase 60% dos votos, conquistando 38 mil votos, contra 27 mil de sua adversária, Bel Mesquita (PMDB).


Além da resultado normal, considerando o fato de que Lermen estava no poder e dispunha da máquina para canalizar votos, o que se viu na cidade foi muito dinheiro gasto com publicidade, com pagamento de carros de som, cabos eleitorais. Até mesmo partidários do prefeito diziam que a campanha havia consumido mais de R$ 20 milhões. Mesmo sem ter como provar, uma vez que caixa 2 e despesas não contabilizadas são coisas normais em campanha eleitoral, verificava-se até com certa facilidade que alguma coisa estava errada. Locais que antes eram claramente de oposição, de repente, como por encanto, amanheciam um mar de bandeiras vermelhas, caso das Casas Populares II, Altmira, Betânia e outros.


Nesta semana, uma denúncia deu o tom do que pode ter sido a campanha de 2008. Na quarta-feira, 13, Paulo César e Abias de Brito Rocha, pastores das Igrejas da Benção de Deus e do ministério Emanuel, respectivamente confirmaram que em agosto de 2008 o então candidato Darci Lermen teria se reunido com moradores e garantido que a área, hoje considerada inadequada para habitação seria entregue à população para a c riação de um novo bairro. A contrapartida seria os votos nas eleições de outubro. “Ele disse que se ganhasse a eleição ele nos manteria no local, mas ele recomendou que o acordo não poderia vazar porque se não ele perderia ter problemas com a Justiça Eleitoral e ser impugnado”. Abias disse que o local foi uma troca, “ele era candidato e a gente não tinha onde ficar” Abias afirmou que muita gente participou da reunião, ocorrida na Igreja do Ministério Emanuel, perto do escola.


Ainda segundo Abias, o acordo voltou a ser costurado em 2010, por ocasião da campanha eleitoral do hoje d eputado Milton Zimmer “lá pelo mês 07 (agosto), o Antônio Neto apareceu pelo nosso bairro, dizendo que lá era uma acordo político nosso com o prefeito e que não nos preocupássemos porque ele ia fazer aterro nas ruas, mandar colocar luz elétrica e falou também na possibilidade dar um kit construção para cada morador , m c om isso ele conseguiu conquistar o apoio da população e depois de uns sete a dez dias apareceu o candidato dele, que era o Milton e o povo elegeu ele (sic)”


Outro voz respeitada a confirmar o acordo de 2008 é o pastor Paulo César. “Quando nós ocupamos a área ele foi lá e disse que se a gente apoiasse ele, ele não iria mexer com a gente e a área seria nossa. Agora ele quer tirar a gente ede lá, o nde est´~ao os nossos direitos de moradia?”


As razões que fizeram os líderes do bairro romperem o silencio foram atribuídas a quebra do acordo do prefeito, que segundo eles, tenciona colocar todas as 1008 famílias das três ocupações numa espécie de abrigo. Os líderes se recusam sair por entender que perderiam o direito e a possibilidade da área ser revitalizada, ou receber serviços de infra-estrutura.


Deve-se dizer que até agosto de 2008, a administração Darci Lermen não havia permitido uma única ocupação de áreas urbanas, o que acabou causando estranheza a inesperada permissão.
De acordo com a Lei Eleitoral, a compra de votos se caracteriza quando o candidato oferece dinheiro ou qualquer "bem ou vantagem pessoal" ao eleitor. A pena prevista é de multa de até R$ 53,2 mil, e cassação do registro ou do diploma eleitoral.


De acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a lei define como captação de sufrágio "a doação, o oferecimento, a promessa ou a entrega pelo candidato, ao eleitor, de bem ou vantagem pessoal de qualquer natureza, inclusive emprego ou função pública, com o fim de obter-lhe o voto".

Desventura

No meio da chuvarada dos últimos dias um cidadão graduado da prefeitura, desses que colocou o burro na sombras nos últimos anos sofreu uma desventura.

