"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha
de ser honesto".

(Rui Barbosa)


quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Manifestação do Sindsaúde contra secretário de Saúde e OSCIP Bem Viver

Manifestação na secretaria
Afonso Vidinha, subsecretário
Marden Lima - Sindsaúde

A insatisfação do modelo de gerenciamento da saúde de Parauapebas continua a colecionar críticos. O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado, coordenadoria de Parauapebas (Sindsaúde) está em franca oposição a OSCIP Bem Viver, que desde abril gerencia o atendimento de saúde do município.

O Sindsaúde também critica a atuação do secretário de Saúde, Alex Ohana, que segundo ele, é extremamente autoritário e age sem ouvir o Conselho de Saúde e não reconhece a atuação do sindicato. Segundo Marden Lima, presidente do Sindsaúde, dois sindicalistas teriam sido afastados de suas funções no Hoaspital Municipal de Parauapebas (HMP) e enviados para o setor de Atenção Básica por causa da militãncia no sindicato.

Em contato com o blog, os técnicos em enfermagem, Juracir e Jefferson afirmaram que a transferência se configura uma perseguição, "isso tem a ver com a nossa militância, porque fomos contra a vinda da OSCIP", diz Jefferson.

Hoje (31), uma manifestação do sindicato saiu do hospital e seguiu até a sede da secretaria de Saúde, No hospital e na secretaria de Saúde várias reclamações de má qualidade no atendimento.

O secretário adjunto Afonso Vidinha, no uso da palavra disse que o custo benefício da OSCIP era muito bom, "No passado tínhamos um custo de R$ 2,9 milhões para a saúde, hoje a OSCIP faz um trabalho de muito mais qualidade com R$ 2,3 milhões disse. Afonso Vidinha disse que a partir do ano que vem a saúde de Parauapebas seria referência na região.

Marden Lima, entretanto disse que a OSCIP estava no município ilegalmente, já que não fora autorizada pelo Conselho de Saúde e nem tinha sido submetido a uma licitação com outras OSCIPS. Marden finalizou dizendo que a Polícia Federal estava investigando a prestadora de serviços que atua em Parauapebas. O sindicalista disse que recorreria a Justiça contra o secretário por assédio moral contra os funcionários transferidos.

No final várias pessoas se manifestaram e disseram que eram mal atendidas no HMP.


Cabeludo fora do PV

O empresário e proprietário da Rádio Arara Azul, Raimundo Cabeludo não está mais filiado no PV. A informação foi passada pelo próprio twitter da emissora.

Ao que parece, Raimundo Cabeludo não tinha boas relações com Savanas, uma dos líderes do PV estadual. Quem assume o partido é Joelzinho, o que é uma garantia de que o partido estará com o governo nas eleições de 2012.

Vereadores entregam relatório alternativo da CPI ao Ministério Público

Vereadores seguidos por uma multidão seguem para o prédio do Ministério Público
O documento sendo entregue no prédio do MP de Parauapebas
Depois da entrega do documento, vereadores falam aos presentes

Os vereadores Antônio Massud, Adelson Fernandes (PDT) e Francis Resende (PMDB) entregaram o relatório altertnativo da CPI do Pazinato, ao Miniastério Público na manhã de hoje (31). Uma comitiva de 30 pessoas aproximadamente percorreu as ruas que separam a sede do Legislativo do prédio do Ministério Público, na rua B, na Cidade Nova, num ato de reivindicação de justiça.

Este é um relatório alternativo assinado por dois componentes da CPI (Adeslon e Francis). O relatório original tinha sido apresentado na Câmara e dado como normal o contrato da prefeitura com o escritório de advogados Pazinato, que já levou mais de R$ 9 milhões da prefeitura e pode levar algo em torno de R$ 169 milhões, caso a Vale pague o retroativo dos royalties, estimado em quase R$ 600 milhões.

Segundo Adelson e Francis, o relatório alternativo mostra as irregularidades do contrato, uma vez que não houve licitação para a contratação do escritório. Outra irrugularidade apresentada é que a prefeitura não teria como oferecer 20% dos valores da demanda judicial, uma vez que a causa não era da prefeitura. O Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) é que entrou com o ação contra a Vale. A prefeitura de Parauapebas nem é litis concórcio na demanda.

A vereadora Francis Resende disse que com a entrega do documento ao Ministério Público, os vereadores de oposição estavam dizendo que a CPI não terminara em pizza, "a nossa parte nós estamos fazendo, cabe agora ao Minitério Público apurar as responsabilidades", disse.

Após a entrega do documento, Massud disse que outrsas CPIs estavam a caminho, "queremos saber o destino dos R$ 600 milhões que foram gastos esse ano, porque nada foi feito no município", disse.

A promotora Bruna Rebeca não pôde receber em mãos o relatório porque estava de férias. os vereadores esperam providências nos próximso dias.

Satisfeito

O vereador Antônio Massud (PTB) confidenciou ao blog que está muito satisfeito com a quantidade e a qualidade dos pré-candidatos a vereador que disputará as eleições de 2012 pelo PTB.

Apesar de o partido ter perdido seis lideranças, que foram aliciadas pelo governo, em razão da oposição que o vereador faz na Câmara, Massud afirma que o partido já fez novas filiações e que no devido tempo irá apreentar, "nós hoje temos 25 pré-candidatos e devemos filiar mais três a quatro lideranças até o final de setembro", disse o vereador.

Fazendo água

Em conversa com um dos integrantes do grupo de pré-candidatos a vereador que saiu do PTB, o blog ficou sabendo que a ida dos cinco (professor Joseneto Feitosa, José raimundo, Deibson Rodrigues, Cirilo Páscoa e Cláudio caiado) para o PMDB pode fazer água.

Segundo consta, alguns compromissos que foram acertados não foram cumpridos. O grupo pode ir para outro partido da base.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Prefeito sassariqueiro e seus rapazolas

Sol de Carajás

A comitiva de Parauapebas que esteve no Ministério da Educação tentando reverter a vergonhosa perda de um Campus da UNIFESSPA no município, a bem da verdade, nunca tinha se reunido para tratar do assunto ou elaborar qualquer estratégia de atuação.

Na reunião, o prefeito nada falou, nada tinha a dizer, a defesa de Parauapebas foi realizada pelo vereador FAISAL, pelo Prof. LÉO, pelo prefeito de Xinguara DAVI PASSOS e pelo Dep. PUTY. Os demais entraram mudo e saíram calados. Uma vergonha! Parecem que não estavam autorizados a falar, o que foram fazer em Brasília, não sabem!

O mais triste é saber que o prefeito apenas chegou para a reunião poucos minutos antes, todo sassariqueiro, acompanhado de rapazolas, como se tivesse acabado de se descobrir sexualmente, uma lástima!

No que depender da articulação do prefeito e seus rapazolas, a UNIFESSPA já era! Ainda bem que Parauapebas é forte e pela sua própria força e dos seus estudantes, se mobilizados, conseguirão reverter esse vexame!

Ufa!

Ernane de Paula de volta

O intrépido Ernane de Paula está de volta. Com sua Rádio 40 Graus, ele incomoda muito. Como diria Edinardo, ele é a mão que aparreia a vida dos políticos.

Há tanta gente vendida na terrinha que a gente só pode aplaudir quando um cidadão com Ernane de Paula volta a fazer jornalismo. É isso.

Jeová no PMDB de Canaã

No próximo sábado (03) uma comitiva do PMDB estará em Canaã dos Carajás para abonar a ficha de filiação de Jeová Andrade, que deve ser candidato do partido nas eleições de 2012.

Além de Jáder Barbalho, Bel Mesquita Wenderson Chamon, Helder Barbalho, Parsifal Pontes e um monte de gente.

Rafael Ribeiro encaminha reivindicação para secretário de Educação

De Marabá, mensagem do líder estudantil Rafael Ribeiro, que participou de uma marcha estudantil no município vizinho. Na ocasião, Rafael cobrou do secretário de Educação melhorias no ensino.