O temporal deu que virou pra cima das suas represas lotadas até a tampa de peixe graúdo e arrebentou um monte de tanque e o que se viu foi um prejuízo de mais de R$ 300 mil só de tambaqui que foi embora na enxurrada.

O indigitado não lamentou muito. De onde veio esses, tem mais.

Em tratamento de saúde

Informações dão conta que o ex-todo-poderoso da prefeitura, João Fontana está viajando em tratamento de saúde.

Segundo consta, quando Fontana voltar, não asume mais o cargo de Chefe de Gabinete. Aliás, faz tempo que Fontana não goza das boas graças do prefeito e sua turma. Dizem que ele só ficou porque ameaçou abrir o bocão.

Escaldados com histórias de onça trepada no chão

Moradores do bairro Alto Bonitio (Morro do Chapéu) não estão acreditando que existe uma verba de R$ 44 milhões para a construção de prédios no morro, por isso eles não aceitam sair do local para ir para um abrigo.

Eles aceitam sair, desde que seja para as casas do programa "Minha casa, minha vida". É aquela coisa, se o governo municipal garante que os prédios vão sair mesmo, então não haveria problema em colocar os moradores nas ditas casas para passar uma temporada.

Na verdade os moradores andam cansados de histórias de onça trepada no chão.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Morre Hélio Gueiros


(Diário online)

O ex-governador do Pará, Hélio Gueiros faleceu na tarde de hoje (15) de ataque cardiáco.


Após o velório na casa do político, haverá um traslado para o Palácio Lauro Sodré, onde o público poderá prestar as últimas homenagens ao ex-governador do Pará e ex-prefeito de Belém. O sepultamento do político será no Recanto da Saudade, a partir das 15h deste sábado (16).

Nada como um dia atrás do outro

Nada como uma dia atrás do outro, com uma noite no meio. Durante muito tempo, o vereador Odilon Rocha de Sanção foi considerado o responsável por todos os infortunios dos moradores da Chácara das Nuvens. Sergundo eles, o vereador, que é proprietário da área, que a bem da verdade é imprópria para moradia era a propria encarnação do diabo. Bastaram uma duas conversas de pé de ouvido e mais umas três reuniões e todo mundo mudou de opinião. Tem gente que está achando o vereador até simpático.

Sexta movimentada

A sexta-feira foi hipermovimentada para os lados do Legislativo. Pela manhã, os moradores da Chácara das Nuvens se reuniram com os vereadores e mais uma vez se sentiram apoiados. Na parte da tarde o Conselho de Saúde se reuniu com os vereadores. Na pauta, análise sobre a OSCIP Bem Viver, cheia de muitos pontos de interrogação. Os vereadores prometeram investigar a fundo a vida pregressa da OSCIP Bem Viver. O mal é se achar coisas de arrepiar os cabelos.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Câmara aprova requerimentos e indicações

Com um minuto de silêncio em memória das vítimas do massacre na Escola Tasso da Silveira, no Rio de Janeiro. Foi assim o início da sessão do dia 12/04.

Após o momento de reflexão e iniciando o pequeno expediente, o vereador Wolner Wagner (PSDC) foi o primeiro a se pronunciar e, na oportunidade apresentou dois requerimentos – 040 e 045/2011, ambos de própria autoria.

A primeira solicitação pediu ao Executivo a recuperação das placas indicativas dos nomes das ruas, pois, de acordo com o vereador algumas placas estão danificadas por causa do vandalismo ou por acidentes. “Esse trabalho de revitalização placas vai facilitar o recebimento de correspondências e visitas para a população”, justifica. Já o requerimento N° 045 solicitou drenagem, terraplanagem e asfaltamento da Rua Cláudio Coutinho, localiza no Bairro da Paz.

Os vereadores Antônio Massud (PTB), Francisângela Resende (PDMB) e Adelson Fernandes (PDT), pediram, por meio do requerimento 043, a realização de sessão especial no dia 15 de maio com início previsto para às 9h na Escola Faruk Salmen, no Bairro da Paz. De acordo com Massud, um dos autores do requerimento, as sessões itinerantes são um instrumento de participação política muito importante, visto que o Legislativo vai até a comunidade para ouvir os seus principais anseios.

Preocupado com o trânsito, o vereador José Alves (PT), pediu a construção de um quebra-molas na Estrada Faruk Salmen, em frente ao Supermercado Sul Carajás, por meio do requerimento 044. O vereador explica que devido ao grande fluxo de veículos e pedestres que passam por ali diariamente a via tem sido palco de alguns acidentes e por isso é importante a instalação de um redutor de velocidade no local.

Faisal Salmen (PSDB) apresentou o requerimento 046 e nele pediu que a Casa de Leis solicite ao chefe do Poder Executivo Municipal que a partir das próximas prestações de contas quadrimestrais, sejam todas apresentadas em audiência como forma de divulgar à sociedade a aplicação dos recursos.

Na sequência, várias indicações foram colocadas em pauta, entre elas está a de N° 011, de autoria da Mesa Diretora, que sugeriu que o Poder Executivo encaminhe ao Legislativo, na forma de Projeto de Lei proposição dispondo sobre a alteração do anexo XVII, da lei 4.230 de 26 de abril de 2002 reduzindo a carga horária dos biomédicos e cumprimento da carga horária semanal de 30 horas para os técnicos em radiologia.

Posteriormente, o vereador Israel Pereira Barros, o Miquinha (PT) entrou com a indicação 012, que recomendou a construção de uma rotatória próxima ao viaduto, na entrada da cidade.

Ainda foram discutidas as indicações 013 e 014, ambas de autoria da vereadora Percília Martins (PRTB). Na indicação 013 a vereadora sugeriu a alteração parcial do artigo 146, II da Lei N/ 4.264/2003, que dispõe sobre o Código Tributário do Município de Parauapebas.

Já a indicação 014 recomenda a alteração parcial do artigo 1° da lei N° 4.403/2010, que revoga e altera a Lei 4.389/2009 com vistas a prorrogar para 31 de dezembro deste ano o prazo para a concessão de descontos relacionados ao pagamento e parcelamento de débitos fiscais e tributários no âmbito municipal.

As sessões legislativas acontecem toda terça-feira, às 16h, na Câmara Municipal de Parauapebas. Participe!



(ASSESSORIA DE IMPRENSA)

A verdade será publicada

Sobre a intervenção do PT nacional na prévias de Parauapebas, em que o blog publicou duas informações. A primeira do Blog do Wanterlor que enumerava os possíveis canditados às eleições de 2012 e a do Blog do Zedudu, que garantia que as prévias seriam descartadas.

De quebra o blog publicou o ponto de vista de uma liderança do PT.

Diante de alguns comentários e até de interrogação de um leitor na rua, ontem a noite, o blogger prefere esperar alguns dias para a confirmação da notícia, já que numa situação dessas, o tempo é a garantia da verdade. Se houver interveção nos próximos dias, o blog não vê problema nenhum em publicar a informação e dá o crédito a quem acertou, se porém, foi o contrario, vamos publicar da mesma forma.

Retificação

Diferentemente do que publiquei ontem, por uma confusão de calendário da minha parte, o prazo para regularização eleitoral de quem deixou de votar nas três últimas eleições termina hoje (14) e não ontem (13) como excrevi. Os outros serviços acontecem normalmente

Revisada a informação, o nosso pedido de desculpas.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Falta medicamentos

Há tempos que medicamentos da cesta básica falta nas farmácias da rede de saúde municipal. Ontem, por exemplo, na farmácia do Rio Verde não tinha paracetamol, Ambrassol e mais alguns medicamentos,


De acordo com informações, medicamentos têm faltado desde novembro.