As pautas foram Prise em Parauapebas, construção de escolas, contratação de professores, reforma nas escolas etc.

Segundo Rafael, os encaminhamentos foram recebidos. Rafael adiantou que o Prise deve voltar a ser realizado em Parauapebas e o Estado procura terrenos para a construção de várias escolas.

Queda de braço na saúde

Para não fugir à regra, a sessão legislativa de hoje recebeu também a panfletagem do Sindicato dos Trablahadores em Saúde do Estado, subseção de Parauapeas.

O Sindsaúde protestou contra a gestão do secretário de Saúde, Alex Ohana, a quem eles chamam de "Kadafi". Segundo o panfleto, Alex não aceita ser questionado e tem praticado assédio moral contra servidores que se insurgem contra suas atitudes, não raras vezes transaferindo-os de setor.

Ao que parece, Ohana não tem dado moral para o Sindsaúde, que por sua vez, tem pegado esado contra o secretáro. Briga boa essa.

Estudantes se manifestam na Câmara


Fotos Wanterlor Bandeira


Conforme estava previsto, os estudantes de Parauapebas começaram uma mobilização que deve se estender pelos próximos dias. Hoje (30), durante a sessão legislativa, os estudantes tomaram as dependências da sede do Legislativo e se manifestaram, demonstrando a indignação com o governo, que tirou o investimento de Parauapebas e com a classe política local, que segundo eles, não acompanhou o processo como deveria, razão pela qual a universidade foi perdida.

Os estudantes receberam o apoio dos vereadores e novas manifestações devem acontecer. Não está fora de cogitação a paralizaação do tráfego na portaria da Vale, ou até a Ferrovia.

Professores do Estado paralisam atividade

Conforme a programação da direção estadual, o Soindicato dos Trabalhasdores em Educação Pública do Pará, coordenação Parauapebas paralisou as atividades hoje, terça-feira (30).

Os sindicalistas foram às escolas e tentaram trazer os estudantes para o movimento, que reivindicava agilização no Plano de Cargos Carreiras e Remuneração (PCCR), mas os resultados não foram satisfatórios; os alunos estavam mais preocupados com sua própria manifestação, de tentar reaver e iniciar a discussão sobre a universidade perdida.

Pela parte da tarde, os líderes do Sintepp panfletaram na Cãmara.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

A César o que é de César

Sergio Fausto

Jaques Wagner é um homem lúcido. Diante da queda de mais um ministro, o terceiro a deixar o governo sob acusações de corrupção, o governador da Bahia comparou o estilo da presidente Dilma ao de seu antecessor: "Ela é dura, o sistema dela é um pouco brutal". Já Lula seria "mais ‘palanqueiro’, talvez mais tolerante com as coisas".

Wagner chegou perto de dizer a verdade, mas não a disse por inteiro. A verdade inteira é que foi Lula quem construiu a coalizão de forças que está aí; quem deu passe livre para que seus integrantes, a começar pelo PT, usassem o Estado brasileiro como se fosse propriedade sua, acobertando o malfeito e dando proteção política aos malfeitores.

É frequente o comentário político de que os vícios que agora se revelam são resultado inevitável do funcionamento do presidencialismo brasileiro.

Atribui-se a culpa ao sistema, para isentar de responsabilidade o ex-presidente Lula. Não é verdade, porém, que um presidente esteja condenado a fazer o que fez o antecessor de Dilma Rousseff. Se o fez foi porque escolheu fazer.

No início de seu primeiro mandato, Lula recusou-se a aceitar um acordo preferencial com o PMDB, costurado por José Dirceu. Temia ficar refém de um grande partido e pôr em risco a hegemonia do PT na aliança. Preferiu armar sua base parlamentar com a adesão de pequenos partidos, anabolizados com a transferência de parlamentares e recursos financeiros, sob o patrocínio do Palácio do Planalto.

Cresceu assim o Partido da República (PR), então chamado Partido Liberal, agremiação controlada por Valdemar Costa Neto, cujas estripulias são hoje bem conhecidas.

Para encontrar espaço para enfiar tamanho saco de gastos no Executivo, Lula ampliou, de pouco mais de 20 para 35, o número de postos ministeriais e abriu as portas de empresas estatais e agências regulatórias ao loteamento político. No Congresso Nacional, mais especificamente na Câmara dos Deputados, seu governo passou a operar o esquema que viria a ser conhecido como "mensalão". Que Lula tenha alegado nada saber sobre o esquema não é moralmente desculpável, mas é da lógica política. Ter decidido travesti-lo com a roupagem de caixa 2 e se empenhado na proteção e posterior reabilitação política de boa parte dos envolvidos foi escolha sua.

Diante do susto do "mensalão", Lula resolveu dar ao PMDB o lugar de sócio privilegiado na aliança governista. O cuidado para não enfraquecer a posição do PT explica o zelo demonstrado na proteção política a "aloprados" de variada natureza e dimensão. Seria de esperar que reforçasse os mecanismos de controle dentro de seu próprio governo. Esses não são apenas institucionais. São também políticos e dependem fundamentalmente da autoridade do presidente e de como ele a utiliza.

Mas, como disse Jaques Wagner, que o conhece bem, Lula é "palanqueiro" e "tolerante".

A tolerância pode ser uma virtude política, e Lula a tem: não é homem de perseguir os adversários nem de se negar ao diálogo. Pode ser, porém, um enorme defeito, quando significar complacência com o mau uso dos recursos públicos. Palco de escândalo no primeiro mandato, a Empresa de Correios e Telégrafos foi entregue em seguida ao PMDB. Este deitou e rolou na estatal a ponto de exigir uma intervenção de emergência ao apagar das luzes do segundo mandato, já em plena campanha eleitoral, em face da iminência de um colapso em seus serviços. Outros partidos deitaram e rolaram em outras estatais (Infraero, por exemplo) e agências reguladoras (vide ANP).

Com a economia "bombando", em pleno "espetáculo do crescimento", Lula não pensava senão naquilo: agregar e manter apoios políticos para eleger a sua sucessora, empenhando-se pessoalmente na empreitada, não raro infringindo a legislação eleitoral e debochando de juízes que, cumprindo o dever, lhe aplicavam multas por transformar cerimônias oficiais em palanques eleitorais.

Dilma não se pode dar ao luxo de não ver ou aceitar prazenteiramente o modus operandi da coalizão de forças que a elegeu. Faltam-lhe as grandes qualidades e os defeitos superlativos de Lula. A economia não está mais "bombando". E "bombará" menos ainda, até onde a vista alcança, por mais que seja atenuado o impacto da crise internacional sobre o Brasil. Por ora, não há faxina alguma. Observam-se, sim, umas sapatadas aqui e acolá à medida que uma barata aparece na sala, na feliz imagem do jornalista Fernando Barros e Silva. E elas estão aparecendo não porque a presidente se tenha posto a caçá-las pela casa, mas porque há uma briga de punhais dentro da aliança governista - ou não foi o irmão do senador Roberto Jucá, líder do governo no Senado, quem primeiro acusou o recém-caído ministro da Agricultura? - e porque a imprensa e alguns órgãos de Estado estão cumprindo o seu papel. Conseguirá a presidente rearticular a sua base de apoio político sem coonestar o modus operandi da aliança que foi funcional para a sua eleição, mas ameaça gravemente a qualidade do seu governo?

Uma coisa é certa: o rei está nu. Lula não inventou o sistema político brasileiro, não criou o fisiologismo nem deu origem à corrupção. Tudo isso já existia antes de ele assumir a Presidência. Mas nada do que se está vendo - na escala, na extensão e na profundidade que se revelam - deixa de ter a sua marca registrada.