Terminou

Hoje encerrou o prazo para a regularização eleitoral de quem deixou de votar nas últimas três eleições. Quem deixou de votar nas eleições de 2008 e 2010 e não fez a justificação não poderá tirar passaporte, identidade, participar de concurso e se for servidor público não poderá receber salário.


A multa é de R$ 3,50 por casa eleição sem voto. Agora os retardatários terão que esperar até o início do período de regularização eleitoral.

Nada a ver

Segundo uma liderança do PT, nada a ver a informação de que haveria ingerência, intervenção, ou qualquer coisa que o valha do PT nacional sobre as prévias par ao cargo majoritário de Parauapebas. Segundo ela, no PT nada acontece de cima para baixo.

Tudo tranqüilo no "Costa pra rua"

Até alguns minutos atrás, o clima lá nos restaurantes "Costa pra rua" está razoavelmente tranqüilo. Todo mundo vendeu normalmente e salvo alguma reclamação de que o comércio anda fraco, tudo permanece como dantes no quartel de Abranches.


Atualizando: hoje seria a data-limite para os proprietários de restaurantes fecharem a conta e passar a régua.

Alerta de Mirian Leitão

Ainda sobre o tema de um suposto apoio da China para que o Brasil tenha um assento no Conselho de Segurança da ONU, a comentarista da Globo, Mirian Leitão diz que tudo não passa de um jogo da China para que o Brasil declare que a China seja um país praticante da economia de mercado.


Com isso o Brasil não poderia reclamar no futuro de dumping. É bom o Brasil ficar de olho.

China acena com apoio ao Brasil no Conselho de Segurança na ONU

Gilberto Scofield Jr.,o Globo

A China se comprometeu a incentivar o aumento das importações de produtos de maior valor agregado do Brasil, segundo comunicado conjunto dos dois países divulgado [ontem], durante visita da presidente Dilma Rousseff a Pequim.

E, pela primeira vez, o governo chinês concordou em mencionar, no comunicado conjunto divulgado pelos presidentes Hu Jintao e Dilma Rousseff, a aspiração brasileira a uma vaga permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O Brasil, por sua vez, reiterou o compromisso de acelerar o processo de reconhecimento da China como economia de mercado, decisão que ainda depende de regulamentação no Ministério do Desenvolvimento e aval do Congresso Nacional.

Junto com americanos, russos, franceses e britânicos, os chineses fazem parte do seleto grupo de membros que têm direito a veto nas decisões do Conselho de Segurança da ONU e, ainda, gozam de mandato duradouro, e não rotativo, como os demais associados das Nações Unidas.

No comunicado, a China defende a maior participação dos países em desenvolvimento no Conselho de Segurança. De acordo com um dos negociadores do documento, o Estado chinês evitou, com isso, uma saia justa em relação ao Japão: que também pleiteia uma vaga permanente, mas é tido como inimigo moral dos chineses.

Solução cômoda

O Blogger tem muitas ressalvas como relação a situação. Apesar de concordar que o local precisa ser revitalizado, que existem realmente problemas sérios de criminalidade, a solução radical revela apenas a incapacidade do Poder Público de resolver problemas. Se a população paga imposto, que serve para pagas salários de policiais é para que estes resolvam o problema, que prendam traficantes de drogas, que investiguem e enquadrem quem vende bebidas para menores, que fechem os estabelecimentos que tenham máquinas de caça-níqueis e por aí vai.


Misturar num mesmo balaio trabalhadores e contraventores é muito cômodo, mas não resolve. os traficantes procurarão outros locais e os trabalhadores perderão sue local de sustentar suas famílias. É com a história do sofá. O cidadão descobriu que era traído pela esposa no sofá da sala e resolveu tomar uma atitude drástica e vendeu o sofá.



Evidentemente que o problema continuou, a única coisa que mudou foi que a casa não tinha mais o sofá.