A honestidade intelectual me impede de dizer sobre o governo Lula o que ele próprio e seu partido disseram sobre o governo Fernando Henrique Cardoso. O antecessor de Dilma Rousseff e seu governo têm qualidades. Deixaram-nos, porém, esta, sim, uma herança maldita: a corrupção sistêmica e disseminada no setor público federal; o aparelhamento do Estado, em níveis que há muito não se viam, incluindo ministérios cruciais, agências regulatórias e empresas estatais; a desmoralização do sistema partidário; e o debilitamento do próprio PT, agora tutelado por sua "majestade".

Ou nos livramos dessa herança ou seremos tragados por ela.

 

Já se comentava na terrinha

Aliás, sobre a possibilidade de Bel Mesquita assumir a pasta do Turismo, em Parauapebas todo mundo já comentava há mais de 15 dias.

O que mostra que em Parauapebas o que tem de analista políico é algo fora do normal.

Bel cogitada

Deu na revista Isto É Senhor que a ex-prefeita de Parauapebas e atual secretária excutiva do Ministério do Turismo, Bel Mesquita tem tudo para ser nomeada ministra da pasta. Com a saída de Pedro Novais do ministério, Bel seria o nome mais cogitado no momento.

Resta saber se Sarney, de quem Pedro Novais era uma espécie de afilhado político vai aceitar. Bel é do grupo do Jáder e também ligada a Michel Temer.

Começa IV campeonato rural


Com a resença de autoridades municipais, o IV campeonato rural teve início nesse sábado com a festa do torneio início no campo do assentamento Valentim Serra.


Na oportunidade foram entregues 30 kits de material esportivo para as equipes que participarão da competição.


Equipes que participarão do campeonato, divididas por sede:

Campo Três Voltas: Jardim, Palmares I, Palmares II, Pontilhão, Três Voltas, Vale do Liberdade e Vila Bras.

Campo Carimã: Conquista, Cachoeira Preta, Serra Dourada, São Raimundo e Carimã.

Campo Valentim Serra: Terra Roxa, Tapete Verde, Valentim Serra, Alto Bonito, Rio Branco, Carajás e Vila Albani.

Campo Vila Sansão: APA, Garimpo das Pedras, Gelado, Vila Sansão e Vila Paulo Fonteles.

Campo Onalício Barros: Cedere I, Santa Cruz, Carajás II, Nova Esperança, Dina Teixeira e Onalício Barros.

A decadência do Beira Rio

O antes todo poderoso Beira Rio, o clube mais tradicional da cidade, com cinco títulos conquistados está caindo pelas tabelas no campeonato municipal. Domingo, no estádio Rosenão, o Beira Rio levou uma traulitada do Asserp que até hoje não encontrou o caminho de casa. E olha, foi 8 a 1, mas bem que poderia ser mais, porque o seu goleiro ainda fez várias defesas que e vitaram que o placar fosse ainda mais dilatado.

Realmente, o Beira Rio é hoje uma equipe em plena decadência.

Matuto é f...

Habituê em quase todos os blogs, Matuto os engrandece sobremaneira com seus comentários irônicos e capciosos. Dá gosto de lê-los.

"Olha fontes confiável mim informou que esta falta de água esta com os dias contados, o moço do sistema, não mim lembro o nome dele aquele que foi secretário de obras da Bel, esta em forte campanha de jejum e reza para que São Pedro antecipa logo no inverno, que ai resolve mesmo que temporário o problema, agora o que o rapaz ta gastando com vela não e brincadeira, mas ele a de conseguir porque tem um Santo forte".

Credenciamento


A organização da Feira de Agronegócios deParauapebas e Região (FAP) aguarda a imprensa amanhã, dia 30 de agosto, no Parque de ExposiçõesLázaro de Deus Vieira Neto, paraque seja feito o credenciamento dos veículos de comunicação para o evento. Ocredenciamento ocorrerá em horário de expediente, de 9h ás 17h.

sábado, 27 de agosto de 2011

Dinheiro tem, o que falta é orçamento

Ao que parece, a Câmara não está disposta a conceder 30% de suplementação ao orçamento de 2011. Por isso muitos serviços estão parados na prefeitura ou semi paralisados.

Informação de um secretário dá conta que dinheiro tem, o que não tem é orçamento.

Torneira seca

Na semana passada os Serviços Autônomos de Água e Esgotos de Parauapebas (SAAEP) avisaram que iria acontecer interrupção de água na cidade. Pois é, em alguns bairros o SAAEP esqueceu de religar a água, casos das Chácaras e do Novo Horizonte. Na Chácara das Estrelas foram mais de 10 dias e no Novo Horizonte já passam de 15 dias de torneira seca.


Charge



Matuto não aguenta e ri... de quê? da própria desgraça?

Sobre a foto da matéria "Fracassa tentativa de reaver universidade", olha só o que Matuto comentou:

"Marcel desculpe-me por favor, mas meu e muita cara de pau, olha a foto deles estão todos sorrindo, meu, que sacanagem, rindo porque perdemos, cara este pessoal tem que fazer um tratamento, isto não e normal e desvio psíquico, não e d +, olha a cara deles sorrindo,há,há,há, há......................perdemos de novo, perdemos de novo há,há,há,......"

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Fracassa tentativa de reaver universidade

‘‘Depois da porta arrombada é difícil fechá-la’’. Apesar de o provérbio popular ter um fundo considerável de verdade, uma comitiva de Parauapebas tentou reverter uma situação que desde o dia 16 se mostrava definitiva. No final, ainda que alguns queiram dar nova nomenclatura ao fracasso, ou dourar a pílula, classificando mais um revés como se fosse algo a comemorar, ou ainda, se contentar com uma simples escola tecnológica, em substituição ao campus universitário perdido, a comitiva voltou da capital federal de mãos abanando, ou se isso é possível, de mãos quase abanando.

A comissão foi composta pelo prefeito Darci Lermen, os secretários municipais Ernane Margalho, Raimundo Neto, Alex Ohana e Leônidas Mendes, este último viajou à sua própria custa, o que demonstra que sua ida não estava na programação. Participando da missão, os vereadores Faisal Salmen, Francis Resende e Eusébio Rodrigues, o deputado federal Cláudio Puty e o prefeito de Xinguara, Davi Passos. A convite do prefeito Darci Lermen, o candidato derrotado ao Senado, Paulo Rocha e da ex-governadora Ana Júlia Carepa. Os dois patrocinariam momentos de triste memória no final da reunião com o secretário executivo do Ministério da Educação (MEC), Luís Cláudio Costa.

Tida como destino certo de um campus universitário da recém-criada Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), Parauapebas se preparou para ser anunciada como um dos quatro polos da nova universidade, entretanto, no último dia 16, a presidente Dilma Rousseff anunciou os municípios de Santana do Araguaia e São Felix do Xingu como sedes da UNIFESSPA, no lugar de Parauapebas.

Deve-se dizer que Parauapebas, juntamente com técnicos de outros municípios contribuíra para elaborar o projeto da nova universidade. Santana do Araguaia e São Félix do Xingu não estavam inseridos no grupo de trabalho e sequer pleitearam o investimento. A bem da verdade, há dúvidas se os dois municípios oferecem condições estruturais para a implantação dos campus. Baseado nessas prerrogativas, a comissão se reuniu com o secretário executivo do MEC, Luís Cláudio Costa.

Segundo o relato de Costa, Parauapebas fora excluída porque o município receberia a sede do Instituto Federal Tecnológico do Pará (IFPA), que nada mais é do que o antigo CEFET.
O argumento do secretário executivo do MEC teve a discordância imediata de Leônidas Mendes, que deixou bem claro, que o município almejava ser um centro de conhecimento e não apenas um formador de mãos-de-obra para os projetos “nós queremos produzir pesquisadores, ser referência em conhecimento, o modelo do CEFET não é o nosso objetivo”, disse.

O vereador Faisal Salmen fez uso da palavra e acrescentou que a comunidade estudantil de Parauapebas ficara extremamente frustrada e indignada com a decisão. “Nesse momento, o governo do PT está condenando ao ostracismo o prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, pois vai ser considerado culpado pela perda da universidade. Eu sou do PSDB e deveria está feliz com o infortúnio do PT, mas não é isso que acontece, estou triste porque perdemos um investimento há tanto tempo acalentado pela nossa juventude”.