Diante disso, nem é preciso dizer mais nada, apenas que para tirar pessoas sérias de lá, precisa lhes dar uma outra alternativa, outro local viável para que os trabalhadores continuar vendendo comida. É assim que governo sérios fazem.

Costa pra rua - data-limite

Hoje, 13, é a data-limite para a desativação definitiva do chamado "Costa pra rua". Pela determinação da prefeitura, até às 18 horas dessa quarta-feira os comerciantes deverão sair do local.


Até o presente momento, ninguém se mexeu. Vamos aguardar.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Processo das prévias do PT

No Blog do Wanterlor, Antônio Neto, Euzébio Rodrigues, Hernandes Margalho, Jose das Dores Couto, Leônidas Mendes são esses os prováveis candidatos inscritos nas prévias petista. O prazo termina no dia 30 de abril.

Já no Blog do Zedudu, deu que o PT nacional cancelou o processo em Parauapebas.

Manifesto

O manifesto solitário de uma trabalhadora da informalidade mostra que o problema está longe de acabar. Hoje a tarde, na sessão legislativa muitos ambulantes protestaram e reivindicaram local digno para trabalhar.

Charge

Vale: a queda de Agnelli e o monstro que fica

Lúcio Flávio Pinto

Em três dos 10 anos em que presidiu a antiga Companhia Vale do Rio Doce, Roger Agnelli manteve uma guerra de guerrilhas com o governo do PT. A incompatibilidade foi transmitida por Lula a Dilma Rousseff. A queda de braço foi vencida pelos petistas, depois de um “chega pra lá” no Bradesco. No final do mês, quando seu mandato encerrar, Agnelli não será reconduzido à direção da maior empresa privada do país, a segunda mineradora do mundo.

Murilo Ferreira, que vai substituí-lo não deverá discrepar do padrão estabelecido para o ocupante do cargo. O Bradesco, que colocou Agnelli no topo da Vale, precisou ser convencido de que era melhor para todos encerrar uma permanência já tão longa para os padrões do capitalismo de mercado brasileiro (por mercado, entenda-se: com ações para valer na bolsa). Em compensação, o banco – que perdeu a hegemonia no setor financeiro para o Itaú, depois que a corporação dos Setubal engoliu o Unibanco, dos Moreira Salles – ficou com as cartas da sucessão.

Os petistas sustentam que a exigência da mudança não foi motivada por simples antipatia. Não faltavam motivos para considerar Agnelli antipático: sua arrogância, insensibilidade para os aspectos humanos nas relações de trabalho, inflexibilidade na condução da mineradora e de espírito autoritário conquistaram inimigos. Mas o conflito com o governo teria como causa a integral adesão dele a uma política de exportação de commodities e de perigosa dependência do mercado asiático, sobretudo da China. Seria uma incompatibilidade de visões do processo econômico e do desenvolvimento.

Há quem acredita na versão. Mas ela dificilmente resistirá a uma confrontação com os fatos. Quando a fritura e as alfinetadas já se tornavam maciças, sem sutilezas, Agnelli, talvez estimulado pelos ares do exterior, onde se encontrava, desabafou: o que os petistas queriam era a sua cadeira (e várias outras abaixo dela) para empregar “companheiros”.

Com essas palavras, o presidente da Vale entregou sua cabeça ao cutelo, mas não deve ter agido impensadamente. Sua sorte estava selada, independentemente do que ele fizesse. E ele bem que tentou se manter, cultivando a simpatia de Lula através de favores pessoais ao presidente e sua família, e atendendo algumas das reivindicações por ele endossadas, como a siderúrgica de Marabá, um projeto de tal complexidade que até hoje, à diferença de todos os demais dos quais a Vale participa, permanece sem sócio.