Costa contra-argumentou que o IFPA também ofereceria cursos de pós-graduação, doutorado e que o Instituto Federal Tecnológico e no momento era melhor para Parauapebas do que a universidade. “qualquer prefeito preferiria ter o instituto a uma universidade”, disse.

Segundo informações obtidas pelo jornal, a discussão teve prosseguimento com os ânimos cada vez mais exaltados. Leo afirmou que não tinha conhecimento de que institutos tecnológicos ofereciam cursos de mestrado e doutorado, “a verdade é que universidades existem há quase mil anos e o senhor quer nos convencer que uma coisa inventada pelo senhor, é melhor do que uma universidade”, disse se dirigindo ao prefeito de Xinguara, que estava presente e perguntando se ele toparia trocar a universidade pelo IFPA. Diante da resposta de Davi, que afirmou preferir a universidade, criou-se um silencio ensurdecedor na sala de reuniões.

Solução encontrada por Cláudio Puty -Sem uma solução à vista, o deputado federal Cláudio Puty chamou Leo Mendes reservadamente e propôs ser o relator do projeto de lei que criaria a universidade, acrescentando uma emenda de criação de um novo campus, retirando um curso de cada polo (Xinguara, São Félix, Rondon do Pará e Santana do Araguaia) e cinco de Marabá, que deve receber 35 cursos.

Ao retornar à sala, Claudio Puty expôs sua estratégia. O deputado pediu o apoio de todos na sala para colocar o plano em ação. Demonstrando está completamente alheio ao processo, Darci saiu da sala, acompanhado por Ernane Margalho e Alex Ohana. Depois de cinco minutos de conferência o gestor retorna afirmando que concordava.

A partir desse momento o show de gosto duvidoso ficou por conta do candidato derrotado ao senado pelo PT, Paulo Rocha, que disse não concordar, “caso Parauapebas conseguisse emplacar a UNIFESSPA, todos os municípios deveriam ter o mesmo direito”, disse o “mensaleiro”, esquecendo que não detém mandato para interferir numa decisão e que estava ali a convite do prefeito de Parauapebas para apoiar a causa e não para atuar como advogado do diabo.

Nesse momento todos na sala foram contra suas argumentações, o que fez ele dizer que tinha 20 anos de legislatura e que sabia como funcionava a Câmara de deputados. Mais uma vez Leo Mendes se exasperou e a ex-governadora entrou na discussão, exigindo que respeitassem o ex-deputado, “eu sou ex-governadora” justificou. Ao que foi retrucada mais uma vez por Mendes, “infelizmente a senhora já levou a siderúrgica de Parauapebas e agora apóia que tirem a universidade de Parauapebas, por causa disso, o povo de Parauapebas lhe deu a resposta nas urnas”.

Segundo o que foi relatado ao jornal, a ex-governadora perdeu a compostura e gritou: “me respeite seu moleque!”. “A senhora não merece meu respeito e me arrependo de ter votado e pedido votos para a senhora. Felizmente o povo de Parauapebas foi mais inteligente do que eu”, disse.

A reunião terminou como o secretário executivo do MEC se recusando a recolocar Parauapebas como um dos pólos da nova universidade. Está confirmado, entretanto, a vinda do Instituto Federal Tecnológico do Pará para o município.

Também ficou acertado que o deputado Puty seria o relator do Projeto de Lei que criará a UNIFESSPA e que este apresentaria uma emenda, incluindo Parauapebas como um dos polos.
Segundo Leo Mendes até a votação no Congresso a comunidade estudantil do município estará em constante estado de mobilização. Nos próximos dias uma grande manifestação deve ter lugar e deve contar com milhares de alunos, professores, pais de alunos e a população em geral.
Apesar de não se ter a garantia de nada, no momento é o que se apresenta.


Em Parauapebas, Giovanni Queiroz fala das potencialidades do estado de Carajás



Em Parauapebas, para participar de um evento, o deputado federal Giovanni Queiroz concedeu entrevista à imprensa local e como a ocasião sugeria, falou da possibilidade da criação de uma nova unidade da Federação: o estado de Carajás.



HOJE - Como tem sido cronograma para conscientizar a população sobre a importância da criação do novo estado?
Giovanni – Olha nós estamos agora concentrando as palestras e os debates na região do nordeste paraense para mostrar que ele não perderão com a divisão, ao contrário, eles têm muito a ganhar. Na semana passada eu estive na Maçonaria, em Belém e no próximo dia 15 estarei na sede da Federação das Indústrias do Pará. Vamos participar de todos os debates para convencê-los de que é muito melhor para eles, porque eles já têm toda estrutura montada, bons hospitais, hotéis, boas estradas, aeroporto internacional, porto, 80% do parque industrial do Estado.

HOJE – Como o senhor está vendo a receptividade das populações do nordeste do Estado?

Giovanni – Realmente existe um preconceito, ou seja, a pessoa já vai para o debate contra a criação do Estado, é necessário uma certa habilidade para demovê-los do preconceito, mas isso é mais forte em Belém, nos demais municípios já existe uma consciência de que isso é bom pra todos. Nós temos do nosso lado um laboratório a céu aberto, o estado de Tocantins, que deve ser analisado por jornalistas, sociólogos, economistas e pelo cidadão comum como algo que deu certo. Uma cidade como Parauapebas que cresce da maneira que cresce não pode ficar isolada como acontece hoje. O braço do Estado não a alcança, nem contempla suas demandas.

HOJE – Já foi definido quem votará no plebiscito?

Giovanni – Existe uma ação direta de Incondicionalidade, questionando a Lei 9709, que diz que todo Estado deve votar, ferindo a constituição. Nessa quarta (24) STF deve julgar, mas estamos trabalhando como se fosse em todo Estado (Nota: na quarta (24), o STF decidiu que a votação será em todo estado).

HOJE - O publicitário Duda Mendonça deve coordenador o Marketing do SIM. Ele é realmente um reforço de peso?

Giovanni – O Duda é considerado no meio publicitário como um gênio, extraordinariamente criativo. Como tem propriedades no sul do Pará ele se prontificou em fazer a campanha, o que será maravilhoso.

HOJE – O estado de Carajás é viável?

Giovanni – Me deixa falar uma coisa, o estado de Tocantins, tem um orçamento R$ 5,1bilhões. O estado de Carajás teria despesas na ordem de R$ 1,8 bilhão para custeio da máquina, pagamento pessoal etc e uma capacidade de investimento de mais de R$ 3 bilhões do próprio estado, sem transferência do governo federal, salvo as obrigatórias. Se o Tocantins teve um orçamento de R$ 5 bilhões em 2010, tenho certeza que nós, do Carajás teremos muito mais e já nos primeiros anos. Em outras palavras: já nascemos em muito boas condições.

HOJE - Esses números contrastam com um estudo divulgado do IPEA.
Giovanni – Olha esse estudo de Rogério Boeri, que é consultor do IPEA, não foi assumido pelo instituto, que não o subscreve. Esse estudo foi completamente desmoralizado por um estudo do Senado e por ele mesmo, que caiu em contradição. Depois o Célio Costa, que fez um estudo detalhado de viabilidade econômica mostra o tamanho da potencialidade do novo estado. Quero dizer que estou muito feliz, porque a população do futuro estado está querendo, isso é bom porque O estado de Carajás é o maior programa de desenvolvimento que poderíamos ter.

Praça show de bola


A praça inaugurada na sexta-feira na Casas Populares I de cara já pode ser considerada uma das melhores da cidade. A praça contou com um investimento superior a um milhão de reais e o resultado foi uma área construída de 6.356,60m² com os seguintes equipamentos: uma quadra poliesportiva, uma quadra de areia (ambas muradas e com alambrado), palco de eventos com o espaço de 65m², guarita, quiosque com banheiros feminino e masculino, parquinho infantil, espaço com aparelhos para a prática de exercícios físicos. Show de bola.

Nada de máquinas no bairro

Em pleno inverno a secretaria de Obras prometeu o início dos serviços de drenagem e pavimentação das ruas do Liberdade II para o mês de meio. Já se sabia de antemão que nada disso seria cumprido, até porque em maio ainda chove na região. O problema é que já estamos em final de agosto e nenhuma máquina entrou no bairro para iniciar os trabalhos. daqui a pouco começa chover novamente e o bairro volta a viver a rotina de lama e alagamento. Desse jeito estão de brincadeira e brincando com a paciência da população.

Um monte de barro é alguma coisa muito séria

Um monte de barro no meio da rua é coisa muito séria, aliás, seríssima, uma carrada de barro, piçarra, pedra, ou qualquer coisa que o valha pode unir uma cidade, num fervor cívico, como não foi visto, por exemplo, na perda do campus da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará. De repente um carrancudo monte de barro, que a bem da verdade atrapalhou o tráfego de veículo durante boa parte da segunda-feira se tornou o inimigo público número 1 e conseguiu (ao menos em parte) escurecer o peso da traulitada levada em Brasília.

O que importa a traulitada se um monte de barro insiste em permanecer no meio da rua, avacalhando tudo o que se chama de ordenamento urbano? É preciso reagir!, se for preciso coloca-se em campo a turma do prende e arrebenta para enfrentar aquela caçambada impertinente e que atenta contra os artigos 32 e 33 do Código de Posturas do município estabelecem que “O trânsito, de acordo com as leis vigentes, é livre, e sua regulamentação tem por objetivo manter a ordem, a segurança e o bem-estar dos transeuntes e da população em geral. 33, É proibido embaraçar ou impedir, por qualquer meio, o livre trânsito de pedestre ou veículos nas ruas, feiras livres ou quando exigências policiais ou jurídicas o determinarem".

De repente, não mais do que de repente, passou o general vereador trafegando na contramão, mas com cara de poucos amigos. Não falou nada, mas nem precisava, tem vez que o silêncio vale mais do que mil palavras. Na sequencia, um amigo que seguia para o trabalho passou com dificuldades sobre o barro, que aquela altura já estava bem “fuçado” e perguntou divertido se faltava coragem para botar o “bicho pra dentro”. Outro camarada amigo meu queria porque queria que o maldito barro estampasse a seção foto notícia do jornal. Tive dificuldade de convencê-lo que como jornalista não poderia ter a pretensão de escrever e ainda ser a notícia. “vamos deixar a honra para os outros”, argumentei no mesmo tom.

Antes do final do dia, dois valorosos fiscais da Semurb já tinham batido cartão na construção do “puxadinho”, que eu orgulhosamente classifico de “obra”. Uma notificação foi expedida, mas até no blog do Wanterlor, o tal barro foi comentado.

Não tive tempo de explicar que foi um lapso do condutor da caçamba, que o colocou num local inadequado e tirou o time de campo. De qualquer maneira foi bom para desanuviar o ambiente e mostrar que é tão fácil mobilizar a cidade. Se um monte de barro é motivo para o clamor popular, imagine a perda de uma universidade...


(Artigo publicado no jornal HOJE - Coluna do Marcel)

HOJE - 471

Capa do jornal HOJE. Destaque para matéria da fracassada viagem da comitiva de Parauapebas à Brasília para tentar reaver a UNIFESSPA. Giovanni fala sobre as possibilides do estado Carajás.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Editorial do HOJE

FUTILIDADE, INUTILIDADE E O BOBO DA CORTE

Como não poderia deixar de ser, a perda do campus da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará continua rendendo. Infelizmente, aquilo que poderia terminar bem, se tornou uma tragédia.

De repente o prefeito Darci Lermen, que no seu mandato perdeu tudo o que disputou e até o que não disputou acordou, caiu a ficha e viu a pixotada que tinha feito. À toque de caixa resolveu vestir as calças de homem, requisitar a velha amiga Ana Júlia, cujo mandato de governadora foi um dos piores em toda história do Pará e o mensaleiro Paulo Rocha. Essa tropa de choque atabalhoada e sem noção chegou a Brasília com o rei na barriga, esquecendo que não passavam de políticos sem mandato, em via de vestirem o pijama.

Na reunião do dia 23, depois de quase ir às vias de fato com Leo Mendes, que defendia os interesses de Parauapebas, ele passou a se com portar com advogado do diabo e ajudou a enterrar o campus universitário da cidade.

A figura patética do prefeito, mais essa dupla de petralhas foi o underground da reunião. Darci, mais por fora do que bumbum de índio, nem sabia o que fazia no prédio do MEC e na hora de votar por uma solução, ainda que o obvio estivesse sendo esfregado na sua cara, pegou Ernane Margalho e Alex Ohana a tiracolo foi beber uma água de cinco minutos. na volta ele anunciou o obvio, que concordava com uma emenda na Lei para tentar trazer d evolta a universidade.

Ainda que não tenha mandato, nem apite em mais nada, Paulo Rocha foi terminantemente contra a tudo que se referiu a Parauapebas.

Também, vai querer o quê? Pau d'água e um mensaleiro, Futilidade e Inutilidade e ... Ah!, tinha também o bobo da corte.

Cara de pau

O deputado federal Arnaldo Jordy é bem cara de pau. De olho na prefeitura de Belém, ele move campanha contra a divisão do Estado, mas numa entrevista em Marabá ele deixou claro que ele e o seu partido, o PPS eram a favor da divisão do estado.

Se você quer vê o que o deputado disse é só ascessar http://www.youtube.com/watch?v=MAjueeA3MTI&feature=player_embedded

É ou não é muita cara de pau?

Supremo diz que vota o estado do Pará inteiro

Ontem o Supremo Tribunal federal decidiu que todo o Estadodo Pará será ouvido na questão do desmembramento dos possíveis estados de Tapa jós e Carajás. O relator ministro José Antonio Dias Toffoli, entendeu que toda a população do Pará deve ser consultada no plebiscito sobre a divisão do estado.

“Não há como simplesmente excluir da consulta plebiscitária os interesses da população remanescente que também será afetada”, justificou Toffoli em seu voto, que foi seguido por todos os demais ministros, redundando em placar unânime de 9 x 0.


A matéria era uma Ação de Inconstitucionalidade perpetrada pelo estado do Goiás. Agora já se sabe que no dia 11 de dezembro todo o Estado vai às urnas para decidir sobre o desmembramento de duas regioões querem se emancipar.

Desconta mas não repassa

A prefeitura diz que tem R$ 100 milhões em caixa para gastar em investimentos, mas ao invés de guardar dinheiro, deveria olhar com bons olhos alguns compromissos que não podem ser empurrados com a barriga.

O caso mais emblemático é a questão dos planos de saúde dos funcionários. Conveniada com a Unimed, a prefeitura desconta do salário de cada funcionáriso o equivalente ao plano, mas segundo consta, não está repassando para a Unimed, razão pekla qual alguns funcionáriso estão passando por constrangimentos na hora de utilizar os serviços de saúde.

A informação quem passou foi uma funcionária que depois de ter passado vergonha numa clínica de fisioterapia, foi na Unimed para saber a razão da recusa na prestação de serviços. Depois de muita insistência, a Unimed confidenciou que os meses 05, 06 e 07 não tinham sido repassados pela prefeitura.

Deve-se dizer, porém, que no contracheque os valores são descontados religiosamente.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Nova ocupação

Informações chegadas de última hora dão conta que o MST voltou a ocupar a rodovia perto de Eldorado do Carajás e está previsto ocupar a ponte ferroviária de Marabá, nas primeira horas de amanhã (25).

O MST quer uma nova vistoria em algumas fazendas, inclusive na Marambia. No entendimento do movimento, as terras são improdutivas e devem servir para reforma agrária.

Grêmio do Eduardo Angelin toma posse

Diretoria do Grêmio depois da posse

Hoje (24), por volta das 16 horas, a nova diretoria do Grêmio Estudantil da Escola Eduardo Angelim tomou posse na quadra da escola.