Diz-se que o presidente decidiu se livrar do seu novo “amigo de infância” quando ele, nas primeiras ondas da crise financeira internacional de 2008, demitiu 1.500 funcionários, justamente quando o governo gastava muito (inclusive além da prudência e do bom senso, não propriamente pelo alto valor da soma, com sérios reflexos sobre o caixa do tesouro nacional, mas, sobretudo, pelo destino dado ao dinheiro público) para não deixar que o Brasil mergulhasse numa crise mais profunda.

Acredita nessa justificativa quem espera pelo Papai Noel nos natais. Depois dessas demissões a Vale contratou várias vezes mais pessoal e ampliou seus investimentos, tanto no exterior como ainda mais no Brasil. Nada disso mudou a direção do processo econômico, com dependência crescente dos produtos primários, a maioria deles recursos naturais não renováveis, preponderando sobre os bens industrializados. E uma abertura desmedida ao comércio internacional, sem contrapartidas adequadas.

A Vale, porém, nunca esteve só nessa política. Ela tem sido apenas a principal integrante da comissão de frente que, de várias maneiras, encheu o mercado interno de recursos captados no exterior, em operações de compra e venda ou empréstimos e financiamentos. Só assim o governo Lula e, agora, a gestão da sua sucessora, dispuseram de dinheiro à larga, como “nunca dantes” no país, para promover um excepcional crescimento do consumo. É sintomático que as compras aquecidas não se tenham refletido nos indicadores do desenvolvimento realmente consolidado, ou sustentável, como diz o jargão.

Se a divergência entre o governo e a Vale fosse de fundo, nesses três anos de intrigas, vicejando por debaixo de uma aparência de cordialidade, o Palácio do Planalto e seus satélites teriam promovido uma discussão pública em torno do papel tipicamente colonial que a Vale tem desempenhado. Esse debate também podia ser travado dentro da empresa, nos seus colegiados. Ao contrário, a hostilidade acontecia nos bastidores, à distância da opinião pública, do início ao fim, em encontros sigilosos e em manobras sorrateiras – de ambos os lados, diga-se.

As características desse processo decisório deixam à mostra o estranho perfil de uma companhia tão poderosa como a Vale. Ela é uma empresa privada, mas o governo detém a maioria do capital votante. Essa maioria, contudo, não é suficiente para impor decisões fundamentais, como a substituição do presidente da corporação, que só pode ser tomada por maioria de 75% das ações ordinárias. Para completar esse percentual, o governo precisa do apoio do Bradesco, que é dono de 21%,

Pelas regras da privatização da Vale, feita em 1997, o Bradesco não podia ser seu acionista porque foi o responsável pela modelagem da venda. Nem a Mitsui, por sua condição de cliente da mineradora. Mas ambos participam do controle acionário. Têm poderes suficientes, nessa condição corporativa, para se manterem imunes às pressões governamentais, mas estão sujeitas a elas por causa dos seus interesses maiores. Por isso podem ser alcançados pela mão invisível do aparato estatal. Raras empresas – das imensas às pequeninas – têm autonomia bastante para resistir a essa interferência.

Se o jogo fosse limpo e visasse o bem coletivo, o governo agiria às claras e usaria a ação especial que possui, a golden share, para corrigir os rumos desviados da mineradora, o que nunca fez. Os atritos entre a Vale e o governo resultaram em ajustes, como o incremento da produção de chapas de aço, ao invés de apenas minério. Mas essas mudanças estão contidas no escopo do modelo de desenvolvimento à base de exportações crescentes de matérias primas, com preços elevados em função de circunstâncias específicas do mercado e do uso intensivo de energia. Seria o suficiente para o acerto de contas com um executivo manda-chuva, que se tornou um dos mais bem sucedidos em todo o mundo e na história brasileira.

O saldo da saída de Roger Agnelli é positivo. Poder tão grande, usufruído por tanto tempo, gera vícios e distorções. Mas sua saída é daquelas que, tudo mudando, nada muda. Exceto para dar razão ao executivo: a sua cadeira (e várias outras dela decorrentes) era a fonte da cobiça, não o corretivo aos seus erros. A Vale continuará a crescer como um ser híbrido, quase um monstro.