A nova diretoria terá um mandato de dois anos e deve ter como meta principal reestruturar a grêmio, que estava desativado há vários anos.

Em entrevista, o presidente eleito, Yuri Sobseski listou como metas fortalecer a entidade, que será a voz dos estudantes no trato com a direção da escola, assim como se inserir no dia-a-dia da comunidade e contribuir na busca por soluções para os principais problemas que afligem o alunado de Parauapebas. Buscar reverter o quadro na questão da UNIFESSPA e do local das provas do Prise estarão na ordem do dia, segundo Sobyeski. "O Grêmio do Eduardo Angelin também participará de projetos culturais e na conscientização dos estudantes para as questões políticas do município. É importante que todo jovem perceba a importâncvia de se tirar o título de eleitor", disse o presidente.

A diretoria do grêmio ficou assim constituída:
Presidente, Yuri Sobyeski; Rodrigo Martins, vice-presidente; Natália Castro, secretária geral; Luís de Vasconcelos, secretária de cultura e Claudineia Nascimento, ssecretária de Políticas públicas.

Tragédia na PA

Na saída da cidade aconteceu hoje a tarde um terrível a cidente envolvendo uma corsa cor vinho e uma carreta. A carreta que trafegava no sentido Parauapebas Curionópolis colidiu com o Corsa que seguia em direção contrária.

Desafortunadamente o condutor do corsa veio a óbito, já o motorista da caçamba foi encaminhado a delegacia de Polícia Civil, onde foi autuado por crime de homicídio culposo, aquele onde não se tem intenção de matar.

Rodovias ocupadas

Um protesto de trabalhadores sem terra interrompeu no dia de ontem a rodovia BR 155, que liga Marabá a Eldorado Carajás. A propriedade do empresário Magnon Baese, residente em Parauapebas teria sido invadida por manifestantes.

No mesmo dia, a PA-275, que liga Parauapebas a Eldorado do Carajás, no trecho Parauapebas Curionópolis também foi ocupada por manifestantes do MST.

Charge



PSD em Parauapebas

O PSD (partido do prefeito de São Paulo Kassab e que surgiu de uma dissidência do DEM) já tem destino em Parauapebas. Trata-se do segmento ruralista. Quem informou foi o deputado Wandenkolk Gonçalves, durante a posse da nova provisória do PSDB.

Marcelo Catalão, Lázaro de Deus Vieira, Geraldo Capota e outros devem filiar lideranças a tempo de participar das eleições de 2012. Não será fácil em virtude da exiguidade de tempo.

Não saiu do papel

Alguém por acaso sabe informar a quantas andam as providências que seriam tomadas pelo município, com relação aos moradores do morro Alto Bonito e dos da Chácara das Nuvens, desabrigados do Riacho Doce e dos que estão ocupando uma área próxima ao Projeto Pipa?

A cerca de quatro meses o prefeito prometeu adquirir uma área para abrigar esses moradores, mas ao que se sabe, até agora nada saiu do papel.

Se cobrir vira circo, se cercar vira cadeia

Diante dessa palhaçada que está sendo armada, só resta a comunidade estudantil ir pra rua e fazer o que tem que ser feito.

É a quela velha história: se cobrir vira circo, se cercar vira cadeia.

Prêmio de consolação dos mais sem vergonha

Informações novíssimas desde Brasília dão conta que a comitiva de Parauapebas foi "engabelada" em Brasília e o Instituto de Ensino Superior que foi prometido em Brasília não passa de um CEFET, que é um centro tecnológico e não propriamente uma universidade, ou seja, como a postagem indagara, um prêmio de consolação dos mais sem vergonha, que não deve ser aceito pela comunidade estudantil.

A nota triste é que tentando convencer a comitiva de Parauapebas que o tal CEFET era a panacéia do mundo, a ex-governadora Ana Júlia e ex-deputado Paulo Rocha, que chegou a beter boca com um integrante da comitiva que não gostou do que ouviu.


Imagina quem convidou os dois: isso mesmo, Darci Lermen.

Mandato do deputado Chico da Pesca é cassado

Wanterlor

O TRE/PA cassou o mandato do Deputado Estadual Chico da Pesca do PT, o ex-deputado irá recorrer ao TSE. Quem assume a vaga é o Alfredo Costa (PT), atual vereador de Belém e consequentemente Milene Lauande sobe a CMB.

A votação no TRE decidiu por unanimidade pela cassação. Em contato com minha assessoria jurídica, ela me informou que Chico da Pesca irá recorrer fora do cargo, e pedirá efeito suspensivo, porém, dado a unanimidade da decisão, dificilmente conseguirá. A aplicação da decisão do TRE e imediata, basta a comunicação formal do Tribunal Regional Eleitoral do Pará ao presidente da ALEPA para a substituição.

PSDB apresenta nova provisória


Ontem, 23, o PSDB apresentou a nova comissão provisória que irá gerir os destinos do partido. Com a presença do deputado Wandenkolk Gonçalves, que prestigiou o evento, a nova comissão ficou assim constituída: Presidente, José Rinaldo, secretário, Valmir Oliveira, membros: Wadi Cecílio, Carlos Alberto Correa, Faisal Salmen, Moaci Cherles Borges Segundo e Lúcio Antônio

Pressão em Brasília começa a surtir efeito

De Brasília, o vereador Faisal Salmen, que participou de uma comitiva, da qual faziam parte o prefeito Darci Lermen, os vereadores Eusébio Roqdrigues, Francis Resende, além de vários deputados federal do Pará informa que a pressão para que a "pixotada" do MEC (ou de alguma figura das sombras de Brasília) fosse revista começa a surtir efeito.

Ontem, estava sendo acertada com o MEC a vinda para Parauapebas do Instituto de Ensino Superior, que além de ser uma universidade, ainda oferece cursos de pós-graduação.

Como Parauapebas é dona de deixar escapar por entre os dedos as oportunidades é melhor esperar um pouco mais para comemorar. Como o Darci à frente das negociações, é melhor esperar e ver se esse tal instituto compensa, ou é só uma "premio de consolação" sem nenhum valor agregado.

Assalto chique, no meio da tarde e com o bandido motorizado

Por trás do aspecto civilizado e bem resolvido, a Cidade Nova vê coisas que fariam capuchinhos corar de vergonha. Não há de crer, que ontem, por voltla cas 15 horas da tarde , um malandro, dirigindo um corça ret, cor vinho, cismou de assaltar uma mulher que aparentemente vinha de um supermercado?

Perto da praça Mahatma Gandhi, o cara chamou a mulher para pedir informação e quando a dona-de-casa de aproximou ele meteu-lhe a draga e anunciou o assalto.

Surpreendida, a mulher quase desmaiou e desatou a gritar e a correr, o que acabou por assustar o marginal que engatou uma quinta e seguiu por uma rua, na contramão. Isso tudo em no meio da tarde, sem policiamento, sem nada.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

STF decide amanhã

Uma ação da Assembleia legislativa do Goiás deve ser julgada pelo STF amanhã (24). O STF deve julgar se plebiscitos nas questões de projetos separatistas devem ser voltados pela região que quer se emancipar, ou se todo estado.

O deputado Giovanni Queiroz disse que acredita que o STF deve decidir pelo primeira hipótese, ou seja, que a população da região que quer se emancipar vote, "entretanto, na questão do Carajás, estamos trabalhando como se todo o Estado fosse votar.

Aliás, por falar em Giovanni Queiroz, ele disse que a campanha pró-Carajás irá se intensificar nos municípios do nordeste do Pará. De acordo como parlamentar, fora Belém, pouca gente está disposta a votar no não.

Aterro retirado

Gostaria de dizer que aquela montanha de aterro, que um cidadão desavisado colocou em frente da minha casa já foi devidamente retirada de lá. Os corneteiros de plantão, podem agora baixar o facho.