Zé Roela

Aliás, Adelson disse ainda que se Odilon continuasse a desmerecer o trabalho da oposição, ele acabaria como o secretário de Finanças, Hernanes Margalho, que, segundo ele trata os vereadores por "zé roela".

Bom, se os vereadores assistem impassivos a grana rolar solta e nada está sendo feito e alguns ainda defendem-no na tribuna, talvez até Margalho tenha alguma razão.

Tempo explosivo

O tempo continua quente na Câmara. Há cada vez mais distância entre o governo e os vereadores de oposição.

Na sessão de hoje, o vereador Odilon Rocha afirmou que alguns vereadores usavam a tribuna , mas a tribuna era uma utopia, um engodo.

Foi a deixa para que os vereadores Adelson e Massud reagissem à altura. Massud disse que até poucos meses Odilon dizia que o governa não prestava, "agora ele defende o governo, que continue, mas cada um faz o seu papel, o meu é investigar o governo".

Adelson disse que se o que os vereadores faziam na tribuna era engodo então não havia razão para para ninguém vir à Câmara.

OSCIP - discussão continua na Câmara


Ao que parece, a discussão sobre a OSCIP Bem Viver está longe de terminar. Depois de uma discussão tensa na secretaria de Saúde no dia 07, os vereadores receberam conselheiros de saúde e o secretário de Saúde, Alex Ohana, ontem, 11.

Durante mais de três horas, os vereadores ouviram os pontos de vista dos conselheiros e do secretário, tomaram pé do que representava uma OSCIP no sistema de saúde e os muitos pontos de discórdia entre os conselheiros e a secretaria.

Os conselheiros confirmaram que tinham aprovado o modelo de gestão, mas, que havia um acordo com o secretário para que se analisassem juntos a OSCIP que iria ser contratada.

Alex Ohana confirmou a informação e disse que havia falhado em não dar conversar com o Conselho, sobre o fato de a Bem Viver já está atuando no município desde o dia 1º.

Para os vereadores muitas dúvidas pairam sobre a OSCIP Bem Viver, principalmente informações de que a instituição é investigada pela Polícia Federal. Segundo informações, o valor do contrato gira em torno de R$ 3,3 milhões por mês. O vereador Antônio Massud chegou a dizer que era necessário investigar a procedência da OSCIP, "não vamos aceitar que o governo nos empurre de goela abaixo, vamos investigar". Já Faisal Salmen refutou o argumento de que a OSCIP Bem Viver era uma ONG sem fins lucrativos. "Não adianta imaginar que a Bem Viver viria aqui para não ganhar nada, ele tem fins lucrativos sim". Faisal se disse a favor de que a prefeitura fizesse uma licitação

Por outro lado, o vereador Raimundo Vasconcelos afirmou que era normal esse tipo de parceria, que é uma gestão compartilhada. "O problema é que a situação da saúde do município está caótica e era necessário fazer algo. Vamos esperar para que os resultados apareçam", disse.

Depois que os conselheiros falaram, todos afirmando que foram ludibriados, já que foram surpreendidos com o início das operações da OSCIP, o secretário Ohana argumentou que a parceria com a OSCIP era legal e obedecia a legislação. Alex afirmou ainda que o Conselho havia aprovado a mudança do modelo de gestão e que a escolha da OSCIP era do prefeito. Sobre a dispensa da licitação, Alex disse que a opção pela gestão compartilhada era em razão do estado caótico da saúde do município. "O erro e eu assumo foi a de falta de comunicação com o conselho e com a Câmara.

No final ficou definido que na quarta-feira, 13, o Conselho de Saúde receberia todas as informações e que na sexta, todos se reuniriam com a Câmara para continuar o debate.