Faisal fala sobre o campus universitário perdido

Em conversa com o blog, o vereador Faisal Salmen lamentou a decisão do MEC de preterir Parauapebas, beneficiando Santana do Araguaia, na questão do campus universitário, da recém-criada UNIFESSPA.

Para Faisal, Santana merece ter o seu campus, mas não pode ser em detrimento de uma cidade do porte de Parauapebas.

sábado, 20 de agosto de 2011

TSE aprova regras para o plebiscito de 11 de dezembro

Sol de Carajás

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou na sessão administrativa desta quinta-feira (18) as 10 resoluções que regulamentarão o Plebiscito no Pará que consultará a população sobre a divisão do Estado e a criação de mais duas unidades da federação – Tapajós e Carajás.

Relator das resoluções do plebiscito, o ministro Arnaldo Versiani encaminhou no plenário voto a favor da aprovação das resoluções, que foram submetidas à audiência pública no TSE, realizada no dia 5 de agosto, na qual partidos políticos e instituições fizeram uma série de sugestões ao aperfeiçoamento das minutas dos textos. Na sessão desta noite, o ministro Arnaldo Versiani elogiou a participação dos políticos e da sociedade em geral na audiência e informou quais as principais sugestões acolhidas e rejeitadas, fornecendo as devidas justificativas.

O Plebiscito no Pará está previsto para o dia 11 de dezembro deste ano e tem como objetivo consultar todos os eleitores paraenses acerca do desmembramento do Estado. No dia do Plebiscito, os votantes deverão comparecer às suas respectivas seções eleitorais das 8h às 17h, e quem não comparecer terá de justificar a ausência nos 60 dias seguintes ao da votação.

O resultado da votação será encaminhado pela Justiça Eleitoral ao Congresso Nacional, que terá a palavra final sobre a criação ou não dos Estados. A criação de Tapajós e Carajás depende da edição de lei complementar, conforme a Constituição Federal de 1988.

Foram acolhidas nas resoluções as seguintes sugestões apresentadas pelos participantes da audiência pública:

- Estabelecer limite de gastos para cada Frente – R$ 10.000.000,00. O ministro Arnaldo Versiani informou que esse é um valor coerente, por exemplo, com o custo de uma campanha para governador no Estado do Pará, que fica geralmente entre R$ 5 milhões e R$ 8 milhões.- Ampliação do horário das inserções das Frentes de 8 horas às 24 horas para o período de 7 horas a 1 da manhã seguinte, respeitado o horário de Brasília.- Rodízio entre os plebiscitos para a propaganda gratuita – um dia para as frentes pró e contra a criação de Tapajós e outro dia para as frentes pró e contra a criação de Carajás. A propaganda gratuita referente ao plebiscito durará 20 dias, de 11 de novembro a 7 de dezembro.- A propaganda gratuita será veiculada às segundas, terças, quartas e sextas-feiras e sábados. Aos domingos não tem e às quintas serão veiculadas as propagandas político-partidárias normalmente agendadas desde dezembro de 2010.- Qualquer eleitor com domicílio eleitoral no Estado do Pará poderá integrar uma das Frentes.

Abrangência da consulta

Por maioria de votos, os ministros do TSE rejeitaram a ampliação (para todo o território nacional) ou restrição (somente às populações das regiões que poderão eventualmente se transformar em novos estados) da consulta por entender que ambas as propostas contrariam o artigo 7º da Lei nº 7.909/98 (Lei que regulamenta os Plebiscitos).O artigo 7º da lei estabelece que para as “consultas plebiscitárias previstas nos arts. 4º e 5º entende-se por população diretamente interessada tanto a do território que se pretende desmembrar, quanto a do que sofrerá desmembramento; em caso de fusão ou anexação, tanto a população da área que se quer anexar quanto a da que receberá o acréscimo; e a vontade popular se aferirá pelo percentual que se manifestar em relação ao total da população consultada”.
____________________________

Nota: como alguns dos questionamentos e sugestões levadas ao TSE são de índole constitucional é provável que as regras do Plebiscito sofram alguma alteração por parte do Supremo Tribunal Federal.

PRP promove encontro partidário

Discurso de Chioco das Cortinas, observado por Davi Chaves e Jorge Resende, da estadual

Francesco Costa - Realizado no último sábado, 13, o encontro do Partido Republicano Popular (PRP), reuniu inúmeros filiados, simpatizantes e presidentes de outros partidos, entre eles, Cláudio Almeida (PR), Domingos, PHS, Pr. Marcos Bahia, PRB, e Jorge Rezende, presidente estadual do PRP, Valdemar da Pavinorte, PSDB em Canaã dos Carajás, César, PRP de Marabá.
O encontro recebeu vários novos filiados e contou com a presença de Francisco Alves de Sousa, o ‘‘Chico das Cortinas’’, que deve ser o candidato a prefeito do partido, em 2012.
No uso da palavra, Chico fez um discurso muito aplaudido. O pré-candidato recebeu apoio de lideranças e falou de seu anseio em retomar o real crescimento do município que governou de 1993 a 1996. “Naquela época nossa arrecadação de 5% do que é hoje e tínhamos um município ainda maior, incluía Canaã dos Carajás e várias vilas”, lembra Chico das Cortinas, que na ocasião falou de suas obras em todos os segmentos sociais como habitação, saneamento básico, construção de prédios públicos e pavimentação.
O pré-candidato mostrou que para o PRP habitação é uma das prioridades e contou o fato da doação da área onde foi criado o bairro Cortinão, logradouro que anos depois recebeu o nome de bairro Liberdade.
O ex-prefeito dá conta que grande parte de suas obras estão sob o chão e muitos não sabem da existência ou importância delas, trata-se das obras saneamento básico, desde a captação reservatório e tratamento de água, à estação de tratamento de esgoto. “As muitas obras que fizemos estão até hoje aí para todo mundo ver, irretocáveis. Fiz obras para durar respeitando o dinheiro público, tanto é que nenhuma das, muitas pontes, feitas em meu governo nunca caiu”.
O pré-candidato agradeceu aos presentes e presidentes de partidos. Em seguida ele apresentou alguns pré-candidatos a vereador. Terezinha do bairro Novo Horizonte, professor Evanes, Riba da Panificadora, Júlio Amaral, Raquel da Câmara, Vovô Camarão, Nelson Araújo, Pr. Benedito Cirineu, Sandoval da Imobiliária, Cristina do Postinho, Cristina do bairro Altamira, Marilene, Bentinho do Terraço, Chaguinha do Doce Norte e Zildo da farmácia Droganova. róxima eleições.
Chico que pretende ter a Vale como parceira, e não como adversária, para assim realizar grandes obras para o bem do povo.
Em seu discurso o presidente estadual do PRP, Jorge Resende, assegurou que o partido não abrirá mão de candidatura própria a prefeito no município.
Resende empossou naquele ato a comissão provisória municipal do PRP em Parauapebas, tendo Chico da Cortinas como presidente.




Social – Casa do Idoso; doação dos terrenos para a Sorri Parauapebas, APAE e PROCON; Projeto CECAP; Previdência Social do Município; e Banco do Povo.
Saneamento básico – Estação de Tratamento de Água; Casa do Laboratório e Química; Captação da água; construção de dois reservatórios; e construção de Estação de Tratamento de Esgoto.

Habitação – Foi feito os loteamentos: Cortinão, hoje bairro Liberdade; Bairros Novo Brasil e Altamira; doação de 38 lotes no bairro Maranhão; doação de 113 casas para os que viviam em área de risco.

Prédios públicos – Escola João Prudêncio, Escola Carlos Henrique; escolas na zona rural: Cederes I, II e III e Vila Paulo Fonteles; Câmara Municipal de Parauapebas; Secretaria Municipal de Saúde; Feira do Produtor; Casa da Cultura; Agência dos Correios do bairro Cidade Nova; PM Box nos bairros Da Paz, Primavera e Cidade Nova; e o Hospital Municipal de Canaã dos Carajás.

Pavimentação – Passarelas para Cooper; estacionamento do antigo prédio da prefeitura e da Praça Mahatma Ghandi; asfaltamento das ruas do bairro Cidade Nova; trevo da Casa Goiás; asfaltamento das ruas E e F; asfaltamento da PA 275; construção das pontes da Rua Rio de Janeiro, Sol Poente, duas na entrada do bairro Liberdade, duas no município de Canaã dos Carajás; e 700 km de estradas vicinais no município e onde hoje é Canaã. .

Um banquinho, um violão: Parauapebas ao som dos barzinhos



Alheia a movimentação característica da cidade, de muito trabalho e produção mineral, a noite de Parauapebas se parece cada vez mais com a das médias e grandes cidades. Um papo, um chopp e principalmente, o som de barzinhos estão cada vez mais na ordem do dia.

Dentro dessa realidade, o que diversão para uns acaba sendo uma atividade para outros. Se os proprietários desses estabelecimentos não têm do que reclamar, os músicos que “fazem” a noite de Parauapebas também estão rindo a toa. Beto de Mayo, Claudinha, Arnaldo e Cristiano, Willian Barros, Idelfonso, Pedro e Paulo Vitor, Samurai, Civaldo Rodrigues, são alguns dos artistas que trabalham na noite.
Barzinhos como Sport TV, Opção, Eva Lanches, Kamikaze, Espeto de Ouro, Ponto 7 já se tornaram tradicionais em oferecer esse tipo de diversão para a clientela.

Boas alternativas – Em Parauapebas há oito anos, Beto de Mayo faz parte da geração dos novos parauapebenses que se inseriram rapidamente no cotidiano da cidade. Participante de vários movimentos sociais ligados a cultura, ele pode ser visto no Kamikase e no Eva Lanches, na Cidade Nova. Ele acredita que a cidade já dispõe de boas opções, “hoje já há um mercado para músicos como nós e os barzinhos são uma alternativa muito interessante”, diz.

Nas sextas-feiras no kamikaze, Samurai desfia seu repertório de pop rock e MPB. Em companhia da noiva, conhecida como DJ Ninja, Samurai vai mostrando sua arte.
Com ocupação paralela o artista plástico Civaldo Rodrigues canta em vários ambientes. Como já dizia o poeta, todos artista tem que ir aonde o povo está. Entre um vernissage e uma exposição do movimento eternista, do qual faz arte, Civaldo manda sua viola, com muita MPB.

Se apresentando no Eva Lanche e no Sport TV, a dupla Arnaldo e Cristiano oferece uma boa alternativa par a o público que curte um sertanejo. De Vitor e Leo, Fernando e Sorocaba, expoentes do chamado sertanejo universitário, até a música de raiz, tipo Sérgio Reis, Chico Rei e Paraná, entre outros, a dupla que é bastante conhecida manda e manda bem. Outra dupla que também faz sucesso é Pedro e Paulo Vitor. O som da dupla pode ser apreciado nas quarta e sextas no Ponto 7 e na quinta-feira no Eva lanches, ambos na Cidade Nova. Adeptos do sertanejo universitário, Paulo Vitor ressalta que a característica principal ‘‘é a levada bem moderna’’.

A novidade também agrada os clientes, que têm agora mais alternativas para curtir a noite parauapebense, “apesar de morar no Rio Verde, gosto muito de frequentar os barzinhos da Cidade Nova por causa da música ao vivo”, diz Fabrício Borges, em entrevista ao jornal.

Com a reabertura do CDC, onde uma programação variada de música ao vivo, nas quintas e sextas-feiras tem lugar, é certo que esse movimento veio para ficar. Quem ganhará com isso é o cidadão, que terá uma programação de bom gosto e com segurança.

Por outros lado, artistas locais, como Claudinha, Hidelfonso, Samurai, que estão há muito tempo na estrada, ou artistas chegantes, com o Willian Barros e Pedro e Paulo Vitor terão um mercado de trabalho interessante.

Obrigação do Poder Público é planejar o futuro

Projetos, que se habilita a falar em projetos? Pra começar, não há o menor interesse dos que detém o poder, em parte porque tocar projetos é desgastante e dá trabalho. Melhor passar o cartão todo dia 10 e 20 e verificar se o dinheiro dos royalties já caiu na conta.

Por mais simplório (e lamentável) que possa ser, essa tem sido a rotina dos nossos governantes nos últimos 16 anos. Administram folhas de pagamento e tentam resolver problemas pontuais. Muito pouco para uma cidade que se apresenta como metrópole regional.

Entendo que uma das atribuições de um governo é planejar o futuro, preparar a cidade para daqui há 10, 20 anos. Caso esse dever de casa seja negligenciado, não restará nada mais do que o acaso e convenhamos, é o pior cenário, uma irresponsabilidade quase criminosa.

O caso dos novos loteamentos é emblemático. Eles expandiram as fronteiras do perímetro urbano para 15 quilômetros além dos limites do bairro Novo Brasil. Assim como suas avenidas, os novos bairros também dão largas às novas perspectivas de uma modernidade que bate à porta. À primeira vista, parece algo grandioso (e de fato é), entretanto, a essa imponente demonstração de investimentos privados, que acreditam no potencial da cidade, some-se o enorme sacrifício de uma parcela da população, que mal se sustenta em pé foi empurrada a adquirir imóveis para quitação em 180 meses, ou 15 anos.

Sob contratos draconianos, nos quais se escondem alguns poucos direitos e uma grande soma de deveres, os hoje felizes proprietários adquiriam uma espécie de bomba-relógio, com data certa para explodir. Juros de agiota e a possibilidade de perder o pequeno investimento, caso haja atraso de três meses ou um pouco mais acabam sendo uma sentença sobre as cabeças dos cidadãos de Parauapebas. Cá pra nós ficar três, quatro meses desempregado é algo recorrente na vida de uma trabalhador que ganha pouco mais de salário mínimo.

A pergunta é a seguinte: se o Poder Público sabia que haveria uma explosão imobiliária por que não se antecipou e adquiriu áreas no entorno da cidade e fez uma ampla distribuição de terrenos, a serem construídos em regime de mutirão? Por que não criou cooperativas de tijolos, telhas, o que baratearia os custos? Resposta: Porque tudo isso é muito trabalhoso. Melhor abrir espaços para os atravessadores ganharem fortunas e se der, entrar como sócio num desses empreendimentos e tirar o seu.

Governo que é governo tem essas obrigações. A ele é vedado o direito de entregar numa bandeja o destino de seus munícipes, como ocorreu nos últimos dois governos.

(Artigo publicado no jornal HOJE - Coluna do Marcel)

Recibo de trouxa

Desde o dia 16, quando estourou a notícia que Parauapebas havia perdido o campus da nova universidade (UNIFESSPA), informações desencontradas povoam o imaginário da população e principalmente, da comunidade estudantil. Tem gente que pensa que tudo não passa de um pesadelo.

Ontem começaram a ventilar a informação que que houve um lamentável engano. Outros dizem que a UFPA não tinha conhecimento do canto de carroceria que a cidade levaria. Outra informação é que houve um erro no cerimonial e o nome de Parauapebas não apareceu, mas nada mudou no projeto original, tudo continua c omo ante s.

Olha, mudou sim e no lugar de Parauapebas apareceram os nomezinhos de Santana do Araguaia e São Félix, essa é a realidade, agora se vão mexer os pauzinhos e consertar a "cagada" aí é outro departamento, mas, por enquanto e até segunda ordem Parauapebas está fora.

Agora tem gente que não está nem aí, porque se tivesse algum compromisso com o desenvolvimento da cidade, teria acompanhado o processo desde o início, teria ido à Brasília (como foram os outros prefeitos) na entrega do processo da UNIFESSPA. O "caboco" mais uma vez passou recibo de trouxa , porque todo mundo sabe que em Brasília o que vale é lobby.


Quer saber? Trouxa fomos nós que botamos ele lá